X-37B-1 regressa à Terra

Após uma missão recorde de 780 dias em órbita, o veículo X-37B-1 regressou com sucesso à Terra com uma aterragem perfeita no Centro Espacial Kennedy no dia 27 de Outubro de 2019. Esta foi a 5.ª missão de um veículo desta série.

Lançado na sua terceira missão a 7 de Setembro de 2017, o X-37B-1 realizou a demonstração de tecnologias reutilizáveis para o futuro programa espacial dos Estados Unidos e experiências que podem ser recuperadas e examinadas na Terra, nomeadamente experiências para o Air Force Research Laboratory além de transportar vários pequenos satélites  que terão sido colocados em órbita mas que até ao momento ainda não foram registados, em violação da convenção das Nações Unidas.


O X-37B-1 já havia sido por duas vezes lançado para a órbita terrestre a 22 de Abril de 2010 e a 11 de Dezembro de 2012.

Baseado num desenho da NASA, o X-37B Orbital Test Vehicle (OTV) é o mais recente e mais avançado veículo espacial capaz de regressar da órbita terrestre. O veículo é desenhado para ser lançado na vertical para uma órbita terrestre baixa onde pode levar a cabo experimentação e teste espacial de longa duração. Após receber comandos enviados do solo, o OTV reentra na atmosfera terrestre de forma autónoma, descendo e aterrando de forma horizontal numa pista de aterragem. Assim, o X-37B é o primeiro veículo desde o vaivém espacial da NASA com a capacidade de trazer de volta para a Terra para posterior inspecção e análise, mas tendo um tempo de vida em órbita de até 270 dias, o X-37B pode permanecer no espaço por muito mais tempo.

As tecnologias que estão a ser testadas neste programa incluem sistemas avançados de orientação, navegação e controlo, bem como sistemas de protecção térmica, aviónicos, selos e estruturas capazes de resistir a altas temperaturas, sistemas isoladores reutilizáveis, sistemas de voo electromecânicos ultra-leves, e o voo orbital, reentrada e aterragem autónomos.

O Air Force Rapid Capabilities Office lidera o programa do OTV para o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, estando na direcção do Subsecretário da Defesa para a Aquisição, Tecnologia e Logística do Secretário da Força Aérea. O esforço do OTV utiliza vastos investimentos de empresas e do governo no programa X-37 por parte da Força Aérea dos Estados Unidos, da NASA e da agência DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency) para continuar o desenvolvimento deste veículo.

O programa original do X-37 da NASA teve início em 1999 e prolongou-se até Setembro de 2004 quando a NASA transferiu o programa para a DARPA. A NASA tinha como objectivo a construção de dois veículos, um veículo ALTV (Approach and Landing Test Vehicle), para testar os sistemas na aterragem e o seu comportamento em voo atmosférico, e um veículo orbital OV. O ALTV validou a dinâmica de voo e prolongou o voo para lá dos testes a baixa velocidade e altitude conduzidos pela NASA entre 1998 e 2001 com o X-40A, uma versão de menor escala do X-37 desenvolvido pelo Air Force Research Labs. A DARPA finalizou a porção do programa do X-37 em Setembro de 2006 ao executar com sucesso uma série de voos rebocados e livres. O X-37 OV da NASA nunca foi construído, mas o seu desenho serviu como ponto de partida para o programa do X-37B.

O primeiro X-37B, OTV-1, foi lançado desde o cabo Canaveral AFB a 22 de Abril de 2010 e levou a cabo com sucesso uma aterragem autónoma na Base Aérea de Vandenberg a 3 de Dezembro de 2010, após permanecer 224 dias, 8 horas e 24 minutos em órbita. A missão OTV-2 teve início a 5 de Março de 2011 e permaneceu em órbita durante 469 dias, mais do que duplicando a duração da primeira missão. A missão OTV-3 foi lançada a 11 de Dezembro de 2012 e teve uma duração de 675 dias.

O X-37B foi construído pela Boeing e tem um comprimento de 8,9 metros, 2,9 metros de altura e uma envergadura de 4,5 metros. No lançamento tem um peso de 4.990 kg. A sua energia é fornecida por painéis solares compostos por células de gálio e arsénio, e por baterias de lítio.

Imagem: Satellite Beach (via facebook)

 

Comente este post

%d blogueiros gostam disto: