Uma equipa europeia de sonho para Marte

Cientistas europeus ajudarão a seleccionar rochas e solo de Marte na busca por vida no nosso vizinho planetário.

Cinco investigadores europeus fazem parte da equipa científica Mars 2020 da NASA para seleccionar as amostras marcianas mais promissoras com destino à Terra.

A missão a Marte foi lançada hoje para a sua jornada de sete meses em direcção ao Planeta Vermelho. Uma vez lá, a equipa guiará o rover Perseverance à procura de evidências de vida microbiana antiga.

$video.data_map.short_description.content

O grupo é composto por investigadores da Bélgica, França, Suécia e Reino Unido. “Estes principais cientistas de toda a Europa são especialistas em como recolher, analisar e ler a história do solo sob os nossos pés. Agora, terão também de antecipar as necessidades e os desafios de trabalhar com amostras marcianas devolvidas a laboratórios na Terra,” afirma o cientista do programa de actuação de Retorno de Amostras de Marte da ESA, Gerhard Kminek.

A Sherlock Holmes for Mars

Nos próximos três anos, a equipa estará no centro de uma equipa mais ampla da NASA. Mark Sephton, professor de geoquímica orgânica do Imperial College London, no Reino Unido, considera “uma oportunidade fantástica de reunir algumas das melhores mentes do mundo para resolver uma das maiores questões do Sistema Solar: houve vida em Marte?

Trazer de volta

Sandra Siljeström: The martian link

Sandra Siljeström, do instituto de investigação sueco RISE, sonha com o sentimento “Traga para mim agora!” enquanto analisa remotamente uma rocha vista em Marte no local de pouso do veículo espacial – a cratera Jezero. A área contém sedimentos de um antigo delta do rio, onde evidências de vidas passadas poderiam estar preservadas se alguma vez existiram no planeta.

Assim que o rover Perseverance recuperar amostras de rocha e solo de Marte, selá-las-à em latas e irá deixar cair na superfície para serem recolhidas por uma futura missão de recuperação.

A missão Mars 2020 é o primeiro passo para o desafio marciano final: a campanha de Retorno de Amostras de Marte. A NASA e a ESA pretendem trazer o material da superfície marciana para a Terra até 2031,” acrescenta Gerhard.

Para trazer amostras de Marte para a Terra, são necessárias três missões cuidadosamente cronometradas.

A NASA entregará o ESA Sample Fetch Rover nas proximidades do local de pouso do Mars 2020. O rover europeu rastreará autonomamente e recolherá até 36 tubos de amostras depositados pelo Perseverance e levá-los-à ao veículo Mars Ascent da NASA.

Mars Sample Return overview infographic
Mars Sample Return

Melhor em conjunto

A palaeontologist for Mars

A equipa de cientistas europeus acredita que o caminho para Marte é como uma corrida de longa distância que é melhor levada a cabo em conjunto.

A Europa terá voz nos afloramentos rochosos estudados na superfície marciana e nas amostras a serem devolvidas. Teremos um impacto positivo na qualidade, profundidade e abrangência da investigação,” explica o paleontólogo Keyron Hickman-Lewis, que trabalhou em estreita colaboração com a equipa do rover ExoMars da ESA.

Nenhum lugar como Marte

Frederic Moynier

Actualmente, Marte é o único corpo planetário acessível aos seres humanos no qual os cientistas esperam encontrar registos geológicos relativamente preservados desde a história inicial do Sistema Solar.

Encontrar vestígios de vida “representaria uma descoberta incrível e mudaria a nossa visão de como os organismos emergem,” diz o cosmo-químico Frederic Moynier.

Não há outro lugar como Marte para descobrir se as condições para sustentar a vida já existiram.

Vinciane Debaille in her natural habitat – surrounded by rocks.

“O Planeta Vermelho é o laboratório perfeito para examinar, uma vez que o ambiente mudou dramaticamente ao longo do tempo,” diz Vinciane Debaille, geoquímica da Université Libre de Bruxelles, na Bélgica.

Sandra tem poucas dúvidas: “haverá surpresas quando pousarmos em Marte”. Ela e a sua nova equipa mal podem esperar para receber os primeiros dados.

A equipa

Saiba mais sobre a equipa de especialistas europeus, parte da equipa científica Mars 2020 da NASA, no blog Exploration da ESA:

– Mark Sephton: Um Sherlock Holmes para Marte.

– Sandra Siljeström: o elo marciano.

– Keyron Hickman-Lewis: Marte revisitado.

– Frederic Moynier: um divisor de águas para o Sistema Solar.

– Vinciane Debaille: da Antárctica a Marte.

Notícia e imagens: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post