Últimos lançamentos orbitais em 2018

O ano de 2018 bateu já o recorde de lançamentos registados desde 1990, ano em que se registaram 116 lançamentos orbitais.

Até 16 de Dezembro foram realizados 106 lançamentos orbitais, dos quais 104 atingiram a órbita terrestre e a lista não ficará por aqui, pois até final de 2018 deverão ainda ter lugar 10 lançamentos orbitais, com um total de 114 lançamentos orbitais.

O ano de 2019 poderá seguir a tendência do ano de 2018 com um aumento significativo de lançamentos orbitais em relação aos anos anteriores. tendo em conta as diferentes informações disponíveis de momento (e de forma extremamente optimista) o ano de 2019 apresenta cerca de 200 lançamentos orbitais previstos.

Adiado de Novembro devido a razões não especificadas e sucessivamente adiado desde 8 de Dezembro devido a razões técnicas, o satélite espião KH-11 (17) será lançado pela United Launch Alliance a 19 de Dezembro pelo foguetão Delta IV-Heavy (D381) a partir do Complexo de Lançamento SLC-6 da Base Aérea de Vandenberg. Os satélites KH-11 são desenvolvidos pela Lockheed Martin. O lançamento está previsto para as 0157UTC.

O primeiro satélite de navegação da terceira geração Navstar-3 GPS-3 será lançado a 18 de Dezembro, pelas 1411UTC. O satélite GPS-III SV01, designado ‘Vespucci’, será colocado em órbita pelo foguetão Falcon-9 (B1054.1) a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS. Os novos satélites são desenvolvidos pela Lockheed Martin e são baseados na plataforma A2100A e têm uma massa de 3.680 kg. Os satélites estão equipados com um sistema de propulsão LEROS-1C para as manobras orbitais.


A última missão orbital da Arianespace em 2018 terá lugar a 18 de Dezembro, pelas 1637:14UTC. A missão VS-20 será levada a cabo pelo foguetão 372RN21A Soyuz ST-A/Fregat-M (U15000-009/ M133-10) a partir do Complexo de Lançamento ELS do CSG Kourou (Sinnamary) e a bordo estará o satélite CSO-1 (Composante Spatiale Optique-1). O CSO-1 foi desenvolvido pela Airbus Defence and Space (plataforma) e pela Thales Alenia Space (carga), sendo baseado na plataforma AstroSat-1000. Este é um satélite de reconhecimento electro-óptico de alta-resolução que será operado pelos serviços de informação Franceses, DGA. No lançamento tem uma massa de cerca de 3.500 kg.

A última missão orbital da Índia em 2018 terá lugar a 19 de Dezembro com o foguetão GSLV-F11 a ser lançado desde a Plataforma de Lançamento SLP do Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota, transportando o satélite de comunicações GSat-7A. Desenvolvido pelo ISRO, o GSat-7A (também designado Insat-4F ou Rukmini) é baseado na plataforma I-2K e tem uma massa de 2.650 kg, tendo uma vida operacional de 9 anos. A bordo transporta uma carga de comunicações composta por transponders UHF, banda S, banda C e banda Ku. O lançamento está previsto para as 1030UTC.

Vários satélites que compõe o Zhuhai-1 Grupo-3 (OVS-2, OHS-2) poderão ser colocados em órbita por um foguetão de propulsão sólida CZ-11 Chang Zheng-11 no dia 21 de Dezembro. A bordo deverão seguir os satélites TY-1(03), TY-1(04) e TY-1(07). O lançamento terá lugar a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan.

O satélite de comunicações militar Blagovest n.º 13L será lançado às 2212UTC do dia 25 de Dezembro a partir da Plataforma de Lançamento PU-39 do Complexo de Lançamento LC200 do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. O lançamento será levado a cabo por um foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M.

O dia de Natal deverá ainda assistir ao lançamento do satélite TJSW-3 Tongxin Jishu Shiyan Weixing-3 a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang. O lançamento será levado a cabo por um foguetão CZ-3C Chang Zheng-3C/G2 a partir do Complexo de Lançamento LC3. Os satélites TJSW são utilizados para a transferência de dados em alta velocidade e banda larga.

A 26 de Dezemnro está previsto o lançamento de um satélite não identificado utilizando um foguetão de combustível sólido KZ-1A Kuaizhou-1A. O lançamento terá lugar a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan.

Às 0207UTC do dia 27 de Dezembro, a Rússia irá levar a cabo o seu último lançamento orbital de 2018 com o objectivo de colocar em órbita dois satélites de detecção remota Kanopus-Vulcan (Kanopus-V). O lançamento será levado a cabo a partir do Complexo de Lançamento LC-1S do Cosmódromo de Vostochniy por um foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1a/Fregat-M. A bordo estarão os satélites Kanopus-V n.º 5 e Kanopus-V n.º 6, além dos satélites Flock-w (1) a Flock-w (12), SAMSON-1, SAMSON-2 e SAMSON-3. É possível que a bordo também se encontre um pequeno satélite Iraniano.

O satélite de detecção remota Chinês, ZY-2D Ziyuan-2D, deverá ser lançado a 29 de Dezembro a partir do Complexo de Lançamento LC9 do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão CZ-4B Chang Zheng-4B (Y39) e a bordo deverão estar também os satélites BNU-1 ‘Beijing Normal University-1’ e Tianyi MV-1.

Para além dos lançamento referidos, a China poderá ainda levar a cabo um número indeterminado de lançamentos. É sabido que em Jiuquan existem muitos satélites que aguardam a sua vez para serem colocados em órbita. A maior parte destes satélites são de dimensões e massas reduzidas, o que faz supor que muitos deles irão partilhar missões com cargas principais de maiores dimensões.

O Hongyan-1, o primeiro satélite de uma constelação de satélites de comunicações de banda larga em órbita terrestre baixa, também deverá ser lançado desde Jiuquan por um foguetão CZ-2D Chang Zheng-2D.

Um foguetão CZ-11 também será utilizado para colocar em órbita os satélites Lingque-1 e Lingque-2, enquanto que os satélites Xingyun-1 (01) e Xingyun-1 (02) deverão ser lançados por um foguetão KZ-11 Kuaizhou-11.

É ainda possível que o foguetão privado OS-M1 venha a fazer o seu voo inaugural.

Imagens: Arquivo pessoal do autor e Sítio Gunter’s Space Page.

 

%d blogueiros gostam disto: