Tianzhou-1 acopla com Tiangong-2

O veículo de carga TZ-1 Tianzhou-1 acoplou com sucesso com a estação espacial TG-2 às 0416UTC do dia 22 de Abril de 2017. Esta foi a primeira de três acoplagens previstas para esta missão.

O TZ-1 havia sido lançado a 20 de Abril a partir do Centro de Lançamentos Espaciais de Wenchang pelo foguetão CZ-7 Chang Zheng-7 (Y2). Após se separar do último estágio do foguetão lançador, o Tianzhou-1 ficou colocado numa órbita com um perigeu a 198 km de altitude, apogeu a 372 km de altitude e inclinação orbital de 42,8º. Mais tarde a órbita seria alterada para um perigeu a 311 km de altitude e apogeu a 369 km de altitude.

Esta é a primeira missão logística da China num passo importante para o estabelecimento de uma estação espacial permanente em órbita terrestre a partir de 2018/2019.

 

Nesta missão não será realizada qualquer transferência de carga entre os dois veículos, porém as experiências relacionadas com a transferência de propolentes foram iniciadas a 22 de Abril pelas 2326UTC. Os preparativos para a transferência de propolente envolveram a realização de um processo de 29 fases culminando no perfeito alinhamento das condutas de transferência. Todo o processo de reabastecimento terá uma duração de cinco dias.


Com uma massa de cerca de 12.910 kg, o TZ-1 é a carga mais pesada alguma vez colocada em órbita por um foguetão da China.

O principal objectivo da missão do Tianzhou-1 é o de levar a cabo o abastecimento em órbita da estação espacial TG-2 Tiangong-2. Durante a missão, o novo veículo irá levar a cabo três manobras de aproximação ao TG-2 As operações conjuntas do complexo orbital Tiangong-2/Tianzhou-1 terão uma duração de dois meses. No final deste período, o TZ-1 irá separar-se do TG-2 e irá iniciar um voo autónomo de três meses para a realização de experiências e vários testes. No final da sua missão, o Tianzhou-1 irá levar a cabo uma reentrada destrutiva na atmosfera terrestre sobre o Oceano Pacífico.

O Tianzhou tem uma capacidade de carga de 6.500 kg, incluindo 2.000 kg de propolente, tendo um comprimento de 10,6 metros e um diâmetro máximo de 3,35 metros.

O novo veículo, desenvolvido na base da estação espacial Tiangong-1, terá a capacidade de executar as manobras de aproximação e acoplagem de forma automática, mas tal como acontece com os veículos de carga Russos, o centro de controlo em Terra e as tripulações a bordo das estações espaciais terão a capacidade de intervir nestas manobras.

Transportando carga diversa e combustível para a órbita terrestre, os veículos Tianzhou também serão utilizados para descartar lixo ou para levar a cabo missões autónomas após a separação. No final de cada missão, os veículos serão destruídos nas reentradas atmosféricas.

O segundo veículo Tianzhou deverá ser lançado em 2019 após o lançamento do primeiro módulo da estação espacial modular TG Tiangong (o TH-1 Tianhe-1) utilizando um foguetão CZ-5B Chang Zheng-5B a partir de Wenchang. A acoplagem do TZ-2 com o módulo Tianhe-1 irá abrir a porta para o lançamento da próxima missão espacial tripulada da China, a SZ-12 Shanzhou-12.

Imagens: Internet Chinesa

 

%d blogueiros gostam disto: