Segundo Angara-A5/Briz-M lançado desde Plesetsk

Cerca de seis anos após o seu voo inaugural, a Rússia levou a cabo o lançamento do foguetão 14A127 Angara A5/Briz-M (71752/88802 (88534)) numa missão de teste a partir do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk, Arkhangelsk. O lançamento teve lugar às 0550:00,282UTC do dia 14 de Dezembro de 2020 a partir do Complexo de Lançamento LC35/1.

Este é o mais potente foguetão russo desde o lançamento do foguetão 11K25 Energia com o vaivém espacial Buran a 15 de Novembro de 1988 e o foguetão mais potente alguma vez lançado desde território Russo.

Tal como a primeira missão, este voo teve como objectivo analisar os parâmetros do novo lançador numa missão para uma órbita quase geostacionária transportando uma carga de avaliação GVM (ГВМ Габаритно-Весовой Макет) que representa um modelo de um satélite geostacionário. O GVM tinha uma massa de 2.400 kg.

Lançamento do segundo Angara-A5

A 14 de Agosto de 2020 os diferente componentes do Angara-A5 (71752) eram transportados via caminho-de-ferro desde o Centro de Produção Khrunichev, Moscovo, para o Cosmódromo GIK-1 Plesetsk onde chegaria a 17 de Agosto. Nesta altura o lançamento estava agendado para o dia 3 de Novembro. Porém, em princípios de Outubro o lançamento era agendado para o dia 14 de Novembro. Um novo adiamento ocorreria em finais de Outubro, com o segundo lançamento de um foguetão Angara-A5 a ser agendado para 28 de Novembro.

No dia 17 de Novembro o foguetão Angara A5/Briz-M era transportado desde o edifício de integração e montagem para a plataforma de lançamento. Estes testes na plataforma de lançamento LC35/1 incluíram testes eléctricos e testes de interface com os sistemas da plataforma. O lançador foi abastecido com os propolentes num ensaio de abastecimento, tendo-se procedido à drenagem dos depósitos logo de seguida. Os procedimentos de abastecimento do estágio superior Briz-M foram também testados quando o foguetão foi transportado para a plataforma de lançamento.

A 23 de Novembro o lançamento era adiado devido a problemas técnicos que surgiram durante os testes na plataforma de lançamento.

O foguetão foi transportado de volta para as instalações de integração e montagem a 29 de Novembro e no dia seguinte teve lugar uma renião da Comissão Estatal para analisar os preparativos para o lançamento. Entretanto, e devido ao lançamento de um foguetão Soyuz-2-1b/Fregat com três satélites Gonets-M, e cuja trajectória passava nas proximidades da plataforma de lançamento do Angara-A5, foi decidido manter o veículo instalações de integração e montagem. Após o lançamento da missão Gonets-M a 3 de Dezembro, a Comissão Estatal reuniu-se a 4 de Dezembro para aprovar o transporte do Angara-5 para a plataforma de lançamento. A 7 de Dezembro era revelado que o lançamento teria lugar a 14 de Dezembro.

A 7 de Dezembro o lançador era transportado para a estação de abastecimento dos tanques de baixa pressão do estágio superior Briz-M. Os procedimentos de abastecimento demoraram dois dias. A 8 de Dezembro a Comissão Estatal para o lançamento do primeiro Angara-A5 levou a cabo uma reunião para analisar os preparativos para a missão e autorizou o transporte do lançador para a plataforma de lançamento. No dia 10 de Dezembro o foguetão era definitivamente transportado para a plataforma de lançamento.

Não foram revelados detalhes sobre as diferentes fases de voo do Angara-A5. No entanto, o voo inicia com a ignição do primeiro (propulsores laterais) e do segundo estágio (bloco central) na plataforma de lançamento. O veículo é lançado para uma órbita com uma inclinação de 63º, que é a inclinação orbital mais baixa que é possível atingir desde Plesetsk. Funcionando a máxima potência durante os primeiros 47 segundos de voo, o motor central irá diminuir então a sua potência para 30% da sua capacidade. A T+3m 33s termina a função dos quatro propulsores laterais que constituem o primeiro estágio, separando-se então. Os quatro URM-1 laterais separam-se com a ajuda de propulsores que os afastam do segundo estágio que entretanto entra em potência máxima.

O motor do segundo estágio regressa então à sua potência máxima, tendo uma queima com uma duração total de cerca de 5 minutos e 25 segundos, separando-se do terceiro estágio após um pequeno atraso. Esta separação é conseguida com a ajuda que quatro pequenos retro-motores na área interestágio. O terceiro estágio irá continuar a missão colocando o lançador numa velocidade quase orbital. O final da sua queima deverá ter lugar por volta de T+12m 30s. A separação do estágio Briz-M ocorre cerca de T+12m 28s.

Num perfil semelhante ao que acontece com as missões do foguetão 8K82KM Proton-M/Briz-M, o estágio Briz-M irá realizar de seguida uma curta queima para colocar o conjunto numa órbita inicial em torno da Terra. Nas horas seguintes o estágio Briz-M realiza mais três queimas, seguindo-se a separação da carga IPM-2. O estágio Briz-M ainda irá executar duas novas queimas para se colocar numa órbita acima da órbita geostacionária para impedir o possível impacto com outros satélites a esta altitude.

O foguetão 14A127 Angara-A5

O foguetão 14A127 Angara-A5 é o mais potente da família de lançadores modular Angara. O foguetão é composto por quatro propulsores laterais URM-1 em torno de um módulo central URM-1 (segundo estágio), sendo todos equipados com o motor RD-191. O terceiro estágio é composto por um módulo URM-2. Todos estes componentes foram testados no voo sub-orbital do foguetão Angara-1.2PP que teve lugar em Julho de 2014.

No estágio superior (quarto estágio) pode ser utilizado o Briz-M ou o KVTK. O estágio Briz-M utiliza propolentes hipergólicos, com o estágio KVTK a utilizar propolentes criogénicos.

O estágio URM-1 consome querosene e oxigénio líquido no seu motor RD-191. O estágio tem 2,9 metros de diâmetro, 25,695 metros de comprimento e uma massa de 9.800 kg sem propolente. A massa do propolente é de 132.600 kg, atingindo uma massa de 142.400 kg no lançamento.

O motor RD-181 está colocado num sistema de suspensão que lhe permite rodar até 8º para dirigir o lançador nos eixos vertical e lateral. A rotação do veículo é controlada através de dois estabilizadores aerodinâmicos e quatro propulsores instalados na parte inferior do lançador e alimentados pelo gás quente gerado pelo motor. O RD-191 desenvolve uma força de 1.922 kN (nível do mar) ou 2.085 kN (vácuo), tendo um impulso específico de 311,4 segundos (nível do mar) ou 337,5 segundos (vácuo). O seu tempo de queima é de 214 segundos (propulsor lateral) ou 325 segundos (módulo central).

O estágio URM-2 tem 3,6 metros de diâmetro e 6,87 metros de comprimento, transportando 35.800 kg de propolente (25.100 kg de LOX e 10.700 kg de querosene) e tendo uma massa de 4.000 kg sem propolentes (no lançamento tem uma massa total de 39.800 kg). Tal como o URM-1 consome querosene e oxigénio líquido que são consumidos pelo motor RD-0124A.

O RD-0124A desenvolve uma força de 294,3 kN (vácuo), tendo um impulso específico de 359 segundos (vácuo). O seu tempo de queima é de 424 segundos.

No lançamento o Angara-A5 tem uma massa de cerca de 773.000 kg (Briz-M) ou 790.000 (KVTK). Lançado desde o Cosmódromo de Plesetsk, este lançador é capaz de colocar uma carga de 24.500 kg numa órbita terrestre baixa a 200 km de altitude e com uma inclinação de 63,1º. Utilizando o estágio Briz-M é capaz de colocar uma carga de 5.400 kg numa órbita de transferência geostacionária ou de 3.000 kg directamente para a órbita geostacionária. Com o estágio KVTK, o Angara-A5 é capaz de colocar uma carga de 7.500 kg numa órbita de transferência geostacionária ou de 4.600 kg directamente para a órbita geostacionária.

De forma geral, o Angara-A5 tem um comprimento de 55,4 metros (Briz-M) ou 64,0 metros (KVTK), tendo um diâmetro no módulo central de 2,9 metros e uma envergadura de 8,86 metros.

Angara-A5 05

Angara

O estágio Briz-M tem um comprimento de 2,61 metros e um diâmetro de 4,10 metros. No lançamento tem uma massa de 22.170 kg, dos quais 19.800 kg são propolente (2.370 kg sem propolente). O seu motor S5.98M consome UDMH e N2O4. Desenvolve uma força de 19,6 kN, tendo um impulso específico de 326 segundos e um tempo de queima de 3.000 segundos.

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 6013

– Lançamento orbital Rússia: 3270 (54,38%)

– Lançamento orbital desde GIK-1 Plesetsk: 1639 (27,26% – 50,12%)

O quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2020 por polígono de lançamento.

 

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

6014 – 14 Dez (1900:??) – Rocket 3.2 – Kodiak PSC, LPB – Demo-2

6015 – 12 Dez (0900:??) – Electron/Curie (F17 “The Owl’s Night Begins”) – Onenui (Máhia), LC-1A – StriX-α

6016 – 17 Dez (1011:??) – PSLV-XL (PSLV-C50) – Satish Dawan SHAR, SLP – CMS-01 (GSAT-12R)

6017 – 17 Dez (????:??) – Falcon 9-103 (B1059.5) – CE Kennedy, LC-39A – NROL-108

6018 – 18 Dez (1226:??) – 14A14-1B Soyuz-2-1b/Fregat-M (V15000-004/123-08) – Vostochniy, L-1S – OneWeb (x36)



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post