Satélite de comunicações lançado desde Cabo Canaveral

A Space Exploration Technologies Corp. (SpaceX) colocou em órbita o satélite de comunicações Galaxy-37 para a Intelsat.

O lançamento teve lugar às 0500UTC do dia 3 de Agosto de 2023, sendo realizado a partir do Complexo de Lançamento SLC-4o do Cabo Canaveral SFS, Florida, pelo foguetão Falcon 9-243 (B1077.6). O primeiro estágio foi recuperado na plataforma flutuante Just Read The Instructions, no Oceano Atlântico.

O satélite foi colocado numa órbita com um perigeu a 155 km de altitude, apogeu a 55.989 km de altitude e inclinação orbital de 24,61.º. Posteriormente, o satélite irá manobrar para a sua órbita operacional na altitude geoestacionária.

O satélite Galaxy-37, com uma massa de 5.063 kg, junta-se a um grupo de quatro satélites (Galaxy-31, Galaxy-32, Galaxy-35 e Galaxy-36) com uma carga de comunicações em banda-C que serão operados pela Intelsat. Os satélites pertencem a uma encomenda inicial de seis satélites realizada pela Intelsat à Maxar Technologies (quatro satélites) e à Northrop Grumman (dois satélites) necessários para continuar os serviços de telecomunicações nos Estados Unidos com menos espectro em Dezembro de 2023. Mais tarde, a Intelsat decidiu encomendar um quinto satélite à Maxar Technologies, sendo este o Galaxy-37.

Os satélites serão utilizados para serviços de banda-C, principalmente para transmissão de sinal de televisão, que os operadores de satélite têm de realizar com menos banda-C nos Estados Unidos, após a Comissão Federal de Comunicações ter leiloado 300 megahertz de espectro para ser utilizado em redes 5G de telemóveis.

O Galaxy-37 é baseado na plataforma SSL-1300 e estará operacional na órbita geossíncrona na posição 127.° Longitude Oeste. Para além da carga de banda-C, o Galaxy-27 transporta uma carga de banda-Ku que irá fornecer continuidade para a rede de comunicações móveis para os serviços civis e militares, sendo utilizada em conjunto pela Intelsat e pela JSAT International, a subsidiária norte-americana da SKY Perfect JSAT Corp.

Lançamento do Galaxy-37

O satélite Galaxy-37 chegava ao Cabo Canaveral a 17 de Julho de 2023, iniciando-se cerca de três semanas de preparativos para o lançamento.

A plataforma de aterragem flutuante Just Read The Instructions deixou o Porto de Cabo Canaveral a 30 de Julho rebocada pela embarcação Crosby Skipper, enquanto que a embarcação de apoio Bob deixa o seu porto de abrigo no dia seguinte.

A cerca de dez horas do lançamento procedeu-se à activação eléctrica do foguetão Falcon-9. Tanto o lançador como a sua carga são submetidos a uma série de verificações testes antes do início do abastecimento do querosene RP-1. O Director de Voo consulta os controladores a T-38m, determinando assim se tudo está pronto para o início do abastecimento do lançador. O processo de abastecimento de RP-1 inicia-se a T-35m no primeiro estágio, seguindo-se o início do abastecimento do oxigénio líquido (LOX) na mesma altura. O abastecimento de LOX ao segundo estágio inicia-se a T-16m.

A fase terminal da contagem decrescente inicia-se com os motores a serem condicionados termicamente para o lançamento a T-7m. A T-1m é enviado um comando para o computador de voo para iniciar as verificações pré-lançamento e o sistema de supressão sónica é activado na plataforma de lançamento inundada por milhões de litros de água. Por esta altura os tanques de propelente também são pressurizados. A T-45s o Director de Lançamento da SpaceX verifica se todos os parâmetros estão prontos para a missão, sendo também verificado que o espaço aéreo está pronto para o lançamento. A sequência de ignição é iniciada a T-3s. A T=0s o foguetão abandona a plataforma.

Abandonando a plataforma de lançamento, o Falcon-9 inicia uma série de manobras para se colocar na trajectória de voo correcta. A fase MaxQ, de máxima pressão dinâmica, é atingida a T+1m 14s, sendo nesta altura que o lançador atinge o ponto mais elevado de ‘stress’ mecânico na sua estrutura.

O final da queima do primeiro estágio (MECO – Main Engine Cut-Off) ocorre a T+2m 33s, dando-se três segundos depois a separação entre o primeiro e o segundo estágio, com este a entrar em ignição a T+2m 44s (SES-1 Stage Engine Start 1).

A ejecção das duas metades da carenagem de protecção ocorre a T+3m 34s. A queima de reentrada do primeiro estágio ocorre entre T+6m 23s e T+6m 45s. O final da primeira queima do segundo estágio – (SECO-1 Second Engine Cut Off 1)  – ocorre a T+8m 8s. A queima de aterragem do primeiro estágio ocorre entre T+8m 26s e T+8m 30s, sendo recuperado com sucesso.

A segunda queima do segundo estágio decorre entre T+26m 33s e T+27m 30s. A separação do satélite Galaxy-37 ocorre a T+32m 31s.

Imagens: SpaceX e Maxar Technologies



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post