San Marco-2 – Lançamento desde o Índico

O satélite San Marco-2 foi o primeiro satélite a ser lançado desde uma plataforma de lançamento marítima. Este foi o segundo satélite construído pela Itália e foi projectado para estudar a densidade do ar a alta altitude e as suas variações em pequena escala, além de estudar as irregularidades dos electrões equatoriais e deduzir a propagação de ondas de rádio acima dos 200 km de altitude.

O satélite foi construído e montado no Centro de Investigação Aeroespacial (Centro Ricerche Aerospaziali – CRA) da Universidade de Roma.

O San Marco-2 tinha um diâmetro de 0,66 metros e uma massa de 129,3 kg. Tendo uma forma esférica, transportava duas experiências a bordo, sendo uma delas projectada para levar a cabo medições directas da densidade do ar acima dos 350 km de altitude e a outra era um farol ionosférico experimental desenvolvido para observar o conteúdo de electrões entre a Terra e o satélite.

A forma esférica do San Marco-2 era importante para a medição da densidade do ar dado que fornecia uma secção de área constante aos efeitos de desaceleração do ar. Isto simplificava a interpretação dos dados e eliminava a necessidade de um controlo de atitude do satélite. A sua estrutura era composta por um poste central cilíndrico e um tambor central ligado por três elementos de medição de tensão ortogonal ligados à fina camada externa de alumínio. O satélite era estabilizado por uma rotação de 6 rpm e possuía secções longitudinais pintadas de preto e branco na sua superfície externa para controlo térmico.

Uma antena de dipolo de meia onda com um comprimento de 5 metros era estendida ao longo do eixo de rotação somente quando o farol experimental era activado. O farol experimental utilizada um transmissor de 670 mW HF (20.005 MHz). Quatro antenas com um comprimento de 0,48 metros para telemetria e comando estendiam-se simetricamente a partir do equador do satélite. O satélite recebia energia a partir de quatro conjuntos de baterias de mercúrio e medições da atitude do satélite eram fornecidas por seis sensores de células solares. O sistema de telemetria PAM/FM/PM utilizava transmissores redundantes.

Lançamento do San Marco-2

O lançamento do San Marco-2 teve lugar às 1006:24UTC do dia 26 de Abril de 1967. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão Scout-B (S153C) a partir da Plataforma San Marco que na altura estava fundeada na Baía Formosa, costa do Quénia.

O satélite foi colocado numa órbita inicial com um perigeu a 218,8 km, apogeu a 748,7 km, período orbital de 94,28 minutos e inclinação orbital de 2,892.º, tendo recebido a Designação Internacional 1967-038A e o número de catálogo orbital 02761.

A 30 de Maio o satélite encontrava-se numa órbita com um perigeu a 210 km e apogeu a 683 km.

O farol experimental foi activado a 26 de Junho e operou durante três semanas, tendo registado 170 passagens sobre a estação de Nairóbi. O San Marco-2 teve um funcionamento normal até 5 de Agosto de 1967. Porém, a 14 de Agosto o fornecimento de energia havia diminuído, impossibilitando o controlo do satélite que acabaria por reentrar na atmosfera a 14 de Outubro de 1967.

O foguetão Scout-B era composto por um primeiro estágio Algol-IIB, por um segundo estágio Castor-II, o terceiro estágio era um Antares-II e o quarto estágio era um motor FW-4.

 



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post