Rússia lança Cosmos 2558

A Rússia levou a cabo um lançamento orbital secreto desde o Cosmódromo GIK-1 Plesetsk às 2025UTC do dia 1 de Agosto de 2022.

O lançamento teve lugar a partir do Complexo de Lançamento LC43/4 (17P32-4) e foi realizado por um foguetão 14A15 Soyuz-2.1v/Volga, colocando em órbita o satélite Cosmos-2558. O estágio superior Volga contendo a carga separou-se do estágio Blok-I às 2022UTC. A separação da sua carga tem lugar após várias manobras do estágio Volga.

A carga a bordo deste lançamento terá sido o satélite 14F150 n.º 3 (14F150 Napryazhenie), um satélite de inspecção de outros satélites em órbita. Estes satélites são construídos tendo por base uma plataforma multifuncional e podem monitorizar outros satélites a partir da sua órbita. O equipamento óptico do Cosmos 2558pode também ser utilizado para obter fotografias da superfície terrestre.

A bordo poderão ainda existir outros pequenos satélites.

 

 

 

 

 

O foguetão 14A15 Soyuz-2.1v/Volga

O foguetão 14A15 Soyuz-2.1v é a mais recente derivação do míssil balístico intercontinental R-7 desenvolvido nos anos 50 do Século XX por Sergei Korolev. De forma geral o novo foguetão pode ser descrito como um foguetão Soyuz mas sem incluir os característicos quatro propulsores laterais. Por outro lado, o primeiro estágio foi também modificado.

O primeiro estágio do lançador é uma versão modificada do primeiro estágio utilizado no foguetão Soyuz-2, utilizando um único moto NK-33 que assim substitui o motor RD-117 de quatro câmaras de combustão utilizados em foguetões anteriores e juntamente com alterações estruturais no estágio e na estrutura dos tanques de propelentes. Como o motor NK-33 está fixo, é utilizado um motor RD-0110R para fornecer controlo vectorial, fornecendo também mais 230,5 kN de força e proporcionando aquecimento aos gases de pressurização. Anteriormente utilizado no foguetão lunar N-1, o NK-33 fornece uma maior performance em relação ao RD-117. Porém, existe um número muito limitado destes motores disponíveis e assim no futuro o NK-33 será substituído pelo motor RD-193. Este motor é uma versão mais leve do motor RD-191 utilizado nos foguetões Angara.

O segundo estágio do Soyuz-2.1v é o mesmo que é utilizado como terceiro estágio do foguetão Soyuz-2.1b, estando equipado com um motor RD-0124.

O terceiro estágio do lançador é constituído por um estágio superior Volga que é utilizado para manobrar as cargas a partir da órbita inicial para a órbita final. Este estágio é derivado do sistema de propulsão dos satélites de reconhecimento Yantar, sendo mais leve e mais barato do que os estágios Fregat.

O foguetão é capaz de colocar uma carga de 2.850 kg numa órbita terrestre baixa a 51,8.º,  2.800 kg numa órbita terrestre baixa a 62,8.º ou 1.400 kg numa órbita terrestre sincronizada com o Sol.

No total o foguetão tem um comprimento de 44,0 metros e um diâmetro de 3,00 metros. A sua massa é de 158.000 kg. O foguetão é desenvolvido pela TsSKB Progress.

O estágio superior 14S46 Volga, também designado por 141KS, é um estágio superior que pode ser utilizado com os foguetões Soyuz-2.1a e Soyuz-2-1v para inserir cargas na órbita sincronizada com o Sol. É derivado do módulo de propulsão dos satélites espiões Yantar e o seu desenvolvimento Está intimamente relacionado com o estágio superior do Ikar.



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post