Rosetta – região Bes no hemisfério sul do 67P

No dia 6 de agosto de 2014, após uma década de viagem pelo espaço interplanetário, a sonda Rosetta da ESA chegou ao seu objetivo final: um cometa denominado 67P/Churyumov-Gerasimeno (67P/C-G). A missão foi a primeira a aterrar com sucesso num cometa, quando enviou à superfície um módulo de aterragem, chamado Philae, alguns meses depois, enquanto a sonda estudou o 67P/C-G em detalhe, antes do final da missão a 30 de Setembro de 2016.

Ao longo da sua vida útil, Rosetta cartografou, extensivamente, a superfície do cometa, que desde então foi dividida em 26 regiões geológicas, nomeadas em homenagem às antigas divindades egípcias. O cometa inteiro foi comparado à forma de um pato, com uma pequena “cabeça” ligada a um “corpo” maior.


Esta imagem mostra uma secção do 67P/C-G conforme visualizada pela câmara de alta resolução OSIRIS da Rosetta, no dia 10 de Fevereiro de 2016 – o astrónomo amador Stuart Atkinson, do Reino Unido, seleccionou e processou esta imagem a partir do arquivo de imagens OSIRIS. É uma secção de uma imagem maior que mostra uma visão ligeiramente mais ampla da região “Bes” no corpo do cometa (Bes é a divindade protectora de famílias, crianças e mães). Esta mostra a superfície desigual e sombreada do cometa em detalhe – particularmente proeminente à direita do centro encontra-se uma característica vertical cercada por depressões dispersas, afloramentos cobertos de pedregulhos e detritos menores.

Explore o arquivo completo das imagens da missão aqui.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

 

%d blogueiros gostam disto: