RocketLab vai lançar 30 satélites e tentar recuperar o primeiro estágio do foguetão Electron

A RocketLab irá tentar pela primeira vez a recuperação do primeiro estágio do foguetão Electron a 19 de Novembro de 2020 na missão ‘Return To Sender’.

O lançamento do Electron F16 está previsto para as 0144UTC a partir do Complexo de Lançamento LC-1 do Centro de Lançamentos de Máhia, Nova Zelândia.

Esta missão irá colocar em órbita 30 satélites: com uma massa de 1,33 kg, o APSS-1 é um CubeSat-1U desenvolvido pelo Auckland Programme for Space Systems da Universidade de Auckland para testar se os distúrbios ionosféricos podem ser utilizados para prever sismos na superfície terrestre; os satélites Dragracer A (Alchemy) e Dragracer B (Augury) – baseados nos modelos CubeSat-6U e com uma massa de 12,5 kg – fazem parte de uma missão para demonstrar a remoção orbital electrodinâmica de satélites para mostrar que um pequeno satélite com um cabo implantável pode ser retirado de órbita em poucas semanas; os satélites BRO-1 e BRO-2 (Breizh Reconnaissance Orbiter) foram desenvolvidos pela UnseenLabs (carga) e pela GOMSpace (modelo) e são baseados no modelo CubeSat-6U, sendo utilizado para a monitorização espectral e serviços de inteligência electromagnética para vigilância marítima e tráfego aéreo; 24 satélites SpaceBEE para a Swarm Technology que são baseados na plataforma CubeSat-0.25 e que serão utilizados para comunicações bidireccionais e transmissão de dados; finalmente o Gnome Chompski é uma estatueta de titânio de 15 cm impressa em 3D que permanecerá fixada ao estágio Curie, servindo como simulador de massa.



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post