RocketLab lança missão para o NRO

Na sua primeira missão de 2020, a RocketLab levou a cabo o lançamento da missão NROL-151 para o National Reconnaissance Office (NRO). O lançamento teve lugar às 0256UTC a partir do Complexo de Lançamento LC-1 do Centro de Lançamentos de Máhia, Onenui – Nova Zelândia.

Todas as fases do lançamento decorreram como previsto e o foguetão Electron/Curie (F11 ‘Birds of a Feather’) colocou a sua carga na órbita prevista

“Birds Of A Feather” foi uma missão dedicada para o NRO. Com sede em Chantilly na Virginia, o NRO desenvolve e opera satélites inteligentes únicos e inovadores de modo a garantir a segurança nacional dos Estados Unidos.

O NRO, após um concurso, atribuiu o contrato no âmbito do Rapid Acquisition of a Small Rocket (RASR), que permite explorar novas oportunidades de lançamento que podem oferecer uma aproximação comercial simplificada para colocar pequenos satélites no espaço.

Por mais de seis décadas, o NRO respondeu as mais duras questões relacionadas com a segurança nacional com arrojada e inovadora tecnologia e o NROL-151 mantém-se firme na sua tradição. O logótipo desta missão é uma maneira alegre para desejar boa sorte ao lançamento.

Nesta missão a carga é secreta a após entrar em órbita recebeu a designação militar USA-294.

No ano de 2020 a RocketLab continua a estudar o comportamento do Electron para a sua futura reutilização. Logo nesta missão a RocketLab tentou outra vez uma reentrada guiada do primeiro estágio do seu lançador através da atmosfera – uma manobra bem sucedida já conseguida na missão “Running Out Of Fingers”. Um sistema de controlo de reacção embutido no lançador orientou o primeiro estagio 180.º durante a sua reentrada atmosférica, para permitir que sobrevivesse ao calor e a pressão durante a descida.

Para esta missão a câmara no primeiro estagio documentou a vista da reentrada. A imagem foi disponibilizada durante a transmissão do lançamento embora a telemetria tenha sido perdida aos 30 km de altitude resultando numa perda do vídeo.Outros aspectos designados para dar suporte aos esforços de recuperação incluíam sistemas de navegação actualizados, incluindo telemetria na banda S e computadores a bordo para reunir e transmitir os dados durante a descida do primeiro estagio.

Lançamento

O foguetão Electron era colocado na sua posição vertical a T-4h 00m e iniciava-se o processo de abastecimento de querosene. O pessoal de apoio na plataforma de lançamento deixava a área a T-2h 30m e o abastecimento de oxigénio líquido (LOX) iniciava-se a T-2h 00m.

As autoridades de aviação locais eram informadas sobre o lançamento a T-30m para assim poderem avisar os aviadores naquele espaço aéreo. Os preparativos finais para o lançamento iniciam-se a T-18m. A sequência automática de lançamento inicia-se a T-2m, com o computador de bordo do Electron a tomar conta das operações. A ignição dos motores do lançadores inicia-se a T-2s.

O foguetão abandona a plataforma de lançamento a T=0s, com uma ascensão lenta nas fases iniciais e ganhando velocidade à medida que ganha altitude. O final da queima do primeiro estágio termina a T+2m 37s e a sua separação ocorre quatro segundos mais tarde. A ignição do motor do segundo estágio ocorre a T+2m 44s. Os sistemas de controlo de reacção são ligados para dar começo a manobra de orientação aos T +3m 2s A separação da carenagem de protecção ocorre a T+3m 16s. Aos T+06m 18s ocorre a troca de baterias eléctricas que dão o impulso eléctrico necessário a ignição do motor Rutherford Vacuum. Aos T+6m 30s a manobra de orientação fica completa posicionando assim o Electron no correcto angulo de ataque para a descida. Aos T+7m 35s o Electron atinge a parede que será quando o Electron fica transónico.

O segundo estágio atinge a órbita terrestre a T+8m 57s. A separação entre o segundo estágio e o estágio Curie ocorre e T+9m 05s. Aos T+9m 7s o primeiro estagio amara e desintegra-se completamente no impacto. O final da queima do estágio Curie ocorre a T+50m 00s. Primeiramente foi informado que a carga era separada do estagio Curie pelos T+60m 00s, mas esta informação foi posteriormente omitida.

Texto de Salomé T. Fagundes

O foguetão Electron

O Electron é um lançador a dois estágios com um comprimento de 17 metros e um diâmetro de 1,2 metros. É capaz de colocar em órbita terrestre baixa uma carga de 225 kg, sendo a sua carga nominal de 150 kg (a 500 km de altitude). Devido ao seu desenho e fabrico, o Electron é elaborado com altos níveis de automatização.

O lançador tira partido de materiais compósitos na sua fuselagem, tendo uma estrutura forte e super leve. Da mesma forma, os tanques de propolente são fabricados em materiais compósitos.

O primeiro estágio está equipado com nove motores Rutherford e tem uma capacidade de 162 kN, com um impulso específico de 303 s. O motor Rutherford consome querosene e oxigénio líquido, utilizando componentes impressos em 3D.

O motor Rutherford é um motor topo de gama que se alimenta de querosene e oxigénio líquido, e que foi especificamente projectado para o foguetão Electron utilizando um ciclo de propulsão inteiramente novo. Uma característica única deste motor são as turbinas eléctricas de alta performance que reduzem a sua massa e que substituem hardware por software. O motor Rutherford é o primeiro motor do seu tipo que utiliza impressão 3D nos seus componentes principais. Estas características são únicas no mundo para um motor de propelentes líquidos de alta performance alimentados por turbobombas eléctricas. O seu desenho orientado para a produção permitem que o Electron seja construído e os satélites lançados com uma frequência sem precedentes.

Lançamento Missão Veículo Lançador Data de Lançamento Hora

(UTC)

Carga
2018-010 F2 Still Testing 21 / Jan / 2018 01:30 Dove Pioneer

Lemur-2 (72) ‘Tallhamn-ATC’

Lemur-2 (73) ‘Marshall’

Humanity Star

2018-088 F3 It’s Business Time 11 / Nov / 2018 03:50 CICERO-10

Lemur-2 (82) ‘Zupanski’

Lemur-2 (83) ‘Chanusiak’

Irvine-01

NABEO (Pride of Bavaria)

Proxima-I

Proxima-II

2018-104 F4 This One’s For Pickering 16 / Dez / 2018 06:34 ALBus

CeREs

CHOMPTT

Da Vinci

ISX

NMTSat

RSat-P

Shields-1

STF-1

CubeSail-1

CubeSail-2

TOMSat Eagle Scout

TOMSat R3 (AeroCube-11)

Goergen (SHFT-1)

2019-016 F5 Two Thumbs Up 28 / Mar / 2019 23:27 R3D2
2019-026 F6 That’s A Funny Looking Cactus 05 / Mai / 2019 06:00 Harbinger (ICEYE-X3)

SPARC-1

Falcon-ODE

2019-037 F7 Make it Rain 29 / Jun / 2019 04:30 BlackSky Global-3

Prometheus-2 (5)

Prometheus-2 (6)

ACRUX-1

SpaceBEE-8

SpaceBEE-9

Painani-1

2019-054 F8 Look Ma, No Hands 19 / Ago / 2019 12:12 BlackSky Global-4

BRO-1

Pearl White-1

Pearl White-2

2019-069 F9 As The Crow Flies 17 / Out / 2019 01:22 PALISADE (Demo-1)
2019-084 F10 Running Out Of Fingers 6 / Dez / 2019 08:18 ATL-1

FossaSat-1

NOOR-1A

NOOR-1B

SMOG-P

TRSI-Sat

ALE-2

2020-007 F11 Birds of a Feather 31 / Jan / 20 02:56 NROL-151

O segundo estágio do lançador é propulsionado por um motor derivado do motor Rutherford melhorado para uma excelente performance em condições de vácuo. É capaz de desenvolver 22 kN de força e um impulso específico de 333 s.

O Complexo de Lançamento LC-1 localizado na Península de Máhia entre Napier e Gisborne, na costa Este de Ilha do Norte da Nova Zelândia. Este é o primeiro complexo orbital na Nova Zelândia e o primeiro complexo a nível mundial operado de forma privada. A localização remota do LC-1, e de forma particular o seu baixo volume de tráfego marítimo e aéreo, é um factor chave que permite um acesso sem precedentes ao espaço. A posição geográfica deste local permite que seja possível a uma grande gama de azimutes de lançamento – os satélites lançados desde Máhia podem ser colocados em órbitas com uma grande variedade de inclinações para assim proporcionar serviços em muitas áreas em torno do globo.

Texto de Rui C. Barbosa

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5914

– Lançamento orbital EUA: 1681 (28,42%)

– Lançamento orbital desde Onenui (Máhia): 11 (0,19% – 0,65%)

Os quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2020 por polígono de lançamento.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

5915 – 06 Fev (2142:41) – 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat-M – Baikonur, LC31 PU-6 – OneWeb (x34)

5916 – 08 Fev (0415:XX) – Atlas-V/411 (AV-087) – Cabo Canaveral AFS, SLC-41 – Solar Orbiter

5917 – 09 Fev (2239:XX) – Antares-230+ – MARS Wallops Isl., LP-0A – Cygnus NG-13 (CRS-13) “SS Robert H. Lawrence”

5918 – 10 Fev (XXXX:XX) – GSLV MkII F10 – Satish Dawan SHAR, SLP – GISAT-1

5919 – 11 Fev (XXXX:XX) – Simorgh – CE Iman Khmeini, LC-2 – Zafar-1

%d blogueiros gostam disto: