Possível tripulação da Shenzhou-15

A China está a preparar o lançamento da sua próxima missão espacial tripulada, a Shenzhou-15, que irá partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, Mongólia Interior, a 29 de Novembro. O lançamento deverá ter lugar pelas 1508UTC.

Esta será a primeira vez que uma tripulação chinesa irá substituir uma outra em órbita, iniciando assim o que se espera venha a ser uma presença permanente da China em órbita terrestre.

Actualmente, a tripulação da Shenzhou-14 ocupa a estação espacial Tiangong, sendo composta por Chen Dong, Liu Yang e Cai Xuzhe. Após um período de cerca de sete dias, a Shenzhou-14 irá regressar à Terra a 5 de Dezembro, finalizando uma missão de cerca de seis meses em órbita.

A China apenas anuncia as suas tripulações um ou dois dias antes do lançamento, mas segundo informação veiculada por Tony Quine tendo por base uma fonte interna, a tripulação da Shenzhou-15 poderá ser composta por Fei Junlong, Deng Qingming e Zhang Lu.

Nascido a 5 de Maio de 1965, Fei Junlong será o Comandante da Shenzhou-15, tendo já realizado uma missão espacial como Comandante da Shenzhou-6 entre 12 e 16 de Outubro de 2005. Fei Junlong nasceu em Kunshan, província de Jiangsu, e fez parte do primeiro grupo de taikonautas seleccionado a 5 de Janeiro de 1998.

Esta será a primeira missão espacial para Deng Qingming que nasceu a 16 de Março de 1965 em Dongji, província de Jiangxi, que pertence também ao primeiro grupo de taikonautas. Também será a primeira missão para Zhang Lu que foi seleccionado a 5 de Maio de 2010 no segundo grupo de taikonautas.

A estação espacial Tiangong

A estação espacial modular Tiangong é um laboratório orbital do tipo ‘Mir’, sendo constituída por um módulo central ao qual serão acrescentados outros módulos de forma gradual.

A estação é composta pelos módulos Tianhe (módulo central), pelos módulos científicos Wentian e Mengtian, e pelo Xuntian (módulo em voo livre). Com uma cápsula Shenzhou acoplada, a massa total do complexo orbital (três módulos) será de 62.000 kg.

Os módulos Wentian e Mengtian são módulos científicos com uma massa de cerca de 20.000 kg, comprimento de 14,4 metros e um diâmetro de 4,2 metros. São módulos pressurizados construídos a partir das experiências obtidas com o módulo orbital Tiangong-2 e serão utilizados para levar a cabo experiências nas áreas das ciências da vida, biotecnologia, física, ciências dos materiais, microgravidade, etc. Para além das experiências localizadas no interior pressurizado, ambos os módulos são capazes de albergar experiências exteriores tanto e plataforma de exposição ao ambiente espacial, como fixadas nas respectivas fuselagens. Os módulos foram acoplados no porto de acoplagem axial do módulo Tianhe e posteriormente transferidos para um porto lateral utilizando um sistema de manipulação remota operado a partir do interior da estação espacial ou de forma remota a partir do centro de controlo.

A zona habitável no Tianhe é de 50 m3, atingindo os 110m3 se se combinar as áreas habitáveis dos outros dois módulos.

O módulo Wentian tem sistemas de controlo adicionais que poderão ser utilizados caso surja algum problema com o Tianhe. O módulo Mengtian possui funções similares ao Wentian, mas está equipado com uma escotilha especial para permitir as entrada e saída de carga e instrumentos com o auxílio dos tripulantes ou de forma autónoma utilizando o sistema de manipulação remota.

A representação dos módulos Wentian e Mentian (Space Shuttle Almanac)

No total, existem dezesseis prateleiras experimentais (racks) entre o módulo principal, os dois módulos experimentais e uma plataforma externa de experimentos. As prateleiras experimentais têm cerca de 1,8 metros de altura, 1 metro de largura e 0,9 metros de profundidade, pesando menos de 500 kg.

Um outro módulo experimental, o Xuntian (Cruzador dos Céus), será um telescópio espacial com um espelho de dois metros de diâmetro. O módulo não estará acoplado ao complexo Tiangong, mas orbitará perto da estação, podendo ser acoplado à mesma para operações de reparação. Será usado para estudar o mecanismo de expansão acelerada do universo, para estudos sobre a energia e matéria escura, e a origem e evolução do universo.

A estação espacial é regularmente abastecida com os veículos de carga Tianzhou, cujo primeiro foi lançado em Abril de 2017 para a estação espacial Tiangong-2.



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post