Os satélites de vigilância electrónica Tselina

A União Soviética desenvolveu vários tipos de satélites de vigilância electrónica da série Tselina. Estes satélites tinham como função fazer a vigilância electrónica dos sistemas de radar e o seu desenvolvimento foi dividido em duas fases.

A Fase 1 incluiu o desenvolvimento de veículos espaciais de vigilância electrónica tendo por base a experiência no desenvolvimento dos veículo unificados DS-U1 e DS-U2, e o lançamento de dois satélites experimentais DS-K 40 que seriam perdidos devido a falhas com o foguetão lançador.

A Fase 2 incluiu o desenvolvimento de satélites de vigilância electrónica para o sistema Tselina que incorporavam uma instrumentação muito mais leve baseada em micro componentes. Assim, os satélites Tselina-О, Tselina-D, Tselina-2 e Tselina-R a atingiram todos os objectivos da vigilância electrónica.

Colocados em órbita por foguetões 11К65М Kosmos-3M, os satélites 11F616 Tselina-O tinha uma massa que variava dos 339 kg aos 434 kg. Destinados a vigilância electrónica, tinham uma vida útil em órbita de seis meses e os veículos eram melhorados, com nova instrumentação a ser proporcionada para os satélites Tselina-OM e Tselina-OK.

O primeiro satélite Tselina-O (03021 1967-108A) foi colocado em órbita às 1759:59UTC do dia 30 de Outubro de 1967 a partir do Complexo de Lançamento LC132/2 do Cosmódromo NIIP-53 Plesetsk. Recebendo a designação Cosmos 189 iria reentrar na atmosfera terrestre a 8 de Junho de 1978. O último satélite deste tipo a ser colocado em órbita foi o Cosmos 1345 (13118 1982-026A) lançado às 0907UTC do dia 31 de Março de 1982 pelo foguetão 11K65M Kosmos-3M (53747241) a partir do Complexo de Lançamento LC132/2 do Cosmódromo NIIP-53 Plesetsk. Reentraria na atmosfera terrestre a 27 de Setembro de 1989.

Os satélites 11F619 Tselina-D, também designados Ikar, eram satélites de vigilância electrónica e forneciam observações detalhadas de fontes de rádio detectadas pelos satélites Tselina-O. Lançados por foguetões 8А92M Vostok-2M ou 11K68 Tsyklon-3, os satélites desta série tinham uma massa de 1.750 kg e uma vida operacional de seis meses.

O primeiro Tselina-D foi colocado em órbita às 1619UTC do dia 18 de Dezembro de 1970 por um foguetão 8А92M Vostok-2M a partir do Complexo de Lançamento LC41/1 do Cosmódromo NIIP-53 Plesetsk. Recebendo a designação Cosmos 389 (04813 1070-113A), reentraria na atmosfera terrestre a 24 de Novembro de 2003. O último satélite da série a atingir a órbita terrestre seria o Cosmos 2228 (22286 1992-094A) lançado às 2008UTC do dia 25 de Dezembro de 1992 por um foguetão 11K68 Tsyklon-3 a partir do Complexo de Lançamento LC32/? do Cosmódromo NIIP-53 Plesetsk. A 25 de Maio de 1994 era lançado o último satélite desta série às 1014:59,595UTC a bordo de um foguetão 11K68 Tsyklon-3. O lançamento teve lugar a partir do Complexo de Lançamento LC32/2 do Cosmódromo GNIIP Plesetsk. Porém, um problema com o foguetão lançador levou à perda do satélite.

Os satélites 11F619M Tselina-R eram versões melhoradas dos satélites Tselina-D e tinham como função vigiar várias fontes de sinais de rádio. Os satélites desta série tinham uma massa de 1.750 kg e uma vida operacional de seis meses, sendo colocados em órbita por foguetões 11K68 Tsyklon-3.

O primeiro Tselina-R foi colocado em órbita a 10 de Dezembro de 1986. Muitas vezes confundido com um satélite Tselina-D, este satélite recebeu a designação Cosmos 1805 (17191 1986-097A) e foi lançado às 0726UTC a partir do Complexo de Lançamento LC32/2 do Cosmódromo NIIP-53 Plesetsk. Foram colocados em órbita quatro satélites desta série, com o último a ser lançado às 0749UTC do dia 16 de Abril de 1993 e a receber a designação Cosmos 2242 (22626 1993-024A).

Os satélites 11F644 Tselina-2 foram desenvolvidos como veículos de substituição para os satélites do sistema da primeira geração, sendo baseados nos satélites Tselina-D. Nos anos 70 foram desenvolvidas as especificações para um sistema com um modelo melhorado contendo um leque de frequências alargado e um método a bordo de determinação da posição de transmissores fixos no solo. Em Março de 1973 era autorizado o projecto original para os satélites Tselina-2 que iriam utilizar um modelo de satélite desenvolvido pela KB Yuzhnoye, enquanto a carga de inteligência electrónica seria desenvolvida pela TsNIRTI Minradioprom. Estas especificações levavam a um veículo com uma massa e tempo de vida útil mais alargados, sendo lançados pelo foguetão 11K77 Zenit-2. As transmissões de dados seriam feitas através de satélites na órbita geossíncrona directamente para as estações no solo. Os satélites, com uma massa de cerca de 3.250 kg, eram estabilizados nos seus três eixos espaciais com a adição de um mastro de gradiente de gravidade. Os dois primeiros satélites seriam colocados em órbita por foguetões 8K82K Proton-K/DM-2 devido a atrasos no desenvolvimento do lançador Zenit-2.

O primeiro satélite da série seria lançado às 1400UTC do dia 28 de Setembro de 1984 pelo foguetão 8K82K Proton-K/DM-2 (32702/6L) a partir da Plataforma de Lançamento PU39 do Complexo de Lançamento LC200 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. O satélite receberia a designação Cosmos 1603 (15333 1984-106A). O mais recente satélite da série, e possivelmente o último, – Cosmos 2428 (31792 2007-029A) – foi colocado em órbita às 1000:01,940UTC do dia 29 de Junho de 2007 pelo foguetão 11K77 Zenit-2 (70141301 (1-2005)) a partir da Plataforma de Lançamento PU-1 do Complexo de Lançamento LC45 do Cosmódromo GIK-5 Baikonur.



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post