O satélite Explorer-10

O satélite Explorer-10 foi lançado a 25 de Março de 1961 com a missão de estudar os campos magnéticos e o plasma à medida que passava pela magnetosfera terrestre e o espaço cislunar.

O seu lançamento teve lugar às 1517:04UTC e foi levado a cabo pelo foguetão Thor Delta (295/D4) a partir do Complexo de Lançamento LC17A do Cabo Canaveral. Após atingir a órbita terrestre foi-lha dada a Designação Internacional 1961 Capa (1961-010A) e catalogado com o número 00098.

Também designado P14, o satélite tinha uma massa de 79 kg e uma forma cilíndrica, sendo os seus instrumentos alimentados por baterias internas. A bordo encontravam-se dois magnetómetros de fluxo e um magnetómetro de vapor de rubídio que se prolongava do corpo principal do satélite (ambos desenvolvidos pelo Centro de Voo Espacial Goddard), além de uma sonda de plasma Faraday (desenvolvida pelo Instituto de Tecnologia do Massachusetts). O satélite era estabilizado por rotação com um período de 0,548 segundos.

Após se separar do último estágio do seu lançador, o Explorer-10 ficou colocado numa órbita altamente elíptica com um perigeu a 220 km de altitude, apogeu a 180.999 km de altitude, inclinação orbital de 33.º e período orbital de 83,50 horas. Devido ao tempo limite das suas baterias, a missão somente transmitiu informação durante 52 horas. A última informação útil foi transmitida quando se encontrava a 42,3 raios terrestres de distância, com todas as transmissões a cessar horas mais tarde.

O Explorer-10 reentraria na atmosfera terrestre a 30 de Junho de 1961.

____

Texto adaptado de https://nssdc.gsfc.nasa.gov/nmc/spacecraft/ (…) =1961-010A



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post