Northrop Gruman vai lançar nova missão logística para a ISS

Uma nova missão logística para a ISS terá lugar a 20 de Fevereiro com o lançamento do veículo de carga Cygnus NG-15 ‘SS Katherine Johnson’ na missão CRS-15. O lançamento está previsto para as 1736UTC e será levado a cabo por um foguetão Antares-230+ a partir da Plataforma de Lançamento LP-0A do MARS Wallops Island.

O Cygnus NG-15 da Northrop Gruman levará diversa carga, incluindo mantimentos e experiências científicas, e vários pequenos satélites entre os quais, o Gunsmoke-J 2, o IT-SPINS e nove satélites ThinSat-2.

Desenvolvido pelo Los Alamos National Laboratory (LANL) para o US Army SMDC (Space Missile Defense Command) com a missão de demonstrar a recolha avançada de informação em apoio directo das operações de combate do exército Norte-americano, os satélite Gunsmoke-J são baseados na plataforma CubeSat-3U, tendo uma massa de 5 kg. Na verdade, os satélites são compostos por um CubeSat-1.5U Prometheus Block-2, desenvolvido pelo LNAL, ao qual é acoplado um módulo experimental Gunsmoke-J 1.5. O fornecimento de energia e as comunicações são processados através do módulo Prometheus, enquanto que o módulo Gunsmoke-J utiliza sistemas electrónicos avançados para permitir a utilização de meios de inteligência para fornecer dados tácticos accionáveis para os combatentes de uma forma responsiva e persistente.

O satélite IT-SPINS (Ionospheric-Thermospheric Scanning Photometer for Ion-Neutral Studies) é um CubeSat-3U anteriormente designado como SpaceBuoy. Foi desenvolvido pela Space Science and Engineering Laboratory (SSEL) da Universidade Estatal do Montana, e irá demonstrar a utilidade de nano-satélites de baixo custo para fornecer observações para suplementar os modelos de previsão ionosférica. O satélite tem uma massa de 4 kg.

Os satélites ThinSat-2 (ThinSat-2A a ThinSat-2I) são desenvolvidos e operados pela Virginia Space. Os satélites têm como objectivo promover a educação STEM e promover a investigação em ciências espaciais e de engenharia a todos os níveis de ensino. Os estudantes irão analisar os dados obtidos pelas suas experiências e no final submeter um relatório onde é explicado as suas conclusões. Os dados são obtidos em tempo real através da rede Globalstar.



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post