NASA divulga imagem profunda e mais nítida do Universo

A agência espacial norte-americana NASA divulgou a imagem infravermelha mais profunda e mais nítida do Universo realizada até à data. Conhecida como ’Webb’s First Deep Field’, a imagem obtida pelo telescópio James Webb Space Telescope, mostra o enxame de galáxias SMACS 0723 e os seus detalhes são impressionantes.

MIlhares de galáxias – incluindo os objectos mais fracos alguma vez observados no infravermelho – surgem no campo de visão do James Webb pela primeira vez. Esta parte do vasto Universo cobre uma porção do céu do tamanho de um grão de areia segurado à distância de um abraço!

Esta imagem, obtida pelo instrumento Near-Infrared Camera (NIRCam), é uma composição feita com imagens obtidas em diferentes comprimentos de onda, totalizando 12,5 horas de observação – conseguindo profundidades em comprimentos de onda para lá dos campos mais profundos obtidos pelo telescópio espacial Hubble e que demoraram semanas a produzir.

A imagem mostra o enxame de galáxias SMACS 0723 como surgiu há 4,6 mil milhões de anos. A massa combinada deste enxame de galáxias age como uma lente gravitacional, magnificando galáxias muito mais distantes que se encontram atrás. A NIRCam conseguiu obter uma imagem nítida destas galáxias distantes – que têm pequenas e difusas estruturas que nunca haviam sido vistas anteriormente, incluindo enxames de estrelas e características difusas. Os investigadores irão em breve saber mais acerca das massas das galáxias, idades, histórias e suas composições, à medida que o James Webb procura pelas primeiras galáxias no Universo.

O telescópio espacial James Webb foi lançado a 23 de Dezembro de 2021 utilizando o foguetão Ariane-5ECA+ (L5115) a partir do Complexo de Lançamento ELA3 do CSG Kourou, Guiana Francesa.

A Near-Infrared Camera (NIRCam) proporciona imagens de alta resolução e espectroscopia para um grande leque de investigações. A NIRCam é o principal sistema de observação do James Webb e opera numa gama de comprimentos de onda entre 0,6 e 5 microns, onde a poeira se torna transparente. A NIRCam está equipada com coronógrafos, instrumentos que permitem aos astrónomos obter imagens de objectos muito, muito fracos e escuros ao redor de um objeto central brilhante, bloqueando a fonte de luz mais intensa, útil em investigações que procuram determinas as características dos planetas a orbitar estrelas próximas. A NIRCam foi construída por uma equipa na Universidade do Arizona e pelo Centro de Tecnologia Avançada da Lockheed Martin.

Imagem: NASA



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post