Michael Hopkins e Victor Glover realizam segunda actividade extraveícular

Os astronautas Michael Hopkins e Victor Glover, que fazem parte da Expedição 64 a bordo da estação espacial internacional, realizaram a sua segunda actividade extraveícular no exterior da ISS no espaço de menos de uma semana. Este passeio espacial teve como objectivo geral o melhoramento da estação orbital, ao finalizar a substituição de baterias na estrutura P4, e a realização de várias tarefas durante a denominada “US EVA-70”.

Michael Hopkins era designado EV-1 e envergou o facto extraveícular EMU 3006 (listas vermelhas), enquanto que Victor Glover era designado EV-2 envergando o EMU 3009 (sem listas).

A actividade extraveícular teve início às 1256UTC do dia 1 de Fevereiro de 2021 quando os fatos extraveículares dos dois astronautas começaram a utilizar a bateria interna para o fornecimento de energia. Ao contrário do que acontece nas actividades extraveículares Russas, nos passeios espaciais Norte-americanos estas têm início quando os fatos extraveículares começam a utilizar a bateria interna para o fornecimento de energia e não quando os astronautas se encontram no vácuo.

As primeiras tarefas a serem realizadas pelos dois astronautas foi a finalização da substituição das baterias na estrutura P4, finalizando assim uma tarefa que foi iniciada em 2017 com o objectivo de substituir todas as baterias de Ni-H2 (níquel-hidrogénio) por modernas baterias de iões de lítio.

As baterias na estrutura P4 foram substituídas por novas baterias de iões de lítio em Março de 2019 através de operações robóticas, porém, uma dessas baterias – localizada no canal 4A Integrated Electronics Assembly (IEA) – teve uma falha logo após a instalação. Esta bateria foi posteriormente removida e substituída por uma velha bateria de Ni-H2. Uma nova bateria foi então enviada a bordo da missão CRS-19 da SpaceX em Dezembro de 2019 e armazenada na plataforma exterior External Stowage Platform-3 (ESP-3). Antes desta actividade extraveícular, o sistema manipulador Special Purpose Dexterous Manipulator (SPDM), “Dextre”, removeu a nova bateria da ESP-3 e instalou-a no 4A IEA.

Duas velhas baterias Ni-H2 (uma das quais foi removida para a substituição da nova unidade de iões de lítio, e uma outra que estava temporariamente armazenada) foram transferidas para a ESP-3 para serem descartadas no futuro.

A tarefa dos dois astronautas era a de recolocar uma Placa de Adaptação da posição 2 para a posição 6 no 4A IES e conectar essa placa à nova bateria. A Placa de Adaptação é necessária porque uma bateria de lítio tem a capacidade de duas velhas baterias de Ni-H2, porém, dado que as velhas baterias eram instaladas aos pares, a Placa é necessária para essencialmente completar o circuito.

Enquanto que estavam na zona de trabalho da 4A IEA, os dois astronautas também iniciaram o trabalho num parafuso numa unidade Direct Current Switching Unit (DCSU) para assim permitir que no futuro o parafuso seja removido de forma automática. Também procederam à remoção de um dispositivo H, que é uma pequena interface robótica utilizada pelo Dexter, da Beta Gimbal Assembly em preparação da futura instalação de novos painéis solares.

De seguida, os dois astronautas deslocaram-se para o Camera Port 3 (CP3) na parte inferior exterior da estrutura S1 e substituíram um External Television Camera Group que é composto por uma câmara, sistema de iluminação e uma unidade de orientação. Depois, dirigiram-se para o CP13 no laboratório Destiny e substituíram a sua câmara por uma nova unidade de alta definição.

A tarefa final desta saída para o exterior da ISS foi a substituição de uma câmara no Japanese Experiment Module Remote Manipulator System (JEM RMS) após a qual os dois homens se dirigiram para o módulo Quest, finalizando assim a actividade extraveícular às 1816UTC, com uma duração de 5 horas e 20 minutos.

Esta foi a 234ª actividade extraveícular para a montagem ou manutenção da ISS, sendo a 2ª AEV em 2021 e a 3ª da Expedição 64. Michael Hopkins acumula um total de 25 horas e 14 minutos de tempo em actividade extraveícular, enquanto que Victor Glover acumula 12 horas e 16 minutos.

Imagens: NASA



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post