Lançamentos orbitais para Dezembro de 2020

O mês de Novembro de 2020 termina com um total de 13 lançamentos orbitais, sendo um deles mal sucedido, tendo sido colocados em órbita 122 satélites.

Até 30 de Novembro, terão sido realizados 450 lançamentos orbitais neste mês, o que corresponde a uma média de 7,3 lançamentos e a 8,0 % do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 – o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais com uma média de 5,5 lançamentos por mês de Janeiro, correspondendo a 6,0% do total de lançamentos e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais, correspondendo a 10,3% dos lançamentos e a uma média de 9,4 lançamentos por mês de Dezembro desde 1957.

 

O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo em 2020 (89) corresponde a 1,58% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

Nesta altura prevê-se que 2020 possa chegar aos 118 lançamentos orbitais.

Para Dezembro de 2020 estão previstos 17 lançamentos orbitais com datas já definidas, podendo chegar aos 20 lançamentos.

O primeiro lançamento orbital de Dezembro teve lugar do dia 2 com o foguetão 372RN21A Soyuz-ST-A/Fregat-M (N15000-010/133-??) a ser lançado na missão VS24 desde o Complexo de Lançamento ELS do CSG Kourou, Guiana Francesa, para colocar em órbita o satélite militar Falcon Eye-3. O lançamento teve lugar às 0133:28UTC.

Três satélites Gonets-M foram lançados desde o Cosmódromo GIK-1 Plesetsk às 0114:36,491UTC do dia 3 de Dezembro. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2-1b/Fregat (N15000-045/112-502) a partir do Complexo de Lançamento LC43/3. Juntamente com os satélites Gonets-M foi colocado em órbita o pequeno satélite Cosmos-2548 (ERA-1).

A China irá lançar um novo satélite de detecção remota a 6 de Dezembro, pelas 0355UTC. O lançamento do satélite GF-14 Gaofen-14 será levado a cabo por um foguetão CZ-3B Chang Zheng-3B/G5 a partir do Complexo de Lançamento LC3 do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang. Esta será a primeira utilização da versão G5 do CZ-3B.

Uma nova missão logística (Dragon SpX-21 ‘CRS-21’) será lançada para a estação espacial internacional a 6 de Dezembro. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão Falcon 9-101 (B1058.4) a partir do Complexo de Lançamento LC-39A do Centro Espacial Kennedy, Ilha de Merritt. O lançamento está previsto para as 1611UTC. Esta será a primeira missão com o novo veículo de carga baseado na cápsula Crew Dragon. Este veículo é composto por uma cápsula pressurizada e uma secção de carga não pressurizado. É utilizado para o transporte de carga pressurizada ou não pressurizada. As cápsulas Dragon são utilizadas para cumprir o contrato COTS com a NASA por parte da SpaceX.

A bordo será transportado o pequeno módulo Bishop. Anteriormente designado NanoRacks Airlock Module, é um pequeno módulo comercial com um escotilha que será acoplado à ISS. O Bishop irá permitir a colocação em órbita a partir da ISS de satélites com um volume cinco vezes superior aos actuais.

A 7 de Dezembro (e decorrendo até dia 18 de Dezembro) abre a janela de lançamento para a segunda missão de demonstração do lançador Rocket-3 da Astra Space Inc. O lançamento do Rocket-3.2 terá lugar a partir do Complexo de Lançamento LPB do Kodiak Pacific Spaceport Complex.

A missão GECAM (Gravitational wave high-energy Electromagnetic Counterpart All-sky Monitor), composta por dois satélites GECAM-A e GECAM-B, será lançada desde o Complexo de Lançamento LC4 do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang por um foguetão CZ-11 Chang Zheng-11 a 9 de Dezembro. Os dois satélites, também designados KX-08A e KX-08B, serão utilizados para procurar raios gama associados a eventos de ondas gravitacionais. Cada satélite transporta por um conjunto de 25 detectores de raios gamas e 8 detectores de partículas carregadas, fornecendo em conjunto um campo de visão da totalidade do céu. A sensibilidade dos detectores é de  cerca de 2E-8 erg/cm2/s. Irão fornecer uma localização com uma precisão de aproximadamente 1°. Os detectores são sensíveis nas bandas de energia de 6 keV a 5 MeV.

O lançamento do satélite de comunicações SiriusXM SXM-7 está previsto para as 1619UTC do dia 10 de Dezembro. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão Falcon 9-102 (B1051.7) a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS. O SiriusXM SXM-7 é baseado na plataforma SSL-1300 o satélite e tem uma massa de cerca de 7.000 kg. Foi construído pela Space Systems/Loral (actual Maxar Technologies), sendo um satélite de retransmissão de alta potência que será utilizado para serviços de áudio digital da SiriusXM. Irá operar em banda-S e irá gerar mais de 20 kW de potência, possuindo uma grande antena reflectora que irá permitir a retransmissão para rádios sem a necessidade da utilização de grandes antenas de recepção no solo.

Adiado desde Outubro devido a problemas técnicos na plataforma de lançamento, a United Launch Alliance deverá levar a cabo uma nova tentativa de lançamento da missão NROL-44. Esta missão deverá colocar em órbita um satélite militar de inteligência electrónica “Advanced Orion”. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão Delta-IV Heavy (D385) a partir do Complexo de Lançamento SLC-37B do Cabo Canaveral AFS, estando previsto para as 2250UTC do dia 10 de Dezembro.

A RocketLab deverá realizar a sua última missão em 2020 às 1009:30UTC do dia 12 de Dezembro. A missão “The Owl’s Night Begins” será lançada pelo foguetão Electron/Curie (F17) a partir do Complexo de Lançamento LC-1A do Centro de Lançamentos de Onenui (Máhia), Nova Zelândia. A bordo estará o satélite StriX-α que é um satélite equipado com um radar de abertura sintetizada de banda-X construído pela Synspective como missão de demonstração para a sua constelação de 25 satélites. É um satélite com um massa de 150 kg (sendo esta massa maior do que os satélites de 100 kg que irão constituir a constelação) e está equipado com duas asas: uma com células solares e outra com a antena do radar de banda-X.

A Índia irá realizar um novo lançamento orbital a 14 de Dezembro, pelas 0930UTC, para colocar em órbita o satélite CMS-01 (GSAT-12R). O lançamento será levado a cabo por um foguetão PSLV-XL (missão PSLV-C50) a partir da Plataforma de Lançamento SLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota. Baseado na plataforma I-1K, o GSAT-12 é um satélite de comunicações para substituir o satélite INSAT-3B. Transporta 12 repetidores de banda-C alargada e será colocado na órbita geossíncrona a 83º de longitude Este colocalizado com os satélites Insat-2E e Insat-4A. O seu tempo de vida será de 7 anos.

Adiado em finais de Novembro, o foguetão Angara-A5/Briz-M (71752/88802 (88534)) deverá ser lançado a 14 de Dezembro (ou 20 de Dezembro) a partir do Complexo de Lançamento LC35/1 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk. Este lançamento deverá colocar em órbita a carga IPM-2. Esta é uma carga de avaliação representando um modelo de um satélite de comunicações geostacionário.

Adiada de Novembro, no dia 17 de Dezembro deverá ter lugar uma nova missão para o NRO com o foguetão Falcon-9 (B1059.5) a ser lançado desde o Centro Espacial Kennedy, utilizando o Complexo de Lançamento LC-39A. Esta será a missão NROL-108 cuja carga é desconhecida.

A última missão orbital da Rússia em 2020 terá lugar a 17 de Dezembro com o foguetão 14A14-1B Soyuz-2-1b/Fregat-M (V15000-004/123-08) a ser lançado desde o Complexo de Lançamento LC-1S do Cosmódromo de Vostochniy para colocar em órbita 36 satélites OneWeb.

A Virgin Orbit irá levar a cabo a sua segunda missão orbital a 19 de Dezembro transportando dez pequenos satélites. O foguetão LauncherOne (F2) será transportado pelo avião Boeing 747-400 “Cosmic Girl” que irá levantar voo da pista RW12/30 do Mojave Air and Space Port às 1700UTC. A bordo do lançador estarão os satélites CACTUS-1 (ELaNa-20), CAPE-3, ExoCube-2, MiTEE-1, PICS-1, PICS-2, PolarCube, Q-PACE, RadFxSat-2 (Fox-1E) e TechEdSat-7.

O lançamento inaugural do novo foguetão Chinês, CZ-8 Chang Zheng-8, está previsto para 20 de Dezembro. Este será no futuro um foguetão cujo primeiro estágio será recuperável, porém nesta missão tal não acontecerá. O lançamento terá lugar a partir do Complexo de Lançamento LC201 do Centro de Lançamentos Espaciais de Wenchang, Hainan. A bordo estarão nove satélites, entre os quais o XJY-7 Xinjishu Yanzheng-7, Zhixing-1A, Haisi-1, Tianqi-?? e o pequeno satélite etíope de detecção remota ET-SMART-RSS.

A China deverá levar a cabo o lançamento do satélite Tiantong-1 (3) a partir do Complexo de Lançamento LC3 do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang. O lançamento será levado a cabo por um foguetão CZ-3B/G Chang Zheng-3B/G3 a 22 de Dezembro. Porém, devido a problemas com os aviões de transporte de cargas pesadas An-220 Antonov-220, este lançamento poderá vir a ser adiado para 2021. As informações acerca dos satélites Tiantong-1 são escassas, mas crê-se que se tratam de satélites com uma carga de comunicações de banda-S. Os satélites são desenvolvido pela Academia Chinesa de Tecnologia Espacial e são operados pela China SatCom, sendo um descendente do projecto CMMB. Na órbita geossíncrona, os Tiantong-1 fornecem serviços de comunicações móveis para a China e para o Médio Oriente, África e regiões do Oceano Pacífico e Oceano Índico. O subsistema de aplicações móveis foi desenvolvido pela Henan Communication Technology Co. Ltd., Xinxiang.

A 28 de Dezembro a Arianespace irá realizar o seu último lançamento orbital do ano ao colocar em órbita o satélite CSO-2. O lançamento será levado a cabo a partir do Complexo de Lançamento ELS do CSG Kourou por um foguetão 372RN21A Soyuz-ST-A/Fregat-M e esta será a missão VS25. Os satélites de reconhecimento óptico de alta-resolução CSO (Composante Spatiale Optique) são a componente óptica do programa MUSIS que rá substituir os actuais satélites de observação Helios-2. No lançamento o satélite tem uma massa de 3.655 kg e estará operacional por 10 anos. São baseados na plataforma AstroSat-1000 desenvolvida pela EADS Astrium (actual Airbus Defence and Space). A carga de observação foi desenvolvida pela Thales Alenia Space.

Até final do ano ainda poderemos assistir a três outros lançamentos cujas datas não estão definidas. Um foguetão CZ-4C Chang Zheng-4C poderá colocar em órbita três satélites que compõem a missão Yaogan Weixing-31 Grupo-02, com o lançamento a ser levado a cabo a partir do Complexo de Lançamento LC43/94 do Centro de Lançamento de satélites de Jiuquan. Poderá ser também a partir de Jiuquan que veremos o regresso ao activo do foguetão KZ-1A Kuaizhou-1A para colocar em órbita o satélite de detecção remota Jilin-1 Gaofen-02D ou Jilin-1 Gaofen-02e, ou os satélites GeeSat-A e GeeSat-1B. O satélite de comunicações Turksat-5A poderá ser colocado em órbita por um foguetão Falcon-9 a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS.



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post