Lançamentos orbitais para Abril de 2021

O mês de Março de 2021 termina com um total de 10 lançamentos orbitais, tendo sido colocados em órbita 327 satélites.

Até 31 de Março, terão sido realizados 446 lançamentos orbitais neste mês, o que corresponde a uma média de 7,1 lançamentos e a 7,9% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 – o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais com uma média de 5,5 lançamentos por mês de Janeiro, correspondendo a 6,1% do total de lançamentos e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais, correspondendo a 10,5% dos lançamentos e a uma média de 9,5 lançamentos por mês de Dezembro desde 1957.

O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo em 2021 (26) corresponde a 0,46% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

Para Abril de 2021 estão previstos 8 lançamentos orbitais com datas já definidas, podendo chegar aos 13 lançamentos.

O primeiro lançamento do mês de Abril deverá ter lugar às 1634UTC do dia 7 com o lançamento da missão Starlink F24 [v1.0 L23] a colocar em órbita um novo grupo de 60 satélite Starlink v1.0 da SpaceX. A missão deverá ser lançada pelo foguetão Falcon 9-113 (B1063.2) a partir do Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral SFS, Florida. Desenvolvidos pela SpaceX, os satélites Starlink v1.0 têm uma massa de cerca de 260 kg e transportam uma carga de comunicações de banda Ku/Ka além de um sistema de comunicações óptico inter-satélite.

No mês de Abril poderemos ainda vir a assistir ao lançamento de outras duas ou três missões para colocar em órbita satélites Starlink.

Uma nova tripulação para a estação espacial internacional será lançada pela Corporação Roscosmos a 9 de Abril. A Soyuz MS-18 ‘Yuri Gagarin’ será tripulada por Oleg Viktorovich Novitsky, Pyotr Valerievich Dubrov e Mark Thomas Vande Hei. O lançamento será levado a cabo por um foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1a a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. Oleg V. Novitsky, Pyotr V. Dubrov e Mark T. Vande Hei irão integrar a Expedição 64/65/66 a bordo da ISS.

O satélite Indiano de observação da Terra, EOS-03 (GISAT-1), será lançado a 18 de Abril pelo foguetão GSLV MkII (F10) a partir do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota. O EOS-3 é baseado na plataforma I-2K e tem uma massa de 2.268 kg no lançamento. O satélite irá operar a partir da órbita geoestacionária para facilitar a observação contínua do sub-continente Indiano, além de permitir uma monitorização rápida das ameaças e desastres naturais. Transporta uma carga de observação milti-espectral (visível, infravermelho próximo e térmico) e de multi-resolução (entre 50 m a 1,5 km), fornecendo imagens da área de interesse em tempo quase real.

A Arianespace irá lançar uma nova missão do seu foguetão Vega a 20 de Abril. O lançamento da missão VV18 está previsto para as 0150UTC a partir do Complexo de Lançamento ZLV do CSG Kourou, Guiana Francesa. A carga principal desta missão é o satélite Pléiades-Neo 3. Inicialmente designados VHR-2020, constituem uma constelação de quatro satélites de muito alta resolução para a observação da Terra desenvolvidos pela Airbus Defence & Space, sendo projectados como sendo os sucessores dos satélites Pléiades-HR. Os Pléiades-Neo estão equipados com um sistema de imagem com uma resolução de 30 cm e tendo possivelmente espelhos deformáveis CILAS. Irão utilizar terminais de transmissão de comunicações a laser TesatSpacecom para transferência de dados através da rede EDRS, permitindo o acesso às imagens em tempo real. Os satélites irão operar em órbitas a uma altitude média de 700 km em dois planos orbitais para permitir tempos de sobrevoo entra-dias.

Para além do Pléiades-Neo 3, a missão VV18 irá transportar os satélites EIRSAT-1, ELO Alpha, vários Lemur-2, Myriota-1, Myriota-2, Myriota-3, NORSAT-3, um satélite da NanoAvionics e vários outros pequenos satélites.

Novos membros para a Expedição 65 a bordo da estação espacial internacional serão lançados a 22 de Abril a bordo de uma cápsula Crew Dragon na missão USCV-2. O lançamento terá lugar pelas 1011UTC e será levado a cabo pelo foguetão Falcon-9 (B1061.2) a partir do Complexo de Lançamento LC-39A do Centro Espacial Kennedy, Ilha de Merritt – Florida. A bordo estarão Robert Shane Kimbrough, Katherine Megan McArthur, Akihiko Hoshide e Thomas Gautier Pasquet.

Um novo conjunto de 36 satélites OneWeb será colocado em órbita a 25 de Abril a partir do Complexo de Lançamento LC-1S do Cosmódromo de Vostochniy. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat (V15000-006/123-0x) na missão ST31 da Starsem, uma afiliada da Arianespace. Baseados na plataforma Arrow, os satélites OneWeb têm uma massa de 147 kg e são fabricados pela OneWeb Satellites.

A missão NROL-82 (que deverá colocar em órbita o satélite KH-11 18 ‘Crystal 18’) será lançada a 26 de Abril pelo foguetão Delta-IVHeavy (D386) a partir do Complexo de Lançamento SLC-.6 da Base Aérea de Vandenberg, Califórnia. Os satélites KH-11 (Key Hole 11 7 Kennen ou Crystal) são uma série de satélites de reconhecimento que utilizam sistemas de observação digitais electro-ópticos e fornecem uma capacidade de observação em tempo real. Crê-se que utilizam um espelho principal com um diâmetro de 2,4 metros, dando uma resolução teórica de 15 cm no solo. São fabricados pela Lockheed Martin.

O primeiro módulo da futura estação espacial modular Chinesa deverá ser colocado em órbita a 29 de Anril. O lançamento do módulo Tianhe-1 deverá ter lugar pelas 0300UTC e será levado a cabo pelo foguetão Chang Zheng-5B (Y2) a partir do Complexo de Lançamento LC101 do Centro de Lançamentos Espaciais de Wenchang, província de Hainan.

A estação espacial modular Tiangong será um laboratório orbital do tipo ‘Mir’, sendo constituída por um módulo central ao qual serão acrescentados outros módulos de forma gradual. A estação será composta numa primeira fase pelos módulos Tianhe-1 (módulo central), pelos módulos científicos Wentian e Mengtian, e pelo Xuntian.

O módulo Tianhe-1 tem uma massa de cerca de 20.000 kg, e será colocado numa órbita com uma altitude média de 393 km e com uma inclinação orbital de 42.º.

Para além destes lançamentos orbitais poderão ainda ocorrer outros dois lançamentos por parte da China. O foguetão Chang Zheng-6 (Y5) poderá colocar em órbita os satélites de detecção remota Qilu-1 e Qilu-4 a partir do Complexo de Lançamento LC16 do Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan. Uma carga desconhecida poderá ser lançada a bordo do foguetão Chang Zheng-11 (Y10) a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang.



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post