Lançamentos orbitais em Setembro de 2018

O mês de Agosto de 2018 termina com um total de 4 lançamentos orbitais, tendo sido colocados em órbita 5 satélites.

Até 31 de Agosto, foram realizados 466 lançamentos orbitais neste mês, o que corresponde a uma média de 7,8 lançamentos e a 8,7% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 (o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais – correspondendo a 6,1% dos lançamentos e a uma média de 5,3 lançamentos por mês de Janeiro desde 1957 – e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais, correspondendo a 10,4% dos lançamentos e a uma média de 9,2 lançamentos por mês de Dezembro desde 1957).


O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo em 2018 (63) corresponde a 1,18% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

O ano de 2018 perfila-se nesta altura para bater o recorde anual de lançamentos que está estabelecido em 129 ano ano de 1984. Para 2018 estão previstos nesta altura 152 lançamentos orbitais!

Para Setembro de 2018 estão previstos 8 lançamentos orbitais, originando da SpaceX, Arianespace, Japão, ULA, Índia e China. Este número poderá atingir os 10 lançamentos.

O primeiro lançamento de Setembro deverá ter lugar às 0328UTC do dia 9 de Setembro com o foguetão Falcon-9-062 (B1049) a ser lançado desde o Complexo de Lançamento SLC-40 do Cabo Canaveral AFS, numa missão comercial da SpaceX para colocar em órbita o satélite de comunicações Telstar 18 Vantage (APStar-5C). Construído pela Space Systems/Loral (SS/L), o Telstar-18V é baseado na plataforma SSL-1300 e transporta uma carga de transponders de banda-C e de banda-Ku. O satélite será colocado na órbita geossíncrona a 138º longitude Este. Parte da capacidade do satélite será utilizada pela APT Satellite Company Limited (APSTAR) – APStar-5C. O seu tempo de vida será de 15 anos.

A próxima missão logística para a estação espacial internacional será lançada a 10 de Setembro a partir do Centro Espacial de Tanegashima, pelas 2232UTC. O foguetão H-2B-304 (F7) será lançado desde a Plataforma de Lançamento LP-2 do Complexo de Lançamento Yoshinubo, transportando o veículo de carga HTV-7 Kounotori-7. Para além da usual carga para a tripulação permanente na ISS, o HTV-7 transporta os pequenos satélites SPATIUM-1, STAR-Me 1 e RSP-00.

O último foguetão Delta-II será lançado desde a Base Aérea de Vandenberg, Califórnia, a 15 de Setembro, pelas 1246UTC. O Delta-II-7420-10C (D381) irá colocar em órbita o satélite ICESat-2 a partir do Complexo de Lançamento SLC-2W. O Ice, Cloud & Land Elevation Satellite 2, é um satélite cientifico para medir as camadas de gelo polares, utilizando medições laser para determinar a espessura do gelo na Gronelândia e na Antárctica. Com uma massa de 1.387 kg, o ICESat-II foi construído pela Orbital Sciences Corporation (OSC) e é baseado no modelo LEOStar-3.

Para além do ICESat-2, a missão D381 transporta os satélites ELFIN (ELFIN-A), ELFIN-STAR (ELFIN-B), SurfSat e CP-7 (DAVE). Os satélites Electron Losses and Fields Investigation, ELFIN-A, e Electron Losses and Fields Investigation’s Spatio-Temporal Ambiguity Resolver, ELFIN-B, são pequenos CubeSat-3U desenvolvidos pelo Departamento de Ciências da Terra, Planetárias e Espaciais da UCLA em colaboração com a Corporação Aeroespacial para explorar os mecanismos responsáveis pela perda de electrões relativísticos a partir das cinturas de radiação em torno da Terra. Os satélites têm uma massa de 4 kg. O SurfSat (Surface charging Satellite) é um CubeSat-2U com uma massa de 2 kg, desenvolvido pela Universidade Central da Florida para medir a carga induzida pelo plasma na superfície do satélite e a descarga electrostática utilizando um sistema de sondas Langmuir. O satélite CP-7, também designado DAVE (Damping And Vibrations Experiment), vai medir a desaceleração das partículas para medir a sua frequência em microgravidade.

No dia 15 de Setembro a organização espacial Indiana, ISRO, vei levar a cabo o lançamento do foguetão PSLV-C42 a partir da plataforma de Lançamento FLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR. A bordo estará o satélite SSTL-S1 4 e o satélite NovaSAR-1. Baseados na plataforma SSTL-300-1, os satélites SSTL-S1 são utilizados para a observação da Terra, tendo uma massa de 447 kg. Por seu lado, o satélite NovaSAR-1 tem como missão demonstrar um pequeno radar SAR (Synthetic Aperture Radar) projectado para programas de baixo custo e optimizado para oportunidade de lançamento partilhadas. O satélite tem uma massa de 430 kg.

A 20 de Setembro a China vai levar a cabo uma missão comercial para colocar em órbita o satélite CentiSpace-1 S1. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão KZ-1A Kuaizhou-1A (Y8) a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan. O CentiSpace-1 S1 é um pequeno satélite comercial de missão desconhecida. Será colocado numa órbita sincronizada com o Sol a uma altitude de 700 km.

A Arianespace irá levar a cabo uma nova missão comercial a 25 de Setembro, pelas 2156:07UTC. Um foguetão Ariane-5ECA será lançado na missão VA243 a partir do Complexo de Lançamento ELA3 do CSG Kourou, Guiana Francesa. A bordo estarão os satélites Horizons-3e e Intelsat-38 (Azerspace-2). O Horizons-3e foi desenvolvido pela Boeing Satellite Systems e é baseado na plataforma BSS-702MP, tendo uma massa de cerca de 6.500 kg. Operado pela Intelsat e pela SKY Perfect JSAT, está equipado com transponders de banda-C e de banda-Ku. Será colocado na órbita geossíncrona na posição 169º longitude Este, substituindo o satélite Intelsat-805. Desenvolvido pela Space Systems/Loral (SS/L) e baseado na plataforma SSL-1300, o satélite Intelsat-38 (Azerspace-2) será operado em conjunto pela Azercosmos e pela Intelsat. O satélite terá uma vida operacional de 15 anos fornecendo serviços Direct-to-Home (DTH).

A 26 de Setembro o foguetão Delta IV-Heavy (D382) será lançado a partir do Complexo de Lançamento SLC-6 da Base Aérea de Vandenberg numa missão militar NROL-71  transportando o satélite espião KH-11 (17). Designados Crystal, estes satélites são na verdade como telescópios apontados para a superfície terrestre obtendo imagens electro-ópticas e proporcionando uma capacidade de observação em tempo real. O satélites utilizam um telescópio com um espelho principal de 2,4 metros de diâmetro, proporcionando uma resolução no solo de 15 cm. A massa dos satélites varia entre os 13.500 kg e os 17.000 kg.

Três outros lançamentos poderão ocorre em Setembro de 2018, todos originando da China. O primeiro lançamento de um foguetão CZ-11 Chang Zheng-11 a partir de uma plataforma flutuante, foi referenciado para Setembro de 2018. Desconhece-se a carga a bordo, além do pequeno satélite CAS-6. Dois novos satélites de navegação deverão ser lançados a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, província de Sichuan. Os satélites Beidou-3M13 (Beidou-37) e Beidou-3M14 (Beidou-38) serão lançados por um foguetão CZ-3B/Y1 Chang Zheng-3B/YZ-1 a partir do Complexo de Lançamento LC3. Finalmente, o satélite de observação marítima HY-1C Haiyang-1C deverá ser lançado desde o Centro de Lançamento de Satélites de Taiyuan por um foguetão CZ-2C Chang Zheng-2C.

 

%d blogueiros gostam disto: