Lançamentos orbitais em Outubro de 2021

O mês de Setembro de 2021 termina com um total de 11 lançamentos orbitais, dos quais 1 foi mal sucedido, tendo sido colocados em órbita 97 satélites.

Até 30 de Setembro, terão sido realizados 509 lançamentos orbitais neste mês, o que corresponde a uma média de 8,1 lançamentos e a 8,9% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 – o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais com uma média de 5,5 lançamentos por mês de Janeiro, correspondendo a 6,0% do total de lançamentos e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais, correspondendo a 10,4% dos lançamentos e a uma média de 9,5 lançamentos por mês de Dezembro desde 1957.

O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo em 2021 (88) corresponde a 1,54% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

Para Outubro de 2021 estão previstos 9 lançamentos orbitais com datas já definidas, podendo chegar aos 23 lançamentos.

Devido ao embargo na divulgação de informação sobre as actividades espaciais chinesas imposta pelo governo da China, existe agora uma grande incerteza sobre os lançamentos orbitais daquele país.

Serão somente apresentados os lançamentos com datas definidas à altura desta publicação.

O primeiro lançamento orbital de Outubro de 2021 deverá ter lugar no dia 5 com o lançamento da missão espacial tripulada Soyuz MS-19.

A Soyuz MS-19 irá transportar uma actriz e um director de cinema para a estação espacial internacional. A bordo da estação espacial os dois participantes no voo espacial (Klim Shipenko – director – e Yulia Peresild – actriz) irão filmar algumas cenas para o filme “O Desafio” (“Vyzov”) que conta a história de uma médica que, devido a circunstâncias dramáticas, tem de se preparar para uma missão espacial num período de um mês e viajar para a ISS para resolver uma tarefa importante. Este não será somente o primeiro filme com cenas filmadas em órbita, mas é também parte de um projecto científico e educacional por parte da Corporação Espacial Roscosmos, do Canal Um, e dos estúdios ‘Amarelo, Negro, Branco’.

Klim Shipenko e Yulia Peresild irão permanecer cerca de uma semana a bordo da estação espacial internacional antes de regressar à Terra a bordo da Soyuz MS-18 com o cosmonauta Oleg Viktorovich Novitsky.

A tripulação principal da Soyuz MS-19 é composta por Anton Nikolayevich Shkaplerov (comandante, Rússia), Klim Alexeievich Shipenko (participante no voo espacial, Rússia) e por Yulia Sergeyevna Peresild (participante no voo espacial, Rússia). Esta será a 4.ª missão espacial para Anton Shkaplerov, sendo o primeiro voo espacial para Klim Shipenko e Yulia Peresild.

O lançamento da Soyuz MS-19 está previsto para as 0855UTC do dia 5 de Outubro de 2021 e será levado a cabo pelo foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1a (Kh15000-047) a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 do Cosmódromo de Baikonur.

Um novo grupo de 36 satélites OneWeb será colocado em órbita no dia 14 de Outubro. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat (Kh15000-009/123-04) na missão ST36 lançada a partir do Complexo de Lançamento LC-1Sdo Cosmódromo de Vostochniy. A constelação OneWeb é uma constelação que deverá ser composta por 648 satélites para fornecer acesso à Internet em todo o globo para consumidores individuais e companhias aéreas, além de serviços a operadores marítimos, serviços de backhaul, comunidades de Wi-Fi, serviços de respostas de emergência, etc.

No dia 16 de Outubro a United Launch Alliance vai realizar o lançamento da missão Lucy para a agência espacial norte-americana NASA.

A missão Lucy (também designada Discovery-13), é uma missão robótica tendo por destino a Cintura de Asteróides, onde deverá chegar em 2025. Entre 2021 e 2033, a missão irá explorar seis asteróides troianos de Júpiter. Estes asteróides estão «presos» pela gravidade do planeta gigante em dois «enxames», com um dos grupos antecedendo e outro precedendo o planeta na sua órbita de doze anos em torno do Sol. Pensa-se que estes objectos sejam relíquias de uma era muito anterior na história do Sistema Solar e que se podem ter formado muito para lá das suas órbitas actuais.

A sonda foi construída pela Lockheed Martin e tem uma massa de 1.550 kg. O seu lançamento terá lugar pelas 0934UTC e será levado a cabo pelo foguetão Atlas-V/401 (AV-082) a partir do Complexo de Lançamento SLC-41 do Cabo Canaveral SFS, Florida

O lançamento da Shenzhou-13 está previsto para ocorrer a 16 de Outubro e será realizado pelo foguetão Chang Zheng-2F/G (Y14) a partir da Plataforma de Lançamento 91 do Complexo de Lançamento LC43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, Mongólia Interior.

A missão deverá ser comandada por Zhai Zhigang, fazendo ainda parte da tripulação a taikonauta Wang Yaping e o taikonauta Guangfu Ye. Esta será a segunda missão espacial tanto para Zhai Zhigang como para Wang Yaping, sendo o baptismo espacial para Guangfu Ye.

A missão deverá ter uma duração de 180 dias e irá preparar a estação espacial para a chegada dos módulos Wentian e Mengtian em 2022.

A Coreia do Sul deverá levar a cabo o lançamento inaugural do seu foguetão Nuri (KSLV-II) no dia 21 de Outubro. O lançamento terá lugar a partir do Centro de Lançamentos Espaciais de Naro. Desconhece-se se haverá alguma carga útil a bordo.

No dia 22 de Outubro a Arianespace deverá levar a cabo mais uma missão comercial com a colocação em órbita de dois satélites de comunicações. O lançamento será realizado por um foguetão Ariane-5ECA+ na missão VA255, a partir do Complexo de Lançamento ELA3 do CSG Kourou, Guiana Francesa, pelas 0015UTC.

A bordo estarão os satélites SES-17 e Syracuse-4A (Comsat-NG 1). O SES-17 é um satélite de comunicações HTS (High Throughput Payload) sendo baseado na plataforma Spacebus-Neo. Construído pela Thales Alenia Space, transporta uma carga de repetidores Ka e no lançamento a sua massa é superior a 6.000 kg. O SES-17 irá cobrir a América do Norte, a América Centra, as Caraíbas e o Oceano Atlântico, fornecendo ganhos substanciais sobre as actuais ligações de banda larga, garantindo velocidades muito elevadas, alta capacidade, cobertura e qualidade.

O Syracuse-4A (anteriormente designado Comsat-NG Communication par satellite de nouvelle génération) foi desenvolvido pela Thales Alenia Space e é baseado na plataforma Spacebus-Neo. Transporta uma carga de comunicações de banda-X e tem uma massa de 3.500 kg no lançamento. O satélite será utilizado para comunicações militares.

O Japão irá levar a cabo o lançamento do satélite QZS-1R (Michibiki-1R) a 25 de Outubro, pelas 0200UTC. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão H-2A/202 (F44) a partir da Plataforma de Lançamento LP1 do Complexo de Lançamento Yoshinubo do Centro de Lançamentos de Tanegashima.

O satélite foi construído pela Mitsubishi Electric (MELCO) e é baseado na plataforma DS-2000, tendo uma massa de 4.000 kg. O QZSS (Quasi Zenith Satellite System) é um sistema de navegação a operar a partir de órbitas geossíncronas inclinadas para assim conseguir uma visibilidade óptima de alta elevação em áreas urbanas profundas e áreas montanhosas. O objectivo do sistema é o de transmitir sinais de GPS interoperáveis e aumentados, bem como sinais do sistema japonês QZSS a partir de uma constelação de três satélites.

O veículo de carga Progress MS-18 será lançado no dia 28 de Outubro pelo foguetão 14A14-1A Soyuz-2.1a (S15000-049) a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão.

O Progress MS-18 irá transportar mantimentos, água, ar, oxigénio, experiências, equipamentos pessoais e outras cargas para a estação espacial internacional.

Uma nova tripulação para a estação espacial internacional (Expedição 66/67) deverá ser lançada 0643UTC do dia 30 de Outubro a bordo da missão USVC-3. A missão será lançada pela SpaceX para a NASA, utilizando o veículo Crew Dragon C210-F1. Será utilizado o foguetão Falcon-9 (B1067.2) lançado a partir do Complexo de Lançamento LC-39A do Centro Espacial Kennedy, Ilha de Merritt, Florida.

A Crew-3 é composta por Raja Jon Vurputoor Chari (Comandante, EUA), Thomas Henry Marshburn (Piloto, EUA), Matthias Josef Maurer (Especialista de Missão 1, Alemanha) e por Kayla Sax Barron (Especialista de Missão 2, EUA).



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post