Lançamentos orbitais em Fevereiro de 2020

O mês de Janeiro termina com um total de 7 lançamentos orbitais, tendo sido colocados em órbita 11 satélites.

Até 31 de Janeiro, foram realizados 338 lançamentos orbitais neste mês, o que corresponde a uma média de 5,5 lançamentos e a 6,1% do total de lançamentos bem sucedidos realizados desde 4 de Outubro de 1957 (o mês de Janeiro é o mês com menos lançamentos orbitais e o mês de Dezembro é o mês com mais lançamentos orbitais, correspondendo a 10,5% dos lançamentos e a uma média de 9,4 lançamentos por mês de Dezembro desde 1957).

O número de lançamentos orbitais bem sucedidos levados a cabo em 2020 (7) corresponde a 0,13% do total de lançamentos orbitais realizados desde 4 de Outubro de 1957.

Nesta altura prevê-se que 2020 possa chegar aos 208 lançamentos. Para Fevereiro de 2020 estão previstos 12 lançamentos orbitais com datas já definidas.

O primeiro lançamento orbital em Fevereiro será também o primeiro lançamento orbital da Rússia em 2020 e deverá colocar em órbita 34 satélites da constelação OneWeb. O lançamento está previsto para as 2142:41UTC do dia 6 de Fevereiro e será a missão ST27 da empresa Starsem. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat-M (?????/123-06) a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 (17P32-6) do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão.

Os satélites OneWeb são fabricados pela OneWeb Satellites e transportam uma carga de comunicações de banda Ku, tendo uma massa de 147 kg. São operados pela OneWeb Ltd. e têm como função proporcionar o acesso à Internet em todo o globo tanto para consumidores individuais como para as linhas aéreas. A constelação será composta por 648 satélites a uma altitude de 1.200 km.

Adiado de Janeiro devido a problemas técnicos, o satélite militar japonês de observação óptica IGS Optical-7 será colocado em órbita a 7 de Fevereiro. O satélite será lançado pelo foguetão H-2A/202 (F41) a partir da Plataforma de Lançamento LP1 do Complexo de Lançamento Yoshinubo do Centro Espacial de Tanegashima. Este é o primeiro satélite de reconhecimento óptico japonês de terceira geração. Os satélites são operados pelo Gabinete de Informações por Satélite. O novo satélite servirá tanto a defesa nacional do Japão, bem como a monitorização civil de desastres naturais. Os novos satélites são capazes de alcançar uma resolução no solo superior a 40 centímetros.

Uma nova missão logística será lançada para a estação espacial internacional às 2239:02UTC do dia 9 de Fevereiro. Um foguetão Antares-230+ será lançado a partir do Complexo de Lançamento LP-0A do MARS Wallops Insland transportando o veículo Cygnus NG-13 “SS Robert H. Lawrence”. Esta é a segunda missão Cygnus ao abrigo do contrato Commercial Resupply Services 2.

Prevista para ser lançada a 10 de Fevereiro pelas 0403UTC, a missão Solar Orbiter (SolO) é uma sonda solar preparada para enfrentar o intenso calor solar e transportar os seus telescópios a 42 milhões de quilómetros ao Sol, a quase um quarto da distância da Terra ao Sol, onde a luz solar será treze vezes mais intensa do que para os satélites nas proximidades da Terra. A sonda irá também suportar as fortes explosões de partículas atómicas provenientes de explosões na atmosfera solar. A Solar Orbiter será capaz de imagens nítidas obtidas junto com medições sem precedentes dos fenómenos próximos ao Sol.

O lançamento será levado a cabo pelo foguetão Atlas-V/411 (AV-087) a partir do Complexo de Lançamento SLC-41 do Cabo Canaveral AFS, Florida.

A Solar Orbiter, com uma massa de 1.800 kg, foi construída pela Airbus Defence and Space e é uma missão conjunta da agência espacial europeia (ESA) e da agência espacial norte-americana NASA. A missão terá uma duração de 7 anos, incluindo a fase de viagem até à órbita solar.

A agência espacial iraniana irá levar a cabo o lançamento do satélite Zafar-1 a 11 de Fevereiro. O lançamento será levado a cabo por um foguetão Simorgh a partir do Complexo de Lançamento LC-2 do Centro Espacial Iman Khomeini, Semnan.

O satélite, desenvolvido por especialistas iranianos da Universidade de Ciência e Tecnologia do Irão, tem uma massa de cerca de 90 kg e está equipado com um sistema de observação composto por quatro câmaras multiespectrais que permitirão uma resolução no solo de 80 metros. A missão do Zafar-1 terá uma duração de 18 meses.

A Organização de Investigação Espacial Indiana (ISRO) deverá levar a cabo o lançamento do satélite GISAT-1 a 12 de Fevereiro. O GEO Imaging Satellite 1 é um satélite de observação da Terra desenvolvido pelo ISRO e é baseado na plataforma I-1K, tendo uma massa de cerca de 2.100 kg no lançamento. O satélite tem como objectivo facilitar a observação continua do sub-continente indiano e a rápida monitorização de desastres ambientais e naturais. O lançamento será levado a cabo por um foguetão GSLV Mk.2(4) a partir da Plataforma de Lançamento SLP do Centro Espacial Satish Dawan SHAR, Ilha de Sriharikota.

A 17 de Fevereiro o satélite NSLSat-1 deverá ser lançado por um foguetão Rocket v3.0 (Astra Space) a partir da Plataforma de Lançamento LPB do Centro de Lançamentos de Kodiak, Alasca. O NSLSat-1 é um CubeSat-3U desenvolvido pela NearSpace Launch e tem como objectivo correlacionar a actividade solar com a densidade de electrões no campo de plasma perto da Terra. O satélite transporta um detector de partículas energéticas e uma sonda Langmuir. Tem uma massa de 3 kg e a sua missão deverá ter uma duração de dois anos.

A missão Yaogan Weixing-30 Grupo-06, composta pelos satélites Chuangxin-5 (16), Chuangxin-5 (17) e Chuangxin-5 (18) deverá ser lançada a 17 de Fevereiro a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Xichang, província de Sichuan. O lançamento será levado a cabo por um foguetão CZ-2C Chang Zheng-2C.

Uma nova missão comercial da Arianespace deverá ser lançada a 18 de Fevereiro. A missão VA252 será lançada pelo foguetão Ariane-5ECA (L5111) a partir do Complexo de Lançamento ELA3 do CSG Kourou, Guiana Francesa. O lançamento está previsto para as 2214:07UTC. A bordo estarão os satélites JCSat-17 e GEO-KOMPSAT-2B.

O JCSat-17 é um satélite de comunicações japonês baseado na plataforma LM-2100 e desenvolvido pela Lockheed Martin. Transporta cargas de comunicações em banda S, C e Ku. A carga útil de comunicações móveis em banda S inclui um processador flexível que permite à operadora SKY Perfect JSAT Corporation redireccionar a capacidade transmissão para se concentrar nos esforços de auxílio a desastres ou noutros eventos de grande volume. A antena de 18 metros de diâmetro foi construída pela Harris Corp.

O GEO-KOMPSAT-2B é o segundo componente do programa sul-coreano GEO-KOMPSAT 2 de satélites meteorológicos geostacionários. Desenvolvido pela agência espacial sul-coreana KARI, o satélite tem uma massa de 3.200 kg e deverá operar durante 10 anos na órbita terrestre.

O satélite irá  levar a cabo missões de monitorização oceânica e missões de monitorização ambiental, transportando a bordo os instrumentos GOCI-II (Geostationary Ocean Color Imager-II), da Airbus Space, e os instrumentos GEMS (Environmental monitoring sensor), da Ball Aerospace. O satélite estará estacionado a 128.° longitude Este.

A Virgin Orbit deverá fazer um lançamento orbital de demonstração a 19 de Fevereiro. O avião Boeing 747 “Cosmic Girl” irá levantar voo a partir da Pista 12/30 do Spaceport America (Mojave) transportando o primeiro foguetão LauncherOne. Não se sabe se este irá transportar apenas algum simulador de carga ou pequenos CubeSats a bordo.

Adiado de Janeiro devido a problemas técnicos no terceiro estágio Blok-I do seu foguetão lançador, Rússia deverá levar a cabo a 14 de Fevereiro o lançamento do satélite 14F112M Meridian-2 nº 19L. O lançamento será realizado pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat (?????/111-101) a partir do Complexo de Lançamento LC43/3 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk, Arkhangelsk.

Os satélites Meridian-M são umaversão melhorada dos satélites de comunicações Meridian, sendo os substitutos dos satélites Molniya-1T, Molniya-3 e Molniya-3K, além da componente de comunicações do sistema Parus.

Lançados para órbitas Molniya (altamente excêntricas) o sistema é a componente do Sistema Integrado de Comunicações por satélite, funcionando em conjunto com os satélites de comunicações geossíncronos Raduga-1M (Globus-M).

O primeiro foguetão KZ-11 Kuaizhou-11 deverá ser lançado a 25 de Fevereiro a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan.

A bordo deverão estar os satélites Jiama Shexian Bao Tance Weixing (um satélite de detecção de explosões de raios Gama), o TY-4 Tianiy-4 (Xiaoxiang-4), o Xianrikui-1A, o Xianrikui-1B, o Yijian Duoxing e o Zhongwei-1.

Outros lançamentos deverão ser realizados em Fevereiro, mas as suas datas ainda não estão definidas.

A SpaceX a levar a cabo duas missões para colocar em órbita novos grupo de 60 satélites Starlink. Os satélites Starlink da SpaceX estão equipados com antenas Ku e Ka, e serão ser colocados em órbita por foguetões Falcon 9 a partir do Complexo de Lançamento SLC-41 do Cabo Canaveral, Florida.

A China deverá também levar a cabo pela primeira vez o lançamento de um foguetão CZ-11 Chang Zheng-11 a partir de Xichang. Desconhece-se a carga a bordo.

Os satélites Xingyun-2 01 e Xingyun-2 02 deverão ser lançados desde o Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan pelo foguetão KZ-1A Kuaizhou-1A (Y6). Os satélites Xingyuan são satélites de comunicações de banda estreita.

%d blogueiros gostam disto: