Lançamento do Vega adiado para 17 de Agosto

In flight

Foi anunciada uma nova data de lançamento para 17 de Agosto de 2020, pela Arianespace, para o voo Vega VV16.

Devido à persistência de ventos excepcionalmente desfavoráveis em altitude sobre o Porto Espacial da Europa, o voo Vega VV16 – originalmente agendado para 18 de Junho de 2020 – foi adiado várias vezes, apesar da disponibilidade total do lançador e dos 53 satélites nesta missão Small Spacecraft Mission Service (SSMS, serviço de missão para naves espaciais pequenas).

Sem nenhuma melhora na situação climática prevista a curto prazo, a Arianespace decidiu adiar o voo VV16 até 17 de Agosto de 2020, quando a previsão é de que as condições meteorológicas sejam mais favoráveis, com base na modelagem dos ventos. O período intermédio será usado para recarregar as baterias do veículo de lançamento Vega e dos satélites, sob todas as condições de segurança exigidas.

Leia o comunicado de imprensa completo da Arianespace, aqui.

No dia 17 de Agosto, o Vega será lançado do Porto Espacial da Europa, na Guiana Francesa, transportando 53 satélites no seu novo dispensador chamado Small Spacecraft Mission Service, ou SSMS.

Este é um voo de prova de conceito para demonstrar e validar um novo serviço de lançamento de voo partilhado para pequenos satélites. Desenvolvido pela ESA, o dispensador SSMS é leve e possui um design modular que pode ser configurado para atender aos requisitos da missão, assegurando desde os menores CubeSats de 1 kg até mini-satélites de 500 kg.

Este novo serviço tem como objectivo desenvolver tecnologias espaciais na Europa, de modo a facilitar para aqueles com satélites leves o encontro de oportunidades convenientes de lançamento. Aqueles que viajam juntos partilham o custo do lançamento, tornando-o mais acessível também. Este voo é parcialmente financiado pela União Europeia no âmbito do programa Horizon 2020 da UE.

O Vega lançará os seus 53 satélites progressivamente, numa sequência coordenada, numa órbita síncrona ao Sol a cerca de 500 km acima da Terra. A ESA contribuiu para o desenvolvimento de quatro cargas úteis a bordo – o micro-satélite ESAIL de 113 kg e três CubeSats: Simba, PICASSO e FSSCat, que carrega a pioneira tecnologia AI denominada Φ-sat-1.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post