Lançamento do satélite eólico da ESA, Aeolus

O satélite Aeolus de Exploração da Terra da ESA foi lançado para órbita polar num foguetão Vega. Utilizando a revolucionária tecnologia laser, Aeolus medirá os ventos em todo o mundo e desempenhará um papel fundamental na nossa procura de compreender melhor o funcionamento da nossa atmosfera. É importante ressaltar que esta nova missão também melhorará a previsão do tempo.

Veja o vídeo

Transportando o satélite Aeolus de 1360 kg, o foguetão Vega foi lançado do Porto Espacial da Europa em Kourou, na Guiana Francesa, às 21:20 GMT (23:20 CEST, 18:20 hora local), a 22 de agosto. Cerca de 55 minutos depois, o estágio superior do Vega libertou o Aeolus em órbita e o contacto foi estabelecido através da estação terrestre de Troll na Antártida, às 00:30 CEST, a 23 de agosto.

Baptizada em homenagem a Aeolus, que na mitologia grega foi apontado pelos deuses como “guardião dos ventos”, esta nova missão é a quinta da família dos Exploradores da Terra da ESA, que aborda as questões mais urgentes de ciência da Terra da actualidade.

Aeolus sintetiza a essência de um Explorador da Terra. Irá preencher uma lacuna no nosso conhecimento de como o planeta funciona e demonstrará como a tecnologia de ponta pode ser utilizada no espaço,” disse Jan Wörner, Director Geral da ESA.

O diretor dos Programas de Observação da Terra da ESA, Josef Aschbacher, acrescentou: “Aeolus leva consigo o primeiro instrumento do seu género e utiliza uma abordagem completamente nova para medir o vento a partir do espaço. Esta tecnologia pioneira denotou uma exigência no desenvolvimento da missão, mas, graças a todas as equipas envolvidas, estamos entusiasmados com o fato de este extraordinário satélite estar agora em órbita. Estamos ansiosos para que corresponda às expectativas!

Destacada pela Organização Meteorológica Mundial, a falta de medições globais directas do vento é um dos maiores défices do Sistema Global de Observação.

Ao preencher esta lacuna, Aeolus fornecerá aos cientistas as informações necessárias para entender como o vento, a pressão, a temperatura e a humidade estão interligados.

Esta nova missão irá fornecer informações sobre como o vento influencia a troca de calor e humidade entre a superfície da Terra e a atmosfera – aspetos importantes para a compreensão da mudança climática.

O Aeolus leva consigo um dos instrumentos mais sofisticados alguma vez colocado em órbita. O primeiro do seu género, o instrumento Aladin inclui tecnologia laser revolucionária para gerar pulsos de luz ultravioleta que são transmitidos para a atmosfera para formar o perfil dos ventos do mundo – uma abordagem completamente nova para medir o vento a partir do espaço.

Ao mesmo tempo que Aeolus está configurado para avanços científicos, também beneficiará a sociedade.

Embora as previsões meteorológicas tenham avançado consideravelmente nos últimos anos, o Aeolus fornecerá perfis globais de vento para melhorar ainda mais a precisão. Além disso, os seus dados serão utilizados em modelos de qualidade do ar para melhorar as previsões de poeira e outras partículas transportadas pelo ar que afectam a saúde pública.

O satélite está a ser controlado pelo Centro Europeu de Operações Espaciais da ESA em Darmstadt, na Alemanha. Os controladores passarão os próximos meses a examinar e a calibrar cuidadosamente a missão, como parte da sua fase de comissionamento.

Notícia e imagens: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

 

%d blogueiros gostam disto: