Kounotori-9 a caminho da ISS

O Japão lançou o seu nono veículo de carga para a ISS às 1731:00UTC do dia 20 de Maio de 2020. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão H-2B-304 (F9) a partir da Plataforma de Lançamento LP2 do Complexo de Lançamento Yoshinobu do Centro Espacial de Tanegashima. A separação entre o HTV-9 e o último estágio do seu lançador teve lugar às 1746UTC.

O HTV é totalmente desenhado e fabricado no Japão, sendo para além do módulo Kibo, a contribuição deste país para a estação espacial internacional.

Todas as fases do lançamento decorreram como previsto com o veículo a separar-se às 1746UTC do último estágio do seu foguetão lançador. O lançamento ocorre com a ignição do primeiro estágio e com a ignição dos quatro propulsores laterais de combustível sólido. Estes terminam a sua queima a T+1m 54s, separando-se a T+2m 7s. A T+3m 40s dá-se a separação das duas metades da carenagem de protecção, agora desnecessária.

O final da queima do primeiro estágio ocorre a T+5m 47s, separando-se do segundo estágio 7 segundos mais tarde. A ignição do segundo estágio ocorre a T+6m 1s e termina a T+14m 20s. A separação do Kounotori-9 ocorre a T+15m 11s.

A carga a bordo do Kounotori-9

O veículo HTV-9 transporta na sua secção pressurizada várias experiências que serão transferidas para a ISS. No total transporta

O Solid Combustion Experiment Module (SCEM) é um dispositivo a ser usado para o projecto FLARE (Flammability Limits at Reduced Gravity Experiment). Este projecto será implementado para determinar cientificamente o papel da gravidade em diferentes modos de combustão, como ignição de materiais sólidos e propagação de chamas em vários materiais sólidos no ambiente da ISS sem convecção natural (ambiente de microgravidade).

O integrated Standard Imager for Microsatellites (iSIM), é uma câmara de observação da Terra que está a ser desenvolvida por uma empresa espanhola de empreendimentos espaciais, a Satlantis, e que será montada em CubeSats ou micro-satélites. Para fins de demonstração em órbita, um iSIM será instalado na IVA-replaceable Small Exposed Experiment Platform (i-SEEP). É capaz de tirar fotos de alta resolução da superfície da Terra. O Centro Espacial de Tsukuba irá enviar ao computador em órbita um arquivo de programação para a leitura automática do iSIM e este irá tirar fotos de acordo com a programação. As fotos tiradas serão enviadas para o Centro Espacial de Tsukuba e transferidas para a Satlantis.

Materiais relacionados com empresas de media espaciais: Os componentes básicos do estúdio construído para demonstração são uma janela do Módulo Experimental Japonês “Kibo” de frente para a Terra (vista principal) e terminais para tablets próximos. Serão realizados testes de demonstração técnica do sistema de transmissão ao vivo bidireccional sem precedentes do mundo, usando um novo protocolo dedicado de comunicação de dados ISS / Terra e um aplicativo de comunicação bidireccional recém-desenvolvido que pode ser activado em pouco tempo. Também serão realizados testes de demonstração em vista da comercialização. Esses testes serão suportados por alguns dos dispositivos disponíveis no “Kibo”. O HTV-9 transporta materiais, incluindo um filtro ND (usado para ajustar a luminância entre as imagens no ecrã do tablet e a imagem da Terra vista pela janela), cabos e dispositivos de fixação, indispensáveis para abrir a Estação de Transmissão Espacial Kibo como um negócio de média espacial e explorável para vários projectos futuros.

O Kounotori-9 transporta ainda mantimentos, alimentos, água, roupas e outros itens para a tripulação da expedição a bordo da ISS.

 O HTV ‘Kounotori’

O veículo HTV (H-II Transfer Vehicle) foi baptizado com o nome Kounotori após um concurso nacional para escolher um nome para o veículo. ‘Kounotori’ significa ‘Cegonha Branca’.

Várias cargas têm de ser transportadas de forma regular para estação espacial internacional durante o seu período operacional. Estas cargas incluem água, alimentos, roupas, equipamentos de investigação, unidades e amostras experimentais, e equipamentos de manutenção.

O HTV é um veículo de transporte não tripulado que tem um comprimento de 9,8 metros e um diâmetro máximo de 4,4 metros. A sua massa inicial no lançamento é de 16.500 kg, podendo transportar uma carga total de 6.000 kg acomodada nos contentores logísticos. O Kounotori possui dois tipos de contentores logísticos: o PLC (Payload Logistics Carrier) secção pressurizada onde os tripulantes podem trabalhar no interior do HTV quando este está ancorado à ISS, e o ULC (Unpressurized Logistics Carrier) secção não pressurizada que é utilizado para transportar dispositivos experimentais para serem colocados no exterior da ISS nas Exposed Facilitys do módulo experimental japonês Kibo. O HTV junta-se assim uma frota de veículos logísticos que fazem o transporte de mantimentos e equipamentos para a ISS, mas diferencia-se destes pois possui a capacidade de transportar dois tipos de carga, isto é, materiais utilizados no interior e no exterior da ISS.

HTV-5 9

HTV-5 5

Os múltiplos dispositivos electrónicos transportados no módulo de aviónicos e os motores do módulo de propulsão, constituem a parte posterior do Kounotori e permitem ao veículo alterar a sua órbita para assim poder acoplar com a ISS. O Kounotori é assim a culminação de tecnologias desenvolvidas no Japão para os seus satélites, foguetões e para o módulo Kibo, para servir como plataforma para o futuro das tecnologias do voo espacial tripulado.

HTV Designação Internacional NORAD Data de lançamento

Hora (UTC)

Acoplagem Separação Reentrada
1 2009-048A 35817 10/Set/09

17:01:46

17/Set/09 30/Out/09 01/Nov/09
2 2011-003A 37351 22/Jan/11

05:37:57

27/Jan/11 19/Fev/12 30/Mar/11
3 2012-038A 38706 21/Jul/12

02:06:18

27/Jul/12 11/Set/12 14/Set/12
4 2013-040A 39221 03/Ago/13

19:48:46

09/Ago/13 04/Set/13 07/Set/13
5 2015-038A 40879 19/Ago/15

11:50:49

24/Ago/15 28/Set/15 29/Set/15
6 2016-076A 41881 09/Dez/16

13:26:47

13/Dez/16 27/Jan/17 05/Fev/17
7 2018-073A 43630 22/Set/18

17:52:27

27/Set/18 06/Nov/18 10/Nov/18
8 2019-062A 44546 24/Set/19

16:05:05

28/Set/19 01/Nov/19 03/Nov/19
9 2020-030A 20/Mai/20

17:31:00

A secção pressurizada mantida a uma atmosfera é utilizada para o transporte de materiais utilizados no interior da ISS tais como módulos experimentais, alimentos e roupas. Após os tripulantes terem finalizado a remoção de toda a carga e mantimentos, a secção pressurizada é carregada com materiais já utilizados e lixo. O Kounotori é o único veículo que pode transportar grandes quantidades de módulos experimentais através da sua escotilha de 1,3 m2 na sua secção pressurizada. Uma abertura lateral na sua secção não pressurizada permite o transporte de módulos de exposição não pressurizados.

HTV-5 4

Após se separar do seu foguetão lançador, o Kounotori realiza uma aproximação automática à ISS enquanto vai recebendo apoio a partir da estação de controlo em Terra para ajustar a sua altitude e distância. Na fase final da aproximação, o HTV ascende lentamente a partir de 500 metros abaixo da ISS e fica estacionário num ponto a cerca de 10 metros por debaixo do módulo Kibo. De seguida, a tripulação da ISS utiliza o sistema de manipulação remota da ISS, o Canadarm2, para o capturar e ancorar (ou acoplar) à estação. Este sistema de captura foi uma tecnologia original expressamente desenvolvida para o Kounotori e tem sido utilizado por uma empresa norte-americana para um sistema similar para permitir a aproximação de outros veículos. As operações de aproximação do Kounotori utilizam um algoritmo que foi verificado na missão ETS-7 (Engineering Test Satellite n.º 7) utilizando os satélites Orihime e Hikoboshi.

HTV-5 6

HTV-5 7

O foguetão H-2B

Desde há vários anos que o Japão tem vindo a desenvolver os seus próprios foguetões. Entre os veículos desenvolvidos, o foguetão H-2A tem vindo a ser utilizado para o lançamento de satélites como um veículo de larga escala com uma alta fiabilidade.

O foguetão H-2B é uma versão melhorada do H-2A que se espera que abra o caminho para uma possibilidade de futuras missões, incluindo o transporte de carga para a estação espacial internacional e para o lançamento de missões não tripuladas para a Lua.

HTV-5 1

HTV-5 8

O H-2B tem dois objectivos principais. O primeiro é o lançamento do HTV Kounotori para a ISS. O segundo objectivo é proporcionar uma resposta a necessidades mais amplas ao se fazer uma utilização combinada dos lançadores H-2A e H-2B. Adicionalmente, a grande capacidade de carga do H-2B tornará possível o lançamento simultâneo de mais do que um satélite e irá reduzir os custos, contribuindo assim para a vitalização da indústria espacial japonesa.

O H-2B é um lançador a dois estágios que consome oxigénio e hidrogénio líquido e possui quatro propulsores laterais de combustível sólido que consomem polibutadieno.

O H-2B possui dois motores de propulsão líquida (LE-7A) no primeiro estágio, ao contrário do H-2A que somente está equipado com um desses motores. Os quatro propulsores laterais estão acoplados ao primeiro estágio, enquanto que a versão standard do H-2A só possui dois destes propulsores. Adicionalmente, o corpo central do H-2B foi alargado até aos 5,2 metros enquanto que o diâmetro do H-2A é de 4,0 metros. Da mesma forma, o comprimento do primeiro estágio foi aumentado em 1 metros em relação ao H-2A. Em resultado destas alterações, o H-2B consome 1,7 vezes mais propolente do que o H-2A.

Juntando vários motores, cuja performance é fixa, tem a vantagem de encurtar o período e reduzir os custos do seu desenvolvimento.

HTV-5 2

O H-2B tem um comprimento de 57,0 metros e uma massa de 530.000 kg (sem incluir a carga a colocar em órbita). É capaz de colocar 8.000 kg numa órbita de transferência para a órbita geossíncrona ou 16.500 kg numa missão standard do HTV.

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5940

– Lançamento orbital Japão: 122 (2,05%)

– Lançamento orbital desde Tanegashima: 81 (1,36% – 66,39%)

Os quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2020 por polígono de lançamento.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

5941 – 22 Mai (0700:00) – 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat – GIK-1 Plesetsk, LC43/? – 14F142 Tundra n.º 4L

5942 – 23 Mai (1700:??) – Boeing-747-400 “Cosmic Girl”/LauncherOne (F1) – Mojave ASP, RW12/30 – Teste

5943 – 27 Mai (2032:??) – Falcon 9-086 (B1058.1) – CE Kennedy, LC-39A – Dragon-v2 (SpX-DM2)

5944 – 30 Mai (0443:??) – Electron/Curie (F12 ‘Don’t Stop Me Now’) – Onenui (Máhia), LC-1 – ELaNa 32: ANDESITE, ANDESITE Node-1, ANDESITE Node-2, ANDESITE Node-3, ANDESITE Node-4, ANDESITE Node-5, ANDESITE Node-6, ANDESITE Node-7, ANDESITE Node-8, NRO Satellite 1, NRO Satellite 2, NRO Satellite 3, RAAF M2 Pathfinder

5945 – 14 Jun (????:??) – CZ-3B Chang Zheng-3B/G3 – Xichang, LC3 – Beidou-3GEO3

5946 – 18 Jun (????:??) – Vega (VV16) – CSG Kourou, ZLV – AMICal Sat, Athena, Casaa-Sat, DIDO-3, ESAIL, Flock 4v 1, Flock 4v 2, Flock 4v 3, Flock 4v 4, Flock 4v 5, Flock 4v 6, Flock 4v 7, Flock 4v 8, Flock 4v 9, Flock 4v 10, Flock 4v 11, Flock 4v 12, Flock 4v 13, Flock 4v 14, FSSCat A, FSSCat B, IGOSat, GHGSat-C1, Lemur-2y (x ???), NEMO-HD, ÑuSat-6,
PICASSO, PINO, PIXL, RTAF-SAT, SIMBA, SpaceBee (x12), TRISAT, TTÜ100, UPMSat 2, D-Orbit’s ION CubeSat Carrier: Flock 4v (x12)



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post