Falcon Heavy da SpaceX lança satélite para a Arabsat

Texto de Salomé T. Fagundes / Rui C. Barbosa

O lançamento do satélite Arabsat-6A teve lugar às 2235UTC do dia 11 de Abril de 2019, a partir do Complexo de Lançamento LC-39A do Centro Espacial Kennedy, Ilha de Merritt, Florida e foi levado a cabo pelo foguetão Falcon Heavy-02, sendo esta a primeira missão comercial para este foguetão após o primeiro voo inaugural a 6 de Fevereiro de 2018.


Este lançamento foi efectuado pelos estágios B1052.1, B1053.1 e B1055.1 sendo a primeira versão Block-5 a ser lançada. O satélite separou-se do segundo estágio do lançador às 2309UTC.

Depois da separação dos propulsores, estes foram recuperados nas Zonas de Aterragem da SpaceX (LZ 1 e LZ2) às 1145UTC. Estas zonas estão situadas na Estação da Força Aérea do Cabo Canaveral na Florida. O estágio central foi recuperado plataforma flutuante “Of Course I Still Love You” situada no Oceano Atlântico às 2245UTC.

A zona de aterragem consiste de uma plataforma com um diâmetro de 86 metros contendo no centro o ‘X’ estilizado da SpaceX. O LC13 contém uma outra plataforma com um diâmetro de 46 metros (LZ-2). A primeira aterragem na LZ-1 teve lugar a 22 de Dezembro de 2015.

A SpaceX possui duas plataformas flutuantes baptizadas de Just Read the Instructions e Of Course I Still Love You, que são os nomes de embarcações das histórias do autor Iain M. Banks.

O Arabsat-6A é um satélite de telecomunicações de grande capacidade que irá oferecer serviços de televisão, radio, internet e comunicações moveis para clientes do Medio Oriente, Africa e Europa. Construido na plataforma melhorada LM-2100 da Lockheed Martin, o satélite Arabsat-6A inclui varias inovações que oferecem avançados serviços de comunicações em feixe dedicado na banda Ka e ainda cobertura nas bandas Ku e Ka em adição a outras bandas de frequência.

Este satélite irá ser localizado numa das reservas orbitais da Arabsat e suportará a posição competitiva da Arabsat como o primeiro operador na região para os serviços de satélite.

Lançamento

A sequência de lançamento para o Falcon Heavy é semelhante à utilizada com o Falcon-9. A T-53m o Director de Lançamento verifica se tudo está a postos para se iniciar o abastecimento do lançador. O abastecimento de querosene RP-1 nos tanques de propelente terá início a T-50m, altura em que se inicia a contagem decrescente auto-sequencial na qual todo o processo de abastecimento e activação / verificação de sistema é feita de forma automática por computadores no solo e a bordo do lançador. Da mesma forma, o início do abastecimento de RP-1 ao segundo estágio ocorre poucos minutos depois do início do abastecimento do primeiro estágio. Este abastecimento irá terminar nos minutos finais da contagem decrescente.

Por seu lado, o abastecimento de oxigénio líquido inicia-se a T-45m, e tal como acontece com o RP-1, o abastecimento do segundo estágio inicia-se poucos minutos mais tarde. A T-7m é iniciado o procedimento de acondicionamento térmico dos motores, arrefecendo-os antes do lançamento.

A T-60s, o lançador entra na fase final de alinhamento dos seus vários sistemas que irão controlar o veículo durante o seu voo. Nesta altura inicia-se também a pressurização dos dos tanques de propelente.

A T-45s o Director de Voo confirma que toda a equipa de lançamento está pronta para a missão após a finalização do processo de abastecimento e da purga das condutas de abastecimento. Segundos antes do início sequencial dos 27 motores, o sistema de supressão sónica da Plataforma de Lançamento 39A irá iniciar a descarga de toneladas de água na base do sistema de transporte, erecção e lançamento TEL (Transporter/Erector/Launcher) para assim eliminar a energia sónica produzida pelos motores Merlin-1D.

A sequência de ignição inicia-se a T-5s para os propulsores laterais e a T-3s o estágio central (considerada a fase de 1º estágio) entra em ignição. Se todos os parâmetros dos 27 motores forem aceitáveis, o computador de bordo irá ordenar a separação dos sistemas umbilicais Tail Service Masts (TSMs) que fornecem propelente, energia eléctrica e conexões de dados ao lançador. Na mesma altura, os sistemas de fixação do lançador na base da plataforma de lançamento são abertos, libertando o lançador para o seu voo.

Nos momentos iniciais, os 27 motores funcionam na potência máxima, mas logo após abandonar a plataforma de lançamento a potência dos nove motores centrais é diminuída. Ultrapassando a fase de MaxQ – isto é, de máxima pressão dinâmica – a T+1m 9s, os motores do sistema de propulsão central aumentam novamente a sua potência.

A T+2m 30s, os computadores de bordo irão iniciar a desactivação dos propulsores laterais e a sua sequência de separação.

Esta irá ocorrer ao mesmo tempo para os dois propulsores a T+2m 34s, com os sistemas de fixação dos propulsores e do estágio central a serem recolhidos e protegidos para posterior análise e possível reutilização. O processo de recuperação dos propulsores laterais inicia-se a T+2m 51s, com a ignição que inicia o regresso propulsionado à Terra. Os dois propulsores serão então recuperados nas zonas de aterragem disponíveis no Cabo Canaveral AFS (LZ-1 e LZ-2).

O Falcon Heavy continua então a sua ascensão propulsionado pelo seu estágio central (tal como um Falcon-9) – agora considerada a fase de segundo estágio, acelerando para a órbita terrestre. Finalizando a sua queima a T+3m 51s, a separação ocorre então a uma velocidade superior à que é usual num lançamento do Falcon-9. A separação tem lugar a T+3m 35s. Este estágio irá então regressar à Terra, descendo sobre uma plataforma flutuante no Oceano Atlântico, nomeadamente a ASDS (Autonomous Spaceport Drone Ship) Of Course I Still Love You, localizada a 342 km do Centro Espacial Kennedy. Após a separação do estágio central, o motor Merlin MVac, um motor Merlin-1D optimizado para funcionar no vácuo e que desenvolve 934,13 kN (com um tempo de queima de 397 segundos), irá entrar em ignição a T+3m 42s para colocar a sua carga em órbita. Esta é a fase do terceiro estágio. As duas metades da carenagem de protecção separam-se então do lançador a T+4m 07s.

Entretanto, a T+6m 11s os dois propulsores inicia a queima de reentrada, acontecendo o mesmo para o estágio central a T+7m 00s. A aterragem dos propulsores laterais deverá ocorrer a T+7m 51s e a aterragem do estágio central deverá ocorrer a T+9m 48s.

Com o conjunto numa órbita preliminar, o motor do segundo estágio termina a sua queima a T+8m 48s, iniciando assim uma fase não propulsionada de mais ou menos 20 minutos. A segunda ignição ocorre a T+27m 34s e termina a T+29m 00s com o Arabsat-6A a ser colocado em orbita pelos T+34m 02s.

O poderoso Falcon Heavy

O Falcon Heavy é um foguetão com um comprimento de 70 metros e uma envergadura de 12,2 metros. Com uma massa de 1.420.788 kg no lançamento e produzindo uma força máxima ao nível do mar de 22.819,38 kN (com uma força máxima no vácuo de 24.680,96 kN), o Falcon Heavy é capaz de lançar uma carga de 63.800 kg para uma órbita terrestre baixa, 26.700 kg para uma órbita de transferência geossíncrona ou 16.800 kg para Marte ou mesmo 3.500 kg para Plutão, nos limites do Sistema Solar.

O Falcon Heavy é no entanto inferior ao foguetão Saturn-V na sua capacidade de carga. O foguetão lunar Norte-americano era capaz de colocar uma carga de 140.000 kg numa órbita terrestre baixa

As impressionantes capacidades de carga do Falcon Heavy deverão proporcionar uma maior capacidade de carga a preços mais baixos do que os actualmente praticados no mercado internacional do lançamento de satélites.

Com 27 motores a funcionar na fase do primeiro estágio, o Falcon Heavy é o lançador Norte-americano com um maior número de motores no primeiro estágio, somente ultrapassado pelo histórico foguetão lunar N-1 da União Soviética cujos quatro voos resultaram em fracassos.

O Falcon Heavy tem uma excelente capacidade de superar a perda de um ou vários motores caso algo ocorra durante o seu funcionamento, pois na maior parte dos cenários (exceptuando, como é óbvio, uma explosão catastrófica) o lançador é capaz de cumprir a sua missão com sucesso caso se dê a desactivação de um dos motores.

Nesta missão o Falcon Heavy-02 (B1052.1, B1053.1, B1055.1) utiliza dois propulsores e o estágio central nos seus primeiros voos. Após a separação dos propulsores laterais, estes iniciam o regresso à Terra onde irão aterrar nas denominadas Landing Zones 1 e 2 (LZ-1 e LZ-2) no Cabo Canaveral, o antigo Complexo de Lançamento LC13. A zona de aterragem consiste de uma plataforma com um diâmetro de 86 metros contendo no centro o ‘X’ estizilado da SpaceX. O LC13 contém uma outra plataforma com um diâmetro de 46 metros (LZ-2). A primeira aterragem na LZ-1 teve lugar a 22 de Dezembro de 2015.

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5829

– Lançamento orbital EUA: 1658 (28,44%)

– Lançamento orbital desde CE Kennedy: 170 (2,92% – 10,25%)

Os quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2019 por polígono de lançamento.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

5830 – 17 Abr (2045:00) – Antares-230 – Cygnus NG-11 (CRS-11) ‘Roger Chaffee’, VCC-A (Aeternitas), VCC-B (Libertas), VCC-C (Ceres), Bird JPN (Uguisu), Bird LKA (Raavana 1), Bird NPL (NepaliSat 1), IOD-GEMS (IOD 1), EntrySat, Światowid, KrakSat, AeroCube-10A, AeroCube-10B, SASSI-2, NSLSat-1, ThinSat-1A, ThinSat-1B, ThinSat-1C, ThinSat-1D, ThinSat-1E, ThinSat-1F, ThinSat-1G, ThinSat-1H, ThinSat-1I, ThinSat-1J, ThinSat-1K, ThinSat-1L

5831 – 20 Abr (????:??) – CZ-3A Chang Zheng-3A (?) – Xichang, LC? – Beidou-3IG

5832 – 25 Abr (1015:00) – Falcon-9 (B1056.1) – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Dragon SpX-17 (CRS-17)

5833 – 16 Mai (????:??) – Falcon-9 (B1051.2) – Vandenberg AFB, SLC-4E – Radarsat Constellation-1 (RCM-1), RCM-2, RCM-3

5834 – 23 Mai (????:??) – 8K82KM Proton-M/Briz-M – Baikonur, LC81 PU-24 – Blagovest n.º 14L

 

%d blogueiros gostam disto: