Cosmonautas russos realizam actividade extraveícular

Oleg Novitsky e Pytor Dubrov realizaram uma actividade extraveícular no dia 3 de Setembro de 2021 para iniciar a integração total do novo módulo russo Nauka com a ISS. Esta foi a actividade extraveícular VDK-49.

Novitsky e Dubrov envergaram fatos extraveículares Orlan-MKS (Orlan MKS-5 para Novitsky e Orlan MKS-4 para Dubrov), deixando a segurança do módulo Poisk às 1441UTC para um passeio espacial que teve uma duração de 7 horas e 54 minutos. Os dois homens foram auxiliados pelo astronauta da NASA, Mark Vande Hei. Esta saída para o espaço foi a segunda actividade extraveícular para Novitsky e Dubrov, que já haviam passado 7 horas e 19 minutos fora da estação em Junho com a tarefa de decomissionar o módulo Pirs que haveria posteriormente de ser separado da ISS para dar lugar ao Nauka.

Assim que os dois cosmonautas saíram do Poisk a primeira tarefa foi progredirem para um dos dois guindastes Strela montados no segmento russo e realizar trabalhos preparatórios na sua extremidade que seriam necessários mais tarde na caminhada espacial. Depois disso, Dubrov seguiu em direção ao Nauka e começou a instalar várias braçadeiras de cabo no novo módulo.

Depois da instalação dos novos grampos, Novitsky começou a direcionar os cabos de fornecimento de energia destinados ao Nauka em direção ao módulo, conectando-os com a fonte de alimentação da estação.

Assim que os dois concluíram o trabalho de instalação do cabo, Dubrov colocou-se na extermidade do guindaste Strela e Novitsky moveu o seu companheiro para o adaptador PMA-1 que conecta o segmento russo da ISS com o segmento norte-americano. Posteriormente, Novitsky foi ao encontro de Dubrov

Os dois homens começaram então a trabalhar para conectar o módulo Nauka ao sistema de energia do segmento norte-americano, conectando também os cabos ethernet do Nauka.

Apesar do excelente trabalho, as tarefas demoraram mais do que o previsto – o que usualmente acontece nas actividades extraveículares. Devido aos atrasos, os controladores russos decidiram armazenar o guindaste Strela e não proceder à instalação de três experiências Biorisk. Os três recipientes experimentais Biorisk-MSN deveriam ser colocados fora do Poisk para observar como os microorganismos se comportam quando expostos ao vácuo do espaço. As experiências serão implementadas numa futura actividade extraveícular.

A escotilha do Poisk seria encerrada às 2235UTC.

Imagens: Roscosmos



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post