China lança Yinhe-1 desde Jiuquan

A China realizou seu terceiro lançamento orbital em 2020, orbitando o primeiro satélite de demonstração de tecnologia de teste para uma constelação 5G, o Yinhe-1.

O lançamento ocorreu às 0300UTC do dia 16 de Janeiro de 2020, usando o foguetão Kuaizhou-1A (Y9) a partir do Complexo de Lançamento LC45/95 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan.

Também designado GS-SparkSat-03, o satélite Yinhe-1 de 227 kg será operado pela GalaxySpace, uma produtora de satélite de comunicações com sede em Pequim. Esta empresa chinesa foi fundada em 2016 com o objectivo de produzir em massa pequenos satélites de baixo custo e alto desempenho através do modo de desenvolvimento ágil e de iteração rápida, e construir a principal constelação de satélites de banda larga LEO líder mundial com uma cobertura global com a rede de comunicação 5G. O satélite fornece uma largura de banda de comunicação de 10 Gbps.

Os satélites são desenvolvidos em colaboração com a China Aerospace Science and Technology Corporation (CAST), com a China Aerospace Science and Industry Corporation (CASIC) e com a China Electronics Technology Group Corporation (CETC).

A missão é melhorar as condições de conexão de rede de todas as regiões e indivíduos, e fornecer serviços e redes de banda larga económicos, eficientes e convenientes, fornecendo conhecimento mais acessível, informações mais equivalentes e abrangentes, comunicação mais simples e conveniente, e mais oportunidades de desenvolvimento para todos.

A equipa principal da empresa é composta por especialistas da Internet, da indústria aeroespacial e de instituições de pesquisa científica. Com a força dos recursos de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia de satélite como base e combinando-se com o Internet Thinking, a GalaxySpace pode fornecer aos usuários serviços e experiência de qualidade na Internet.

Os pequenos satélites de comunicação de baixo custo e alto desempenho desenvolvidos pela GalaxySpace, têm as características de componentes modulares, estrutura de peso mais leve, fabrico inteligente e em massa. Quando o satélite da constelação Galaxy se aproxima do final do seu tempo de serviço, o satélite realiza automaticamente manobras e depois reentra de forma destrutiva na atmosfera.

A constelação será composta por 1.000 satélites de comunicação implantados em órbitas terrestres baixas de 500 km a 1.000 km, expandindo perfeitamente as redes de comunicação terrestre, cobrindo todas as regiões da Terra, incluindo oceanos e céu. Alinhando-se aos padrões 5G, a constelação permitirá que os usuários aceder a redes 5G com alta velocidade e flexibilidade, usando pequenos terminais de usuário por satélite e de baixo custo, adequados para uso em escolas, residências, automóveis, aeronaves e muitos outros cenários.

O terminal pequeno, inteligente e de baixo custo do usuário via satélite, trabalhando com o sistema de comunicação via satélite, fornece uma rede económica, prática, estável e conveniente, permitindo que os usuários aceder à Internet em alta velocidade com eficiência. O terminal do usuário é fácil de instalar e usar, e pode ser personalizado e equipado com módulos de expansão auto-alimentados por energia solar e controle de voz AI de forma opcional.

Os serviços fornecidos pela GalaxySpace ajudarão na construção de infraestruturas em áreas rurais remotas de países desenvolvidos e em desenvolvimento. Devido à distribuição dispersa da população, alguns estabelecimentos de trabalho, moradia, educação ou medicina não têm acesso à rede terrestre ou não são instáveis. O acesso rápido e conveniente à rede de satélites resolve esses problemas de maneira eficaz, o que traz mais oportunidades e segurança.

A GalaxySpace fornece infraestruturas e serviços de rede de satélite 5G de baixa latência para automóveis, aeronaves, navegação e transporte terrestre remoto. Com pequenos terminais de usuário via satélite inteligentes e de baixo custo, os clientes podem se conectar rapidamente à rede de comunicação via satélite a qualquer momento e em qualquer lugar.

O serviço é baseado em uma rede de comunicação por satélite dedicada estável, segura e rápida para os lugares que não têm acesso às redes de comunicação terrestre, incluindo pontos de venda, bases de P&D, locais de produção, instituições, postos de controle, observatórios e outras instalações com uma grande demanda de upload de dados. Fornecerá soluções gerais dedicadas de rede de satélites para clientes corporativos e governamentais em todo o mundo.

Com a adopção dos padrões 5G, a constelação de satélite de comunicação LEO fornece serviços 5G espaciais em todo o mundo; conecta-se à rede 5G terrestre de forma transparente, para que os usuários possam alternar servindo redes sem problemas; fornecendo o caminho de retorno para estações base 5G terrestres.

A nova constelação de satélites Galaxy fornecerá implantação de rede rápida e oportuna ou soluções de acesso de longo prazo para lidar com desastres regionais e necessidades temporárias de comunicação. Isso ajudará as operadoras de telecomunicações a conectar suas estações base terrestres em áreas isoladas ou remotas e o terminal de usuário de satélite poderá satisfazer a demanda de acesso à rede em investigação científica, exploração e outras actividades em ambientes extremos e severos.

Através da constelação de satélites Galaxy, o status e as informações das redes IoT em escala global podem ser acedidos, monitorizados, transmitidos e compartilhados de maneira em tempo real, integrada e segura.

O foguetão Kuaizhou-1A

O foguetão KZ-1A Kuaizhou-1A é um lançador de combustível sólido altamente fiável, de alta precisão e de baixo custo, desenvolvido pelo China Aerospace Science and Technology Corporation (CASIC) e comercializado pela China Space Sanjiang Group Corporation (EXPACE).

O lançador pode enviar uma carga de 200 kg para uma órbita a 700 km de altitude sincronizada com o Sol. O veículo é principalmente destinado ao envio de cargas para a órbita terrestre baixa, tanto para clientes domésticos como estrangeiros.

O KZ-1A é possivelmente baseado no míssil DF-21 Dongfeng-21 ao qual é adicionado dois estágios superiores extra. Não existem diferenças aparentes entre o KZ-1A e o KZ-1. Tanto um como outro foram anteriormente apresentados de forma comercial como o lançador FT-1 Feitian-1. Porém, a diferença pode ser explicada pelo facto de o KZ-1A ser utilizado para o lançamento de cargas múltiplas, enquanto que o KZ-1 é utilizado para o lançamento de uma só carga que permanece acoplada com o quarto estágio de propulsão líquida.

O KZ-1A utiliza uma plataforma móvel para o seu lançamento, equipamento de fornecimento de energia integrado, instalações de teste e de controlo de lançamento, instalações de orientação e instalações de controlo de temperatura.

O KZ-1A tem um comprimento de 20 metros e uma massa no lançamento de 30.000 kg, tendo um diâmetro máximo de 1,4 metros. É um lançador a três estágio de combustível sólido e um quarto estágio de propelentes líquidos.

A propulsão sólida é composta por três estágios iniciais com uma tubeira fixa. O primeiro estágio tem um diâmetro de 1,40 metros, uma massa total de 16.621 kg, tempo de queima de 65 segundos e um impulso de 2.352 Ns/kg. O segundo estágio tem um diâmetro de 1,40 metros, massa total de 8.686 kg, tempo de queima de 62 segundos e um impulso de 2.810 Ns/kg. O terceiro estágio tem um diâmetro de 1,20 metros, uma massa de 3.183 kg, tempo de queima de 55 segundos e um impulso de 2.850 Ns/kg. O lançador pode utilizar dois tipos de carenagem de protecção com um diâmetro de 1,2 metros e de 1,4 metros.

O perfil de lançamento tem a separação do primeiro estágio a 1 minuto e 23 segundos após o lançamento. A separação do segundo estágio ocorre a 2 minutos e 21 segundos após o lançamento, e a separação da carenagem ocorre 15 segundos após a separação do segundo estágio.

A ignição do terceiro estágio ocorre aos 192 segundos de voo, terminando 1 minuto e 32 segundos mais tarde. Três segundos após a separação do terceiro estágio, o quarto e último estágio confere o impulso final para se atingir a velocidade orbital, tendo a sua queima uma duração de 12 minutos e 45 segundos. A separação da carga ocorre 17 minutos e 40 segundos após o lançamento.

Lançamento Veículo Data Hora (UTC) Local Lançamento Carga
2017-002 Y1 09/Jan/2017 04:11:12.026 Jiuquan, LC43/95 Jilin-1 (03)

Xingyun Shiyan-1

Kaidun-1

2018-075 Y8 29/Set/2018 04:13:29.9 Jiuquan, LC43/95 Xiangrikui-1 (CentiSpace-1 S1)
2019-058 Y10 30/Ago/2019 23:41:25.324 Jiuquan, LC45/95 Taiji-1 KX-09 Kexue-09

Xiaoxiang-1-07 / TY-1(07)

2019-075 Y11 13/Nov/2019 03:40:35 Jiuquan, LC45/95 Jilin-1 Gaofen-02A
2019-077 Y7 17/Nov/2019 10:00:02 Jiuquan, LC45/95 KL-Alpha A

KL-Alpha B

2019-086 Y2 07/Dez/2019 02:55:46 Taiyuan Jilin-1 Gaofen-02B
2019-087 Y12 07/Dez/2019 08:52:XX Taiyuan HEAD-2A

HEAD-2B

Tianyi-16

Tianyi-17

Tianqi-4A

Tianqi-4B

2020-004 Y9 16/Jan/2020 0302:XX Jiuquan, LC43/95 Yinhe-1 (GS-Sparksat 03)

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5911

– Lançamento orbital China: 350 (5,92%)

– Lançamento orbital desde Jiuquan: 124 (2,10% – 35,43%)

Os quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2019 por polígono de lançamento.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

5912 – 16 Jan (2105:07) – Ariane-5ECA (VA251) – CSG Kourou, ELA3 – Eutelsat Konnect, GSat-30

5913 – 20 Jan (0720:XX) – Falcon 9-080 – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Starlink v1.0 (x60) F3

5914 – 24 Jan (1000:XX) – 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat – GIK-1 Plesetsk, LC43/4 – Meridian n.º 19L

5915 – 27 Jan (0100:00) – H-2A/202 (F41) – Tanegashima, Yoshinubo LP1 – IGS Optical-7

5916 – 05 Fev (XXXX:XX) – 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat – GIK-1 Plesetsk, LC43/3 – 14F113 GLONASS-M n.º 60

5917 – 06 Fev (0427:XX) – Atlas-V/411 (AV-087) – Cabo Canaveral AFS, SLC-41 – Solar Orbiter

%d blogueiros gostam disto: