China lança primeiro Chang Zheng-8

Foi lançado com sucesso desde o Centro de Lançamentos Espaciais de Wenchang, o primeiro foguetão CZ-8 Chang Zheng-8 que abre assim as portas para a era dos veículos lançadores reutilizáveis por parte do gigante asiático.

Apesar de nesta missão não se ter procedido à recuperação do primeiro estágio, no futuro a versão recuperável deste lançador virá a substituir as actuais famílias de foguetões Chineses.

O lançamento do Chang Zheng-8 (Y1) teve lugar às 0437:37,198UTC do dia 22 de Dezembro de 2020 e foi levado a cabo a partir do Complexo de Lançamento LC201.

O lançamento estava originalmente previsto para ter lugar a 2o de Dezembro, mas acabaria por ser adiado devido às más condições meteorológicas, nomeadamente devido à ocorrência de ventos fortes em altitude.

O Chang Zheng-8

O LM-8 foi desenvolvido pela Academia Chinesa de Tecnologia de Veículos de Lançamento (CALT – China Academy of Launch Vehicle Technology) e seu desenvolvimento visa atender à demanda por missões comerciais económicas, de médio porte e alta frequência. O novo lançador foi descrito pela primeira vez em 2017, mas desde então foi redesenhado para ser capaz de apresentar uma recuperação de seu primeiro estágio e dos propulsores laterais. Tem 50,34 metros de altura e 3,35 metros de diâmetro. A massa no lançamento é de 356.000 kg.

O seu primeiro estágio (ou estágio central) tem um diâmetro de 3,35 m com dois motores YF-100 herdados do Chang Zheng-7, sendo abastecido por querosene RP-1 e oxigénio líquido (LOX). O primeiro estágio tem 25,083 metros de comprimento, podendo ser auxiliado com dois propulsores laterais de combustível líquido opcionais de 2,25 metros de diâmetro e 26,903 metros de comprimento, também alimentados por RP-1 e LOX, e usando um motor YF-100.

O desenvolvimento do YF-100 começou em 2000 na Academia Aeroespacial de Tecnologia de Propulsão Líquida. O motor foi certificado pela Administração Estatal de Ciência, Tecnologia e Indústria para a Defesa Nacional (SASTIND) em Maio de 2012.

É um motor de ciclo de combustão em estágios que produz 1.199,19 kN ao nível do mar com um impulso específico (Isp) de 2.942,0 Ns/kg (os valores de vácuo são: impulso de 1.339,48 kN e Isp 3.286,2 Ns/kg). O YF-100 também é usado nos lançadores CZ-5 Chang Zheng-5 e CZ-6 Chang Zheng-6.

O segundo estágio é um estágio criogénico que consome hidrogénio líquido (LH2) e LOX, equipado por dois motores YF-75, herdados do CZ-3, desenvolvendo 167,17 kN e com Isp de 4.295 Ns/kg cada. Tem 12,375 metros de comprimento e 3,0 metros de diâmetro.

O LM-8 é capaz de lançar uma carga de 5.000 kg para uma órbita sincronizada com o Sol a 700 km de altitude, uma carga de 8.400 kg para a órbita terrestre baixa ou 2.800 kg para uma órbita de transferência para a órbita geossíncrona.

Em missões futuras, o primeiro estágio será modificado para ser reutilizável (o CZ-8R), apresentando aterragem vertical utilizando pernas de pouso implantáveis. Os propulsores laterais permanecerão acoplados ao estágio central para a aterragem.

Também no futuro é possível que o CZ-8 seja lançado sem os propulsores laterais (a versão CZ-8A) e a partir de plataformas  oceânicas flutuantes.

A carga da primeira missão

Rumores antes do lançamento indicavam que o primeiro CZ-8 iria colocar em órbita nove satélites, entre os quais o misterioso XJY-7 Xinjishu Yanzheng-7. Após o lançamento foi confirmado que o primeiro Chang Zheng-8 colocou em órbita cinco satélites de diferentes tipos.

A carga principal da missão foi o Xinjishu Yanzheng-7 (新技术验证七号卫星). Pouco se sabe acerca deste satélite, além de que possivelmente irá testar novas tecnologias de detecção remota. Um veículo semelhante (XJY-6) foi perdido no primeiro lançamento do CZ-7A Chang Zheng-7A a 16 de Março de 2020.

Anteriormente designado EthSat6U, o ET-SMART-RSS é um nano-satélite Etíope de detecção remota baseado no modelo CubeSat-6U desenvolvido em conjunto pelo Instituto de Ciência e Tecnologia Espacial da Etiópia (ESSTI – Ethiopian Space Science and Technology Institute) e pela a empresa espacial Chinesa Beijing Smart Satellite Technology (SMART). A missão principal é a de fornecer serviços de observação da Terra para países da África e para a China, bem como fortalecer a colaboração entre a ESSTI e a SMART.

A equipa do ESSTI preparou o projeto preliminar do satélite e, em seguida, o projeto crítico. A Smart Satellite foi responsável pelo fabrico, montagem, integração e testes em estreita consulta com o ESSTI. O satélite chegou ao local de lançamento a 26 de Novembro de 2020. ET-SMART-RSS também é designado como Zhixing-1A (智星一号A).

O satélite está equipado com uma roda de reacção micro-nano e com componentes de chip de controlo desenvolvidos de forma independente pelo Instituto de Tecnologia de Pequim. Os dados de satélite servirão os mercados de aplicativos de detecção remota na China e na Etiópia. O satélite é nomeado comercialmente pelo instituto Beijing Zhixing Aerospace Application Technology Research Institute e pelo Beijing Aerospace Cloud Education Technology Co., Ltd., e será utilizado em educação científica aeroespacial, agricultura, turismo, monitorização ambiental e outros campos.

O Tianqi-8 é um pequeno satélite de comunicações experimental com uma massa de cerca de 8 kg. Os satélites Tianqi podem por vezes ser designados Tiange.

O satélite faz parte da denominada “Constelação Apocalíptica” com o objectivo de fornecer aos usuários serviços de recolha e transmissão de dados muito necessários para áreas sem cobertura de rede terrestre, amplamente utilizadas nas indústrias marítimas, de protecção ambiental, meteorológicas, florestais, geológicas, de emergência, de resgate e de cidades inteligentes para melhorar a economia global da China. A cobertura da rede de dados e os recursos de aplicativos são de importância estratégica.

O satélite Haisi-1 (海丝一号) foi desenvolvido em conjunto pelo 38.º Instituto de Pesquisa de Energia Elétrica da China, o Instituto de Pesquisa Tianyi e outros participantes. O trabalho de pesquisa e desenvolvimento do satélite começou em Junho de 2019.

O Haisi-1 é o primeiro veículo de teste de satélite de detecção remota utilizando SAR de banda C e resolução de 1 metro, baseado em antenas em fase ativas. O satélite, com uma massa de 180 kg, será usado na pesquisa científica marinha e nas necessidades de pesquisa da universidade e da indústria para aplicações de detecção remota, e na exploração de novos modelos aeroespaciais comerciais.

O satélite Yuanguang é um veículo com uma massa de 20 kg destinado a levar a cabo experiências cientificas, pertencendo à SpaceTY Co., Ltd. (Changsha).

Wenchang – um centro espacial para o futuro

O Centro de Lançamentos Espaciais de Wenchang está localizado no canto Nordeste da Ilha de Hainan na costa Sul da China.

O novo complexo de lançamento traz uma maior versatilidade que não proporcionada pelos restantes três locais de lançamento (Jiuquan, Xichang e Taiyuan). Wenchang fornece um aumento de performance para os lançadores que é ganho devido ao facto de se localizar a somente 19.º de latitude do equador terrestre. Isto reduz a quantidade de propelente que é necessário para o satélite manobrar a partir da sua órbita inicial para a órbita geossíncrona.

Os foguetões podem ser lançados numa direcção a Sudeste para o Pacífico Sul, evitando assim a possibilidade de destroços ou dos estágios caírem sobre zonas populacionais.

Wenchang está equipado com dois complexos de lançamento. O Complexo de Lançamento LC101 é utilizado para a família de foguetões CZ-5 Chang Zheng-5, enquanto que o Complexo de Lançamento LC201 é utilizado para o foguetão CZ-7 Chang Zheng-7. Ambas as plataforma de lançamento são similares e estão equipadas com uma torre umbilical fixa, fossos e condutas deflectoras de chamas. Tal como acontece nos outros coentros espaciais da China, as torres umbilicais possuem braços amovíveis que permitem o acesso dos técnicos aos diferentes estágios do lançador e à sua carga.

As plataformas de lançamento utilizam um sistema de supressão de ondas de choque, inundando a base da plataforma de lançamento e o fosso deflector das chamas com um grande volume de água para assim diminuir as ondas sonoras geradas pelos motores do veículo.

As plataformas são servidas por dois edifícios de integração e montagem. O Complexo de Lançamento LC101 é servido pelo Edifício 501, enquanto que o Complexo de Lançamento LC201 é servido pelo Edifício 502. Cada edifício tem uma altura de 99,4 metros permitindo a montagem e teste do veículo lançador na sua posição vertical já totalmente integrado. Esta é uma nova aproximação à maneira como os lançadores são preparados para as suas missões já que nos restantes centros de lançamento, os foguetões são montados no complexo de lançamento.

Após serem montados no edifício de integração e montagem sobre uma plataforma de lançamento móvel, o conjunto é transportado para o complexo de lançamento. A viagem demora vários minutos a percorrer os 2.800 metros que separação os dois edifícios. Após chegar à plataforma de lançamento, a estrutura móvel é colocada sobre o fosso das chamas e procede-se à ligação das conexões umbilicais entre a estrutura fixa e a plataforma móvel que contém o lançador.

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 6019

– Lançamento orbital China: 387 (6,43%)

– Lançamento orbital desde Wenchang: 10 (0,17% – 2,58%)

O quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2020 por polígono de lançamento.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

6020 – 28 Dez (1642:??) – 372RN21A Soyuz-ST-A/Fregat-M (VS25) – CSG Kourou (Sinnamary), ELS – CSO-2

6021 – 05 Jan (0127:??) – Falcon 9-104 (B1060.4) – Cabo Canaveral SFS, SLC-40 – Turksat-5A

6022 – 14 Jan (????:??) – Falcon 9-106 – Cabo Canaveral SFS, SLC-40 – QPS-SAR 2 (Izanami), Umbra-SAR 2001, Capella-3 (Capella Whitney-1), Capella-4 (Capella Whitney-2), XR-1, Landmapper-Demo 6, Landmapper-Demo 7, GNOMES-2, GHGSat C2 (Hugo), Hawk-2A, Hawk-E, Hawk-F, SHERPA-FX 1, Vigoride-1, ION-SCV 2 (ION-SCV Laurentius), SAMSON-1, SAMSON-2, SAMSON-3, AuroraSat-1, RadCube, VZLUsat-2, LINCS-A, LINCS-B, UVSQ-SAT, CPOD-A (PONSFD-A), CPOD-B (PONSFD-B), Astrocast 1.x1 a Astrocast 1.x5, SpaceBEE x1 a SpaceBEE x36, Delfi-PQ 1, SATTLA-2, EASAT, HADES, Grizu-263a, LibertyQube-1, Pycubed, TRSI-2, Tartan Artibeus, PTD-1, Lemur-2 x1 a Lemur-2 x8, SW1FT, Prometheus-2 10, ARCE-1A, ARCE-1B, ARCE-1C, etc.

6023 – 20 Jan (????:??) – Shuangquxian-1 (Y2) – Jiuquan – Fangzhou-2

6024 – 01 Fev (????:??) – Antares-230+ – MARS Wallops Isl., LA-0A – Cygnus CRS-15 (NG 15), IT-SPINS, ThinSat-2A, ThinSat-2B, ThinSat-2C, ThinSat-2D, ThinSat-2E, ThinSat-2F, ThinSat-2G, ThinSat-2H, ThinSat-2I

6025 – 03 Fev (????:??) – Vega – CSG Kourou, ZLV – Pléiades-Neo 1, NORSAT-3, ELO Alpha, Lemur-2 (?), Myriota-1, Myriota-2, Myriota-3, EIRSAT-1



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu