China lança cinco novos satélites

A China levou a cabo o lançamento de cinco novos satélites de detecção remota a 19 de Setembro de 2019. O lançamento do denominado Zhuhai-1 Grupo-3 teve lugar às 06:42:00,275UTC a partir do Complexo de Lançamento LC43/95 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan e foi levado a cabo pelo foguetão CZ-11 Chang Zheng-11 (Y8/Y20011908).

Os satélites que compõe o Zhuhai-1 Grupo-3 são o satélite de obtenção de imagens de vídeo OVS-3 Chunlei Jìhua Zhixing (春蕾计划之星) e os satélites hiperespectrais OHS-3A Fenbie Shì Xihai’an-1 (分别是西海岸一号), OHS-3B Feitian Maotai (飞天茅台), OHS-3C Gaomi-1 (⾼密⼀号) e OHS-3D GuoyuanV9 (国缘V9).


A constelação de microssatélites de detecção remota Zhuhai-1 é uma constelação comercial de satélites construída e operada pela Zhuhai Orbita Aerospace Science and Technology Co., Ltd. Os primeiros satélites foram lançados em 2017 e 2018, iniciando o lançamento e operação de constelações de satélites por empresas privadas na China.

A constelação é composta por satélites de obtenção de imagens de vídeo e satélites hiperespectrais. Os satélites de vídeo têm uma massa de lançamento de 90 kg e apresentam um sistema de vídeo de alta resolução para observação da Terra com uma resolução espacial de 0,9 metros e uma largura de faixa de 22,5 km. Podem capturar sequências de vídeo de 120 segundos. No modo de varrimento, os satélites podem capturar imagens com 2.500 km de extensão.

Os satélites hiperespectrais têm uma resolução no solo de 10 metros e uma largura de faixa de 150 km. A resolução espectral é de 2,5 nm. Obtêm imagens de 150 km × 2500 km no modo de varrimento.

Os satélites de obtenção de imagens de vídeo e imagens hiperespectrais fornecem garantias de monitorização para usuários no governo, institutos de pesquisa, empresas, escolas e outros campos, fornecendo protecção de dados para o desenvolvimento da indústria nacional com a obtenção de uma grande quantidade de dados.

Sendo a primeira empresa privada na China a lançar satélites hiperespectrais, os quatro satélites hiperespectrais agora lançados preenchem a lacuna no campo hiperespectral aeroespacial comercial da China.

As empresas privadas participam activamente na construção da infraestrutura espacial nacional chinesa e desenvolvem-se vigorosamente na direcção do modelo da indústria aeroespacial comercial. Actualmente, a empresa está a implementar activamente aplicativos nacionais de demonstração de dados de satélite de alto espectro.

Os projectos destes aplicativos cobriram Guangdong, Guizhou, Hunan, Xinjiang, Shanxi, Henan, Guangxi, Shandong, Chongqing e outras províncias e regiões autónomas, e continuam a fornecer serviços de dados a cidades e muitas províncias.

Os satélites agora lançados concluíram todas as tarefas de projecção, montagem e teste a 19 de Agosto e foram enviados para o local de lançamento no final desse mês.

Com este lançamento, a constelação de microssatélites de detecção remota Zhuhai-1 estabelecerá uma rede de 12 satélites, na qual os satélites hiperespectrais realizarão uma rede de 8 satélites, que pode alcançar uma cobertura de dois dias e meio da Terra e revisitar áreas específicas por um dia, melhorando consideravelmente a cobertura da superfície.

A constelação de satélites hiperespectrais Zhuhai-1 é aquela com a maior resolução espacial e a maior cobertura de largura de banda na China, atendendo às necessidades dos usuários para monitorização contínuo de alta frequência e promovendo ainda mais as aplicações hiperespectrais aeroespaciais comerciais da China.

Os satélites operarão em uma órbita síncrona ao sol de 500 km.

A empresa aproveitará a recolha de grandes quantidades de dados por detecção remota, processamento de dados e análise especial para tornar os produtos e serviços de grandes quantidades de por satélite mais eficazes e eficientes para recursos naturais, ambiente ecológico, agricultura e áreas rurais, gestão de tráfego, gestão de emergências e construção urbana, planeamento e seguro financeiro, fornecendo serviços em sectores e áreas como cidades inteligentes, ajudando governos a todos os níveis a obter decisões precisas, governação precisa e gestão precisa.

O foguetão Chang Zheng-11

cz-11-002667Poucas características são conhecidas do CZ-11 Chang Zheng-11 (长征十一号). Este lançador é um veículo a quatro estágios que consomem prepolente sólido. Possivelmente, o quarto estágio deverá estar equipado com um sistema de controlo que utiliza propelentes líquidos. O CZ-11 foi desenvolvido pela Corporação de Ciência e Tecnologia Industrial da China uma subsidiária da Academia Chinesa de Tecnologia de Lançadores Espaciais.

O foguetão tem um comprimento de 20,8 metros, diâmetro de 2,0 metros e uma massa de 58.000 kg, desenvolvendo 120.000 kg/f no lançamento, sendo capaz de colocar uma carga de 350 kg numa órbita sincronizada com o Sol a uma altitude de 700 km. Pode ser equipado com duas carenagens distintas (1,6 metros de diâmetro e 2,0 metros de diâmetro) dependendo da missão a levar a cabo.

É um veículo de actuação rápida, podendo ser pronto para o lançamento numa questão de horas. O objectivo é dar resposta rápida em situações de emergência. O CZ-11 está projectado para o lançamento de pequenas cargas. O quadro seguinte mostra a capacidade de carga (kg) em relação à altitude da órbita circular para o Chang Zheng-11.

cz-11-002666

A figura mostra um esquema do foguetão Chang Zheng-11: 1) carenagem de protecção; 2) satélites; 3) adaptador de carga; 4) compartimento de equipamento de controlo; 5) motor de combustível sólido do 4.º estágio; 6) sistema de controlo de reacção; 7) motor de combustível sólido do 3.º estágio; 8) motor de combustível sólido do 2.º estágio; 9) motor de combustível sólido do 1.º estágio; 10) 4.º estágio; 11) 3.º estágio; 12) 2.º estágio; 13) 1.º estágio.

O primeiro lançamento do Chang Zheng-11 teve lugar às 0145UTC do dia 25 de Setembro de 2015 quando o veículo Y1 colocou em órbita os satélites Pujiang-1, Shangkeda-2 (TW-1A Tianwang-1A / SECM-1), NJUST-2 (TW-1B Tianwang-1B) e NJFA-1 (TW-1C Tianwang-1C).

O Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan

O primeiro centro de lançamento de satélites da China é também conhecido como Shuang Cheng Tse. O Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan está localizado a 41º N – 100º E, na região de Jiuquan – região da Mongólia Interior, no Noroeste da China. Desde Jiuquan é possível atingir uma inclinação orbital máxima de 56,0º e uma inclinação orbital mínima de 40,0º.

Foi o primeiro local de testes e lançamento de mísseis e veículos espaciais. O aeroporto de Jiuquan está localizado a 75 km a Sul do local e uma linha de ferro liga-o directamente ao centro espacial. As instalações do complexo dão apoio a todas as fases da campanha de preparação de um lançamento espacial. Inclui o Centro Técnico, o Complexo de Lançamento, o Centro de Controlo de Lançamento, o Centro de Controlo e Comando da Missão, o sistema de abastecimento, os sistemas de detecção e rastreio, os sistemas de comunicações, os sistemas de fornecimento de gás, os sistemas de previsão meteorológica e os sistemas de suporte logístico.

Originalmente o centro espacial de Jiuquan foi utilizado para o lançamento de satélites científicos e recuperáveis para órbitas baixas ou de média altitude com altas inclinações orbitais.

Em 1999 o Centro Sul (LC43) ficou operacional para ser utilizado para o lançamento dos foguetões pesados CZ-2E Chang Zheng-2E e CZ-2F Chang Zheng-2F. O centro é constituído por duas áreas, o Centro Técnico e o Centro de Lançamento. O Centro de Lançamento está localizado a 40º57,4’ N – 100º 17,4’ E com uma elevação de 1.073 metros de altitude. Uma torre umbilical com uma altura de 75 metros está equipada com um elevador à prova de explosões e a plataforma móvel tem um peso de 75.000 kg e tem um comprimento de 24,4 metros, uma largura de 21,7 metros e uma altura de 8,4 metros, movendo-se a uma velocidade máxima de 28 metros por minutos.

O Centro Técnico está localizado a 1,5 km de distância do Centro de Lançamento. O Centro Técnico inclui um edifício de processamento vertical com duas salas de processamento com um comprimento de 26,8 metros, uma largura de 28,0 metros e uma altura de 81,6 metros. Todos os edifícios importantes, incluindo o edifício de processamento vertical e uma área da torre umbilical, são locais com ar condicionado e de classe de limpeza 100,000.

O edifício de processamento vertical, que tem a designação de código 920-520, é o maior edifício de um único andar construído em betão armado. Possui também o telhado de betão armado mais alto (86,1 metros) e mais pesado (13.000 t) do mundo.

O centro de Jiuquan possui três áreas de lançamento:

  • Área de Lançamento n.º 2 (LC2): está localizada a uma latitude de 41,3100º N e a uma longitude de 100,3050º E. Possui duas plataformas de lançamento (5020 e 138) e o primeiro lançamento foi aí levado a cabo no dia 26 de Dezembro de 1966, com o último lançamento a ter lugar a 3 de Julho de 1994. No total foram realizados 41 lançamentos utilizando os foguetões CZ-1 Chang Zheng-1, CZ-2A Chang Zheng-2A, CZ-2C Chang Zheng-2C (plataforma localizada a uma latitude de 41,118º N e a uma longitude de 100,316º E), CZ-2D Chang Zheng-2D, DF-3 Dong Feng-3, DF-5 Dong Feng-5 e FB-1 Feng Bao-1.
  • Área de Lançamento nº 3 (LC3): está localizada a uma latitude de 41,1000º N e a uma longitude de 100,7800º E. Possui uma única plataforma de lançamento e o primeiro lançamento foi aí levado a cabo no dia 1 de Setembro de 1960, com o último lançamento a ter lugar a 27 de Outubro de 1966. No total foram realizados 9 lançamentos utilizando os foguetões DF-1 Dong Feng-1, DF-2 Dong Feng-2, DF-2A Dong Feng-2A e R-2.
  • Complexo de Lançamento Sul (LC43): está localizada a uma latitude de 40,9581º N e a uma longitude de 100,2912º E, perto da cidade de Huxi Xincun. Possui duas plataformas de lançamento: a Plataforma 94 (também designada 603) para voos não tripulados, a Plataforma 91 (também designada) 921 para voos ligados ao programa espacial tripulado e a Plataforma 95 para lançamentos com os veículos de propulsão sólida. O primeiro lançamento desde este complexo foi levado a cabo no dia 19 de Novembro de 1999.

A construção do complexo foi iniciada em Junho de 1956, com a construção das vias-férreas até ao local de ensaio de mísseis. O primeiro lançamento chinês de um míssil soviético R-2 deu-se em Setembro de 1960, com o míssil a atingir uma altitude de 100 km. O primeiro lançamento de um míssil R-2 construído pela China (modelo 1059) deu-se a 5 de Novembro de 1960.

A 21 de Março de 1962 teve lugar a primeira tentativa de lançamento do míssil DF-2 Dong Feng-2 que resultou num fracasso devido à fraca potência originada pelo motor. O primeiro teste com sucesso teve lugar a 29 de Junho de 1964. No dia 27 de Outubro de 1966 foi levado a cabo o lançamento de um míssil DF-2 Dong Feng-2 equipado com uma ogiva nuclear de 20 kt. O míssil executou um voo de 800 km detonando a sua carga na zona de testes nucleares de Lop Nor. O primeiro voo com sucesso do míssil DF-3 Dong Feng-3 tem lugar a 26 de Dezembro de 1966. Em 10 de Janeiro de 1970 é levado a cabo o primeiro teste sub-orbital do foguetão CZ-1 Chang Zheng-1 e a 10 de Agosto de 1972 é levado a cabo o primeiro teste do foguetão FB-1 Feng Bao-1 que atinge uma altitude de 200 km num voo sub-orbital.

A 18 de Maio de 1980 é levado a cabo o lançamento de um míssil DF-5 Dong Feng-5 que percorrer o máximo possível da sua trajectória desde Jiuquan até ao Sul do Oceano Pacífico num total de mais de 10.000 km. A cápsula de reentrada é recuperada pela Marinha Chinesa e alguns analistas norte-americanos acreditam que a cápsula foi o teste de um protótipo de um veículo tripulado.

O centro inclui um Centro Técnico, dois complexos de lançamento, um Centro de Comando e Controlo, um Centro de Controlo de Lançamento, sistemas de abastecimento, sistemas de previsão meteorológica, e sistemas de suporte logístico. Jiuquan foi originalmente utilizado para o lançamento de satélites científicos e de satélites recuperáveis para órbitas terrestres baixas ou de média altitude com altas inclinações.

O programa espacial tripulado utiliza a Plataforma de Lançamento 921 situada no Complexo de Lançamento Sul. Este foi construído na segunda metade dos anos 90 e mais tarde foi-lhe acrescentada a Plataforma de Lançamento 603 para lançamentos não tripulados.

Para além das plataformas de lançamento, o complexo de lançamento está dotado de um centro técnico onde decorrem os preparativos do foguetão lançador e das suas cargas. O Centro Técnico é composto de instalações de processamento e de montagem vertical do lançador, edifícios de processamento de cargas, edifício de processamento dos propulsores sólidos, edifício de armazenamento de propelentes hipergólicos e o centro de controlo de lançamento.

O complexo está equipado com um centro computacional melhorado, sistemas de monitorização e comando, e uma capacidade aumentada para se adaptar às alterações nas condições das missões, bem como os recursos necessários para lidar com as tarefas do lançamento e de comando. Um sistema integrado de treino para os lançamentos espaciais foi também desenvolvido para esta missão. Os engenheiros também levaram a cabo uma verificação técnica intensiva de dois meses no equipamento entre Março e Maio de 2011. A segurança e a fiabilidade dos instrumentos foram significativamente melhoradas. Os lançamentos orbitais desde Jiuquan são supervisionados desde o Centro de Comando e Controlo situada na cidade espacial de Dongfeng, 60 km a sudoeste do centro de lançamento.

A torre umbilical do complexo 921 é composta por uma estrutura fixa e um par de seis plataformas rotativas. Uma vez chagado à plataforma de lançamento, as plataformas rotativas são colocadas em torno do foguetão para permitir o seu abastecimento e para que os técnicos tenham acesso às suas diferentes zonas para realizarem os procedimentos finais de verificação. A torre umbilical também contém uma área protegida e de ambiente controlado para permitir o acesso dos taikonautas ao interior dos veículos. As plataformas rotativas são removidas uma hora antes do lançamento, enquanto que quatro braços móveis proporcionam ligações para o fornecimento de electricidade, gases e fluidos para o lançador. Estes braços são removidos minutos antes do lançamento.

O foguetão lançador é transportado sobre uma plataforma móvel de lançamento desde o edifício de integração vertical para a plataforma de lançamento. A plataforma móvel move-se num sistema de carris separados 20 metros e atinge uma velocidade máxima de 25 metros/minuto. A plataforma tem um comprimento de 24,4 metros, largura de 21,7 metros e uma altura de 8,34 metros, tendo um peso de 750.000 kg. A viagem entre o edifício de montagem e a plataforma de lançamento demora 60 minutos estando afastados 1,5 km.

O primeiro lançamento orbital desde Jiuquan teve lugar a 24 de Abril de 1970 quando um foguetão CZ-1 Chang Zheng-1 colocou em órbita o primeiro satélite artificial da China, o Dongfanghong-1 (04382 1970-034A).

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5870

– Lançamento orbital China: 333 (5,67%)

– Lançamento orbital desde Jiuquan: 120 (2,04% – 36,04%)

Os quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2019 por polígono de lançamento.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

5871 – 22 Set (2035:04) – CZ-3B Chang Zheng-3B/YZ-1 (Y65?) – Xichang, LC3 – Beidou-3M19 (?), Beidou-3M20 (?)

5872 – 23 Set (????:??) – Astra – Kodiak, LP-3B – NSLSat-1

5873 – 25 Set (1357:00) – 11A511U-FG Soyuz-FG (Ya15000-071) – Baikonur, LC1 PU-5 – Soyuz MS-15

5874 – 30 Set (1026:00) – 8K82KM Proton-M/Briz-M (93704/99573) – Baikonur, LC200 PU-39 – Eutelsat-5 West B, MEV-1

5875 – 01 Out (????:??) – Electron – Máhia, LC-1 – MCNAIR

 

Comente este post

%d blogueiros gostam disto: