CHEOPS passa revisão final antes do embarque para o local de lançamento

O Satélite Caracterizador de Exoplanetas, Cheops, passou com sucesso a análise final para o seu lançamento num foguetão Soyuz, a partir do Porto Espacial Europeu em Kourou, na Guiana Francesa.

Todas as avaliações técnicas realizadas pela Arianespace sobre os principais aspectos da missão, incluindo a trajectória de lançamento e a separação da carga útil, mostraram resultados positivos.


Estamos entusiasmados por ter passado por este importante marco e recebido a luz verde da Arianespace”, diz Nicola Rando, director do projeto Cheops da ESA.

O manifesto de lançamento da Arianespace para os próximos meses está actualmente em discussão, com a data exacta de envio de Cheops para o Porto Espacial, e a sua data de lançamento, a serem confirmadas mais tarde. A missão está prevista para lançamento no último trimestre de 2019.

Cheops é uma missão de acompanhamento para o estudo de exoplanetas. Observará estrelas brilhantes que já são conhecidas por albergar planetas, medindo mudanças minúsculas de brilho devido ao trânsito do planeta através do disco da estrela.

A missão terá como alvo as estrelas que albergam planetas na faixa de tamanho da Terra a Neptuno, produzindo medições precisas dos tamanhos dos planetas. Isto, juntamente com informações conhecidas sobre as massas do planeta, permitirá aos cientistas determinar a sua densidade aparente, possibilitando o primeiro passo para uma caracterização desses mundos extrassolares. A densidade de um planeta fornece pistas vitais sobre a sua composição e estrutura, indicando, por exemplo, se é predominantemente rochoso ou gasoso, ou talvez acolha oceanos significativos.

Estamos muito ansiosos pelo início da nossa aventura científica e pelo acompanhamento de alguns dos exoplanetas conhecidos em mais detalhe”, diz Kate Isaak, cientista do projecto Cheops da ESA.

Cheops descolará como passageiro secundário num foguetão Soyuz-Fregat, dividindo o trajecto para espaço com um satélite que faz parte da constelação italiana Cosmo-SkyMed.

O lançador também transportará cinco “CubeSats”, pequenos satélites baseados em unidades cúbicas padronizadas de 10 cm. Isso inclui o OPS-SAT da ESA, um satélite de 30 cm de altura com um computador potente para demonstrar uma melhoria na capacidade de controlo da missão, que surgirá quando os satélites puderem voar computadores mais potentes.

A data de lançamento será anunciada uma vez confirmada pela Arianespace.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

 

Comente este post

%d blogueiros gostam disto: