Calendário do programa espacial tripulado da China em 2021

O ano de 2021 será crucial para as ambições da China no desenvolvimento do seu programa espacial tripulado.

Finalizada a segunda fase do seu programa espacial tripulado (com o lançamento e ocupação em órbita das estações espaciais Tiangong-1 e Tiangong-2), a China prepara-se para colocar em órbita o primeiro elemento da sua estação espacial modular, a Tiangong, permitindo assim permanências em órbita mais prolongadas.

Assim, e com os preparativos a decorrer em Wenchang, o primeiro módulo da estação espacial chinesa Tiangong, o Tianhe-1, será colocado em órbita em Março ou Abril de 2021.

O módulo Tianhe-1 (Harmonia dos Céus) será colocado em órbita pelo foguetão Chang Zheng-5B (Y2). Com uma massa de cerca de 20.000 kg, o módulo irá ser colocado numa órbita com uma altitude média de 393 km e irá servir de núcleo da estação espacial Tiangong.

O Tianhe-1 está dividido em duas grandes secções cilíndricas, a maior com um diâmetro de 4,2 metros. O seu comprimento total é de 16,6 metros, com uma massa de cerca de 22.000 kg e um volume habitável de cerca de 50 m3.

O módulo nuclear da Tiangong é ainda composto por uma cabe de recursos, uma secção de acoplagem e uma secção cilíndrica com um diâmetro de 2,8 metros com cinco pontos de acoplagem que irão permitir a junção de novos módulos experimentais. O módulo pode albergar três tripulantes e o seu tempo de vida útil é de 15 anos com manutenção orbital. O Tianhe-1 está equipado comos sistemas de suporte de vida para os seus tripulantes.

Os módulos Wentian e Mengtian serão módulos científicos com uma massa de cerca de 20.000 kg e que serão utilizados para levar a cabo experiências nas áreas das ciências da vida, biotecnologia, física, ciências dos materiais, microgravidade, etc. Um outro módulo experimental, o Xuntian (Cruzador dos Céus), será um telescópio espacial com um espelho de dois metros de diâmetro.

A estação espacial será regularmente abastecida com os veículos de carga Tianzhou (Navio ou Barco Celestial), cujo primeiro foi lançado em Abril de 2017 para a estação espacial Tiangong-2.

Após o lançamento do módulo Tianhe-1, a China irá lançar o veículo de carga Tianzhou-2 que será colocado em órbita por um foguetão Chang Zheng-7 a partir do Complexo de Lançamento LC201 do Centro de Lançamentos Espaciais de Wenchang. O Tianzhou-2, que deverá ser lançado em Abril, irá acoplar com o Tianhe-1 de forma automática.

A cápsula espacial tripulada Shenzhou-12 será então lançada pelo foguetão Chang Zheng-2F/G (Y13) a partir do Complexo de Lançamento LC43/91 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan para uma missão de vários meses em órbita a bordo da nova estação espacial. O lançamento da Shenzhou-12 está previsto para Junho e deverá transportar três tripulantes.

O veículo de carga Tianzhou-3 será lançado pelo foguetão Chang Zheng-7 (Y4?) a partir de Wenchang em Agosto e a cápsula espacial tripulada Shenzhou-13 deverá ser lançada em Setembro pelo foguetão Chang Zheng-2F/G (Y14). Nesta fase não é certo que a tripulação da Shenzhou-13 venha a substituir a tripulação da Shenzhou-12 ainda em órbita ou se esta irá regressar à Terra antes da chegada da tripulação seguinte.

Imagens: Internet Chinesa



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post