“As The Crow Flies” da RocketLab lança Palisade

 

Texto de Salomé T. Fagundes / Rui C. Barbosa

A RocketLab levou a cabo a sua nona missão orbital, desta vez colocando em órbita apenas um satélite. O lançamento teve lugar às 0122UTC do dia 17 de Outubro de 2019 e foi levado a cabo desde o Complexo de Lançamento LC-1 do Centro de Lançamentos de Máhia, Nova Zelândia. O lançamento da missão “As The Crow Flies” foi levado a cabo pelo foguetão Electron/Curie F9.

O satélite Palisade foi colocado numa órbita com um perigeu a 1162 km de altitude, apogeu a 1223 km de altitude e inclinação orbital de 87,8°.

O lançamento estava originalmente previsto para ter lugar às 2330UTC do dia 14 de Outubro, mas foi adiado devido às más condições meteorológicas previstas para o dia do lançamento.

Na sua quinta missão do ano 2019 a RocketLab colocou em órbita um micro satélite para a construtora e operadora Astro Digital. Este é um satélite de demonstração de tecnologia designado Palisade (Demo-1). É baseado no modelo CubeSat-16U com um sistema de propulsão a bordo, um sistema de comunicações da próxima geração desenvolvido pela Astro Digital e software desenvolvido pela Advanced Solutions Inc. incluindo uma avançada versão do MAX Flight Software ASI.

Nesta missão o estagio Curie colocou a sua carga numa orbita com mais do dobro da altitude conseguida por qualquer missão da RocketLab até ao momento.

A missão tem o nome de “As The Crow Flies” em homenagem a Palataforma Corvus da Astro Digital, que oferece soluções flexíveis e de custo beneficio através de uma vasta gama de aplicações e perfis de missões em nas variantes de modelos CubeSat desde 6U a 16U até a classe ESPA.

O primeiro estágio do lançador estava equipado com um sistema de telemetria para recolher uma grande quantidade de dados acerca do seu ambiente de reentrada. Estes dados serão no futuro utilizados para reforçar o primeiro estágio e prepará-lo para as suas tentativas de recuperação.

Devido à grande quantidade de dados que será produzida, o lançador irá literalmente ejectar pequenas cápsulas de dados que serão então recuperadas no Oceano Pacífico. Se tudo correr bem e se os dados obtidos forem promissores, a RocketLab poderá tentar a sua primeira recuperação do primeiro estágio de um foguetão Electron – capturando o estágio suspenso em pára-quedas no ar com um helicóptero – no princípio de 2020.

Lançamento

O foguetão Electron era colocado na sua posição vertical a T-4h 00m e iniciava-se o processo de abastecimento de querosene. O pessoal de apoio na plataforma de lançamento deixava a área a T-2h 30m e o abastecimento de oxigénio líquido (LOX) iniciava-se a T-2h 00m.

As autoridades de aviação locais eram informadas sobre o lançamento a T-30m para assim poderem avisar os aviadores naquele espaço aéreo. Os preparativos finais para o lançamento iniciam-se a T-18m. A sequência automática de lançamento inicia-se a T-2m, com o computador de bordo do Electron a tomar conta das operações. A ignição dos motores do lançadores inicia-se a T-2s.

O foguetão abandona a plataforma de lançamento a T=0s, com uma ascensão lenta nas fases iniciais e ganhando velocidade à medida que ganha altitude. O final da queima do primeiro estágio termina a T+2m 35s e a sua separação ocorre três segundos mais tarde. A ignição do motor do segundo estágio ocorre a T+2m 42s. A separação da carenagem de protecção ocorre a T+3m03s. Aos T+06m47s ocorre a troca de baterias eléctricas que dão o impulso eléctrico necessário a ignição do motor Rutherford Vacuum.

O segundo estágio atinge a órbita terrestre a T+9m 08s, terminando a sua ignição a T+9m 14s. A separação entre o segundo estágio e o estágio Curie ocorre e T+9m 18s, com a sua ignição a ter lugar a T+1h 8m 33s. O final da queima do estágio Curie ocorre a T+1h 10m 36s. A T+1h 11m 22s o satélite é separado do último estágio.

O foguetão Electron

O Electron é um lançador a dois estágios com um comprimento de 17 metros e um diâmetro de 1,2 metros. É capaz de colocar em órbita terrestre baixa uma carga de 225 kg, sendo a sua carga nominal de 150 kg (a 500 km de altitude). Devido ao seu desenho e fabrico, o Electron é elaborado com altos níveis de automatização.

O lançador tira partido de materiais compósitos na sua fuselagem, tendo uma estrutura forte e super leve. Da mesma forma, os tanques de propolente são fabricados em materiais compósitos.

O primeiro estágio está equipado com nove motores Rutherford e tem uma capacidade de 162 kN, com um impulso específico de 303 s. O motor Rutherford consome querosene e oxigénio líquido, utilizando componentes impressos em 3D.

O motor Rutherford é um motor topo de gama que se alimenta de querosene e oxigénio líquido, e que foi especificamente projectado para o foguetão Electron utilizando um ciclo de propulsão inteiramente novo. Uma característica única deste motor são as turbinas eléctricas de alta performance que reduzem a sua massa e que substituem hardware por software. O motor Rutherford é o primeiro motor do seu tipo que utiliza impressão 3D nos seus componentes principais. Estas características são únicas no mundo para um motor de propelentes líquidos de alta performance alimentados por turbobombas eléctricas. O seu desenho orientado para a produção permitem que o Electron seja construído e os satélites lançados com uma frequência sem precedentes.

Lançamento Missão Veículo Lançador Data de Lançamento Hora

(UTC)

Carga
2017-F02 F1 It’s a Test 25 / Mai / 2017 04:20 It’s a Test

Humanity Star

2018-010 F2 Still Testing 21 / Jan / 2018 01:30 Dove Pioneer

Lemur-2 (72) ‘Tallhamn-ATC’

Lemur-2 (73) ‘Marshall’

Humanity Star

2018-088 F3 It’s Business Time 11 / Nov / 2018 03:50 CICERO-10

Lemur-2 (82) ‘Zupanski’

Lemur-2 (83) ‘Chanusiak’

Irvine-01

NABEO (Pride of Bavaria)

Proxima-I

Proxima-II

2018-104 F4 This One’s For Pickering 16 / Dez / 2018 06:34 ALBus

CeREs

CHOMPTT

Da Vinci

ISX

NMTSat

RSat-P

Shields-1

STF-1

CubeSail-1

CubeSail-2

TOMSat Eagle Scout

TOMSat R3 (AeroCube-11)

Goergen (SHFT-1)

2019-016 F5 Two Thumbs Up 28 / Mar / 2019 23:27 R3D2
2019-026 F6 That’s A Funny Looking Cactus 05 / Mai / 2019 06:00 Harbinger (ICEYE-X3)

SPARC-1

Falcon-ODE

2019-037 F7 Make it Rain 29 / Jun / 2019 04:30 BlackSky Global-3

Prometheus-2 (5)

Prometheus-2 (6)

ACRUX-1

SpaceBEE-8

SpaceBEE-9

Painani-1

2019-054 F8 Look Ma, No Hands 19 / Ago / 2019 12:12 BlackSky Global-4

BRO-1

Pearl White-1

Pearl White-2

F9 As The Crow Flies 17 / Out / 2019 00:00 PALISADE (Demo-1)

O segundo estágio do lançador é propulsionado por um motor derivado do motor Rutherford melhorado para uma excelente performance em condições de vácuo. É capaz de desenvolver 22 kN de força e um impulso específico de 333 s.

O Complexo de Lançamento LC-1 localizado na Península de Máhia entre Napier e Gisborne, na costa Este de Ilha do Norte da Nova Zelândia. Este é o primeiro complexo orbital na Nova Zelândia e o primeiro complexo a nível mundial operado de forma privada. A localização remota do LC-1, e de forma particular o seu baixo volume de tráfego marítimo e aéreo, é um factor chave que permite um acesso sem precedentes ao espaço. A posição geográfica deste local permite que seja possível a uma grande gama de azimutes de lançamento – os satélites lançados desde Máhia podem ser colocados em órbitas com uma grande variedade de inclinações para assim proporcionar serviços em muitas áreas em torno do globo.

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5879

– Lançamento orbital EUA: 1672 (28,44%)

– Lançamento orbital desde Máhia: 9 (0,15% – 0,54%)

Os quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2019 por polígono de lançamento.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

5880 – 17 Out (1500:00) – CZ-3B Chang Zheng-3B/G2 (Y57) – Xichang, LC3 – TJSW-4 Tongxìn Jishu Shiyan Weixing-4

5881 – ?? Out (????:??) – Falcon-9 – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Starlink v1.0 (x60) Voo-1

5882 – 02 Nov (1359:00) – Antares-230+ – MARS Wallops Island, LP-0A – Cygnus NG-12 (CRS-12), HuskySat, SwampSat-II, SORTIE (Helio-5), CAPSat, CryoCube-1 (CC-1), CySat-1, HARP, NEUTRON-1, Phoenix, RadSat-u, SOCRATES, SPOC, MVP-Argus (SLU 06), TJREVERB , AztechSat-1

5883 – 04 Nov (????:??) – Falcon-9 – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Starlink v1.0 (x60) Voo-2

5884 – 11 Nov (????:??) – Falcon-9 – CE Kennedy, LC-39A – Kacific-1 (JCSat-18)

 

Comente este post

%d blogueiros gostam disto: