A longa marcha da estação espacial Tiangong

Em finais de Abril, a China irá iniciar em órbita a longa marcha do seu projecto espacial mais ambicioso até à data: a construção da sua estação espacial modular, a Tiangong.

Num artigo anterior (O programa espacial tripulado da China em 2021) o Boletim Em Órbita fez um resumo de quais serão os próximos passos do programa espacial tripulado da China. Neste artigo, adiantam-se algumas datas do futuro deste programa espacial.

A estação espacial modular Tiangong será um laboratório orbital do tipo ‘Mir’, sendo constituída por um módulo central ao qual serão acrescentados outros módulos de forma gradual.

A estação será composta numa primeira fase pelos módulos Tianhe-1 (módulo central), pelos módulos científicos Wentian e Mengtian, e pelo Xuntian.

O módulo Tianhe-1 (Harmonia dos Céus) será colocado em órbita às 0318UTC do dia 29 de Abril de 2021 e será levado a cabo pelo foguetão Chang Zheng-5B (Y2) a partir do Complexo de Lançamento LC101 do Centro de Lançamentos Espaciais de Wenchang. Com uma massa de cerca de 20.000 kg, o módulo irá ser colocado numa órbita com uma altitude média de 393 km com uma inclinação orbital de 42º e irá servir de núcleo da estação espacial Tiangong.

Em órbita terrestre, o Tianhe-1 entrará na sua fase de comissionamento e quando tudo estiver verificado, e o módulo totalmente operacional, será lançado o primeiro veículo logístico. O lançamento do Tianzhou-2 está previsto para o dia 20 de Maio e será levado a cabo pelo foguetão Chang Zheng-7 (Y3) a partir do Complexo de Lançamento LC201 de Wenchang. A acoplagem com o Tianhe-1 será feita em modo automático. O Tianzhou-2 transportará combustível, água, mantimentos e experiências que serão utilizadas pela primeira tripulação a visitar o novo laboratório em órbita terrestre.

A primeira tripulação será lançada a bordo da cápsula espacial Shanzhou-12 cujo lançamento está previsto para 10 de Junho. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão Chang Zheng-2F/G (Y12) a partir da Plataforma de Lançamento 91 do Complexo de Lançamento LC43 do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan. A acoplagem com o conjunto Tianhe-1/Tianzhou-2 deverá ter lugar a 12 de Junho.

A primeira tripulação deverá permanecer em órbita até Setembro de 2021, preparando a estação espacial através da realização de várias tarefas de manutenção e com várias actividades extraveículares durante as quais serão colocadas experiências na fuselagem exterior da estação, bem como um braço robótico que no futuro será utilizado para a recolocação dos futuros módulos.

Assim, em Setembro de 2021 a Shenzhou-12 regressa à Terra, deixando o módulo Tianhe-1 a operar em modo automático na órbita terrestre. O veículo Tianzhou-2 irá também separar-se da estação, dando assim lugar para o Tianzhou-3 que será lançado neste mês pelo foguetão Chang Zheng-7 (Y4) a partir do Complexo de Lançamento LC201 de Wenchang

Uma nova tripulação será lançada em Outubro a bordo da Shenzhou-13. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão Chang Zheng-2F/G (Y13) a partir da Plataforma de Lançamento 91 do Complexo de Lançamento LC43 de Jiuquan. Esta tripulação deverá permanecer no módulo Tianhe-1 até Março de 2022.

O veículo de carga Tianzhou-4 deverá ser lançado em Março ou Abril de 2022 utilizando o foguetão Chang Zheng-7 (Y5) a partir do Complexo de Lançamento LC201 de Wenchang.

Em Abril de 2022 será feita uma avaliação tecnológica da estação espacial antes do lançamento de uma nova tripulação a bordo da Shenzhou-14. O lançamento será levado a cabo pelo foguetão Chang Zheng-2F/G (Y14) a partir da Plataforma de Lançamento 91 do Complexo de Lançamento LC43 de Jiuquan. Será esta tripulação que irá assistir à chegada dos módulos laboratoriais da Tiangong.

Os módulos Wentian e Mengtian serão módulos científicos com uma massa de cerca de 20.000 kg, comprimento de 14,4 metros e um diâmetro de 4,2 metros. Serão módulos pressurizados construídos a partir das experiências obtidas com o módulo orbital Tiangong-2 e serão utilizados para levar a cabo experiências nas áreas das ciências da vida, biotecnologia, física, ciências dos materiais, microgravidade, etc. Para além das experiências localizadas no interior pressurizado, ambos os módulos serão capazes de albergar experiências exteriores tanto e plataforma de exposição ao ambiente espacial, como fixadas nas respectivas fuselagens. Os módulos serão acoplados no porto de acoplagem axial do módulo Tianhe-1 e posteriormente transferidos para um porto lateral utilizando um sistema de manipulação remota operado a partir do interior da estação espacial ou de forma remota a partir do centro de controlo.

O módulo Wentian terá sistemas de controlo adicionais que poderão ser utilizados caso surja algum problema com o Tianhe-1. O módulo Mengtian possui funções similares ao Wentian, mas está equipado com uma escotilha especial para permitir as entrada e saída de carga e instrumentos com o auxílio dos tripulantes ou de forma autónoma utilizando o sistema de manipulação remota.

O módulo Wentian deverá ser lançado entre Maio e Junho de 2022, seguindo-se o módulo Mangtian em Agosto ou Setembro de 2022. Ambos serão lançados por foguetões Chang Zheng-5B desde Wenchang.

O veículo de carga Tianzhou-5 deverá ser lançado em Outubro de 2022, seguindo-se o lançamento da Shenzhou-15 em Novembro de 2022. A tripulação da Shenzhou-15 irá permanecer com a tripulação da Shenzhou-14 durante dez dias, antes desta regressar à Terra e neste período estarão seis tripulantes a bordo da Tiangong.



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post