A exploração lunar pela União Soviética: o programa Luna (Parte III)

Com a chegada da Chang’e-4 à Lua, recordo aqui o programa lunar não tripulado da URSS, Luna, num artigo de três partes. A primeira parte deste artigo pode ser lida aqui e a segunda parte aqui.

Luna-17 / Lunokhod-1

A missão da Luna-16 foi anunciada ao mundo como um dos objectivos do programa espacial soviético. Os cientistas soviéticos tinham agora amostras do solo lunar e a propaganda política comparava este feito ao voo da Apollo-11. Afinal, as amostras do solo lunar haviam sido conseguidas de forma automática e sem por em risco a vida dos cosmonautas. Obviamente tais declarações só podiam ser produzidas no âmbito de uma comparação impossível de se fazer. A proeza tecnológica da Apollo-11 e de todo o programa espacial tripulado dos Estados Unidos até então, era algo com o qual a União Soviética só podia sonhar.


As sucessivas tentativas para desenvolver um programa lunar tripulado resultaram em fracassos embaraçantes para os seus desenhadores. O registo continuaria até que o programa fosse cancelado definitivamente e negado ao mundo durante as décadas seguintes. A União Soviética iria enveredar por um programa espacial tripulado tendo por base diversas estações espaciais Salyut e Almaz, levando à Mir e posteriormente à sua participação na ISS.

Entretanto após o sucesso da Luna-16 a União Soviética preparava-se para mais uma importante missão: a de colocar na Lua o primeiro veículo rover automático. Após a tentativa frustrada a 19 de Fevereiro de 1969, a União Soviética lança a sonda E-8 n.º 203 que recebe a designação Luna-17 (04691 1970-095A) e que transporta o veículo Lunokhod-1 (8EL n.º 203). O lançamento é levado a cabo ás 1444:01UTC do dia 10 de Novembro pelo foguetão 8K82K Proton-K/D (25101/406?) a partir da Plataforma de Lançamento PU-23 do Complexo LC81 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. Juntamente com o estágio Block-D a sonda é colocada numa órbita preliminar com um apogeu a 237 km de altitude, um perigeu a 192 km de altitude e uma inclinação orbital de 51,5º. Ás 1554UTC a Luna-17 é colocada numa trajectória translunar que é duas vezes corrigida a 12 de Novembro e 14 de Novembro. A chegada á órbita lunar ocorre pelas 2200UTC do dia 15 de Novembro e a sonda permanece numa órbita circular a 85 km de altitude com uma inclinação de 141º. A descida para a superfície lunar tem lugar a 17 de Novembro. Numa primeira fase os motores da sonda são utilizados para alterar a sua órbita colocando o seu ponto mais baixo a 15 km da superfície. Pelas 0341UTC os motores da Luna-17 são novamente activados e inicia-se a descida final que termina ás 0347UTC com uma alunagem a 38,28º N – 35º O no Mar das Chuvas.

Após analisarem o estado da sonda na superfície lunar é estabelecido pela primeira vez um contacto rádio com o Lunokhod-1 ás 0420UTC com o veículo a transmitir as primeiras imagens da superfície ás 0531UTC. Colocado sobre o estágio de descida da Luna-17 o primeiro veículo automático lunar necessitou de duas rampas para descer para a superfície do nosso satélite lunar. Ás 0628UTC o Lunokhod-1 desce essas rampas e começa a movimentar-se pela superfície poeirenta da Lua. O Lunokhod-1 deveria levar a cabo as suas explorações durante três dias lunares (meses terrestres), mas na realidade operou durante onze dias lunares.

A 22 de Novembro o Lunokhod-1 é colocado em posição para a sua primeira noite lunar após ter viajado 197 metros. Neste período o veículo já havia enviado 14 imagens de alta resolução da superfície e 10 imagens panorâmicas da Lua durante 10 sessões de comunicação com a Terra. Por outro lado, levou a cabo análises do solo e do ambiente lunar. Para a noite lunar a sua protecção superior que transporta painéis solares é fechada.

Colocado no Lonokhod-1 encontrava-se um reflector de fabrico francês que foi utilizado a 5 de Dezembro para levar a cabo a determinação exacta da distância da Terra é Lua. Esta experiência é repetida a 6 de Dezembro.

A protecção superior do Lunokhod-1 é aberta a 9 de Dezembro e as suas bateria começam a ser recarregadas. O programa de experiências para o segundo dia lunar inicia-se a 10 de Dezembro e termina a 22 de Dezembro. O Lunokhod-1 é estacionado a 1.370 metros da Luna-17 após ter viajado mais 1.522 metros.

A seguinte tabela mostra as distâncias percorridas nos seguintes dias lunares.

Dia lunar Abertura da protecção Distância percorrida (metros) Fecho da protecção
Terceiro 8 de Janeiro 1.936 20 de Janeiro
Quarto 8 de Fevereiro 1.573 19 de Fevereiro
Quinto 9 de Março 2.004 20 de Março
Sexto 8 de Abril 1.029 20 de Abril
Sétimo 7 de Maio 197 20 de Maio
Oitavo 5 de Junho 1.559 18 de Junho
Nono 4 de Julho 220 17 de Julho
Décimo 3 de Agosto 215 16 de Agosto
Décimo primeiro 31 de Agosto 88 15 de Setembro

A 17 de Janeiro o veículo regressava ás proximidades da Luna-17 e fotografava a sonda no solo lunar. A 19 de Fevereiro o Lunokhod-1 atingia a data originalmente prevista para o final das suas operações. A 5 de Junho o programa de actividades na superfície lunar não era já tão exigente devido ao estado dos sistemas do Lunokhod-1. A 4 de Outubro de 1971, no aniversário do lançamento do Sputnik-1, era anunciado que o Lunokhod-1 deixara de funcionar após não se ter reactivado. No total o veículo havia viajado 10.540 metros e transmitido mais de 200.000 imagens de televisão e 200 imagens panorâmicas da superfície, levando a cabo mais de 500 análises do solo lunar.

O desenho básico das sondas E-8 destinava-se a colocar na superfície lunar um veículo automático destinado a analisar os locais para possíveis alunagens tripuladas e posteriores bases lunares. A sonda deveria também proporcionar um sinal guia para alunagens tripuladas de precisão. O desenho tem as suas origens no veículo L2 de Korolev iniciado em 1963. Posteriormente este desenho evoluiu para o desenho globular do veículo Ye-8 em 1965 pelo OKB-1 antes do trabalho com as sondas lunares e planetárias ser transferido para o bureau Lavotchkin.

Os desenhos foram aperfeiçoados e modificados de forma a serem transportados por um único lançador 8K82K Proton-K/D. Na altura da primeira missão os Estados Unidos já haviam chegado à Lua e os objectivos das missões fora o de recolher imagens da superfície lunar, levar a cabo análises do ambiente lunar a nível das intensidades luminosas para determinar a fiabilidade da realização de observações astronómicas a partir da superfície lunar, levar a cabo medições via laser a partir da Terra, observar os raios-X solares, medir os campos magnéticos locais e estudar as propriedades mecânicas dos materiais que compõem a superfície lunar.

O estágio de descida possuía dois conjuntos de rampas que permitiam ao veículo descer para a superfície lunar. O veículo Lunokhod consistia num compartimento que fazia lembrar uma banheira sobre oito rodas com uma comporta convexa. Tinha uma altura de 1,35 metros, um comprimento de 1,70 metros, um diâmetro de 1,60 metros e uma massa de 840 kg. As oito rodas tinham sistemas independentes de suspensão, motores independentes e travões independentes. Os Lunokhod eram capazes de viajar em duas velocidades: 1 km/h e 2 km/h, estando equipado com quatro câmaras de televisão das quais três forneciam imagens panorâmicas. A quarta câmara estava montada sobre o veículo e era utilizada para navegação e podia enviar imagens de alta resolução. Estas imagens eram utilizadas por uma equipa de coordenação composta por cinco operadores na Terra que enviavam comandos para a orientação do veículo em tempo real. As comunicações com o veículo eram levadas a cabo através de uma antena cónica omnidireccional e de uma antena helicoidal de alta direccionalidade. A energia era fornecida por um painel solar colocado na parte interior da protecção sobre o compartimento de instrumentação. O aquecimento do rover nas noites lunares era proporcionado por uma fonte de Polónio-210.

As marcas das rodas do Lunokhod-1 focarão na superfície lunar por muitos anos. Durante as suas viagens pela superfície da Lua, o Lunokhod-1 percorreu 10.540 metros e teve a oportunidade de regressar junto da Luna-17 para a fotografar. Imagens: arquivo fotográfico do autor.

Luna-18

Enquanto que o Lunokhod-1 levava a cabo a sua exploração da superfície lunar, era lançada a sonda Luna-18 (05448 1971-073A), E-8-5 n.º 407, destinada a recolher amostras do solo lunar e trazê-las de volta para a Terra. O lançamento ocorria às 1340:40UTC do dia 2 de Setembro de 1971 e foi levado a cabo pelo foguetão 8K82K Proton-K/D (4922425601 25601)/0601) a partir da Plataforma de Lançamento PU-24 do Complexo de Lançamento LC81 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. A Luna-18 é colocada numa órbita preliminar com um apogeu a 227 km de altitude, um perigeu a 193 km de altitude e uma inclinação orbital de 51,6º. Ás 1450UTC a sonda é colocada numa trajectória translunar que é corrigida a 4 de Setembro e a 6 de Setembro. Entretanto a 3 de Setembro observações visuais a partir do Observatório de Shamakhin, localizado no Azerbeijão, são utilizadas para medir a trajectória da Luna-18 a uma distância de 100.000 km.

A entrada em órbita lunar acontece ás 2100UTC do dia 11 de Setembro e a Luna-18 fica colocada numa órbita circular a 101 km de altitude e com uma inclinação de 35º. Os motores e travagem da sonda são activados às 0742UTC e esta inicia a sua descida para a superfície lunar. A alunagem ocorre ás 0748UTC a 3,57º N – 56,50º E no Mar da Fecundação, porém as comunicações com a sonda são imediatamente perdidas talvez devido ás características do terreno que tenham colocado a sonda num ângulo a partir do qual não pode comunicar ou que tenha originado que esta caísse de lado impossibilitando assim as comunicações.

Estudando a Lua desde órbita – a Luna-19

Continuando a exploração da superfície lunar com as sondas E-8, a União Soviética lança a sonda Ye-8LS n.º 202 para estudar a superfície da Lua desde a órbita lunar. A sonda Luna-19 (05488 1971-082A) é lançada ás 1000:22UTC do dia 28 de Setembro pelo foguetão 8K82K Proton-K/D (5112425701 25701)/400) a partir da Plataforma de lançamento PU-24 do Complexo de Lançamento LC81 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur e colocada numa órbita preliminar com um apogeu a 260 km de altitude, um perigeu a 172 km de altitude e uma inclinação orbital de 51,6º. A viagem translunar tem início às 1110UTC e a sua trajectória é corrigida a 29 de Setembro e a 1 de Outubro, chegando à órbita lunar a 2 de Outubro. A Luna-19 fica colocada numa órbita circular a 140 km de altitude e com uma inclinação de 40,6º. Logo que entra em órbita da Lua a sonda inicia o seu programa de estudo do campo gravitacional lunar, do seu ambiente magnético e eléctrico, e leva a cabo sessões de fotografia da superfície.

A 6 de Outubro a sonda corrige a sua órbita ficando com um ponto mais alto a 135 km de altitude e com um aponto mais baixo a 127 km de altitude, mantendo a inclinação orbital. Uma segunda manobra é levada a cabo a 28 de Novembro e desta vez a sua órbita fica com um ponto mais alto a 385 km de altitude e com um aponto mais baixo a 77 km de altitude, alterando a sua inclinação orbital para 40,7º.

A sonda Luna-19 antes de ser colocada no seu foguetão lançador 8K82K Proton-K D. Em baixo uma representação esquemática das sondas Ye-8LS. Imagens: arquivo fotográfico do autor.

A 3 de Outubro de 1972 é anunciado que a Luna-19 aproxima-se do final da sua missão à medida que os seus sistemas de bordo se vão deteriorando devido à exposição espacial e à escassez de propolente no sistema de controlo de atitude.

Imagem da superfície lunar transmitida pela Luna-19. Imagem: arquivo fotográfico do autor via www.mentallandscape.com/C_CatalogMoon.htm.

Novas amostras do solo lunar – Luna-20

A missão da Luna-18 tinha sido gorada logo após a sua alunagem muito provavelmente devido ás condições do terreno. Sendo importante a obtenção de uma amostra do solo lunar naquela zona de alunagem, a União Soviética inicia uma nova missão e ás 0327:59UTC do dia 14 de Fevereiro de 1972 é lançada desde o Cosmódromo NIIP-5 Baikonur (LC81 PU-24) a sonda Luna-20 (05841 1972-007A), E-8-5 n.º 408. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão 8K82K Proton-K/D (25801/0801) que colocou a Luna-20 numa órbita preliminar em torno da Terra com um apogeu a 238 km de altitude, um perigeu a 191 km de altitude e uma inclinação orbital de 51,5º. Às 0437UTC o estágio Block-D colocava a sonda numa trajectória translunar que foi corrigida a 15 de Fevereiro. A Luna-20 atingia a órbita lunar pelas 1215UTC do dia 18 de Fevereiro, ficando colocada numa órbita circular a 100 km de altitude e com uma inclinação de 65º.

Imagens da superfície lunar obtidas pela Luna-20. Na imagem central é visível o braço mecânico da sonda durante a fase de obtenção de uma amostra do solo lunar. Imagem: arquivo fotográfico do autor

No dia 19 de Fevereiro a Luna-20 utiliza os seus motores para alterar a sua órbita ficando com o seu ponto mais baixo a uma altitude de 21 km. No dia 21 de Fevereiro, pelas 1713UTC, a Luna-20 inicia a sua descida para a superfície lunar após completar 54 órbitas lunares e levar a cabo 85 sessões de comunicação com a Terra. A alunagem tem lugar ás 1719UTC num ponto situado a 3,53º N – 56,55º E nas Montanhas de Apolo e a 1,8 km do local de alunagem da Luna-18. Nesse mesmo dia a sonda utiliza o seu mecanismo para obter uma amostra do solo lunar com um peso de 0,035kg que é colocado na cápsula de regresso no topo do estágio superior que parte da Lua ás 2258UTC do dia 22 de Fevereiro. A viagem para a Terra termina ás 1912UTC com uma aterragem a 40 km NO de Dzhezhkazgan a 48º N – 67,57º E. A cápsula somente é recuperada no dia seguinte.

O segundo Lunokohod – Luna-21

O segundo Lunokhod a operar na superfície lunar foi lançado juntamente com a sonda Luna-21 (06333 1973-001A) às 0655:38UTC do dia 8 de Janeiro de 1973 pelo foguetão 8K82K Proton-K/D (25901/205) a partir da Plataforma de Lançamento PU-23 do Complexo de Lançamentos LC81 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. A Luna-21 (E-8-5 n.º 204) é colocada numa órbita preliminar com um apogeu a 235 km de altitude, um perigeu a 190 km de altitude e uma inclinação orbital de 51,6º na qual permanece até ás 0805UTC altura em que os motores do estágio Block-D são activados e colocam a sonda numa trajectória translunar. Esta trajectória é corrigida uma vez a 9 de Janeiro e a sonda atinge a órbita lunar ás 1425UTC do dia 12 de Janeiro. A sua órbita tem um ponto mais elevado a 110 km de altitude e um ponto mais baixo a 90 km de altitude, tendo uma inclinação orbital de 60º.

A órbita em torno na Lua é ajustada uma primeira vez a 13 de Janeiro e no dia seguinte é colocada com um ponto mais baixo a 16 km. Ás 2229UTC do dia 15 de Janeiro é iniciada a descida para a superfície lunar com a activação dos motores da Luna-21. A sonda entra numa queda livre em direcção à superfície. A uma altitude de 750 metros da superfície os motores da sonda são novamente activados travando a descida até uma altitude de 22 metros. Nesta fase termina a queima dos motores principais e são activados os pequenos motores auxiliares até se atingirem 1,5 metros do solo. A descida termina ás 2235UTC com uma alunagem num ponto a 28,85º N – 30,45º E junto da Cratera Le Monnier no bordo do Mar da Serenidade.

Após a alunagem o Lunokhod-2 obtém imagens de TV da área em redor da Luna-21 e logo a seguir inicia a sua descida para a superfície ás 0114UTC do dia 16 de Janeiro. O veículo percorre 30 metros, afastando-se da Luna-21, e é estacionado para recarregar as sua baterias até ao dia 18 de Janeiro. Neste dia o Lunokhod-2 obtém mais imagens da Luna-21 antes de iniciar o seu percurso pela superfície lunar. A 24 de Janeiro é novamente estacionado para se preparar para a sua primeira noite lunar após ter percorrido 1.260 metros e levado a cabo um programa de obtenção de fotografias e medições do solo. A 8 de Fevereiro a parte superior do veículo é novamente aberta e as suas baterias começam a recarregar em preparação para o seu segundo dia lunar. Nas semanas seguintes o Lunokhod-2 levaria a cabo um vasto programa de exploração lunar.

O Lunokhod-2 operou quase quatro meses na superfície lunar cobrindo 37 km de terreno e enviando 86 imagens panorâmicas, além de mais de 80.000 imagens de televisão. Foram realizados muitos testes mecânicos á superfície lunar em múltiplas zonas, medições da distância entre a Terra e a Lua e outras experiências. Os sistemas do Lunokhod-2 eram em tudo semelhantes ao do Lunokhod-1, tendo uma altura de 1,35 metros, um comprimento de 1,70 metros, um diâmetro de 1,60 metros e uma massa de 840 kg (juntamente com a Luna-21 os dois veículos atingiam 1.814 kg).

Dia lunar Abertura da protecção Distância percorrida (metros) Fecho da protecção
Segundo 8 de Fevereiro 9.086 23 de Fevereiro
Terceiro 11 de Março 16.533 23 de Março
Quarto 9 de Abril 8.600 22 de Abril
Quinto 8 de Maio 880 3 de Junho

A 4 de Junho era anunciado que o programa de actividades do Lunokhod-2 havia terminado, levando a especulações sobre a ocorrência de uma falha de natureza indeterminada no veículo em meados de Maio ou então não foi possível reactivar o veículo após a noite lunar de Maio / Junho. O Lunokhod-2 não foi colocado numa posição na qual o seu reflector laser pudesse ter sido utilizado posteriormente, o que leva a concluir que a falha possa ter ocorrido repentinamente.

Uma manobra na superfície lunar. As oito rodas do Lunokhod-2 marcaram a superfície lunar quando realizou esta inversão de marcha. Imperturbáveis, estas marcas deverão permanecer na superfície da Lua por muitos séculos. Será que deverão ser consideradas monumentos à exploração humana do cosmos? Imagem: arquivo fotográfico do autor.

Voltando à órbita lunar – a missão da Luna-22

A missão da Luna-22 (07315 1974-037A) não tinha como missão atingir o solo lunar tendo permanecido em órbita da Lua. Lançada ás 0856:51UTC do dia 29 de Maio de 1974, a Luna-22 (E-8LS n.º 206) foi colocada em órbita pelo foguetão 8K82K Proton-K/D (28202/0701) a partir da Plataforma de Lançamento PU-24 do Complexo de Lançamentos LC81 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. A sonda foi colocada numa órbita preliminar com um apogeu a 226 km de altitude, um perigeu a 187 km de altitude e uma inclinação orbital de 51,5º, sendo colocada numa trajectória translunar ás 1006UTC. Esta trajectória é corrigida uma única vez a 30 de Maio e a 2 de Junho a Luna-22 entra numa órbita lunar com um ponto mais elevado a 244 km de altitude, um ponto mais baixo a 219 km de altitude e com uma inclinação de 19,6º.

A Luna-22 tem como missão estudar o campo magnético lunar, as emissões de raios gama provenientes da superfície e a composição das rochas lunares, além do seu campo gravitacional bem como estudar os micrometeoritos e os raios cósmicos.

Ao longo dos 18 meses seguintes a Luna-22 levaria a cabo vários ajustamentos da sua órbita em torno da Lua para optimizar as suas operações.

Data Ponto mais alto (km) Ponto mais baixo (km) Inclinação (º)  
9 de Junho de 1974 244 25 19,6 Manobra orbital
13 de Junho de 1974 299 181 19,6 Manobra orbital
11 de Novembro de 1974 1.437 171 19,6 Manobra orbital
2 de Abril de 1975 1.409 200 21 Efeito da gravidade lunar
24 de Agosto de 1975 1.578 30 21 Efeito da gravidade lunar
2 de Setembro de 1975 1.286 100 21 Manobra orbital

Parâmetros orbitais da sonda Luna-22 em torno da Lua durante o seu período de actividade. Tabela: Rui C. Barbosa. Parâmetros orbitais: www.zarya.info.

A superfície lunar fotografada pela Luna-22. Imagem: arquivo fotográfico do autor.

As últimas missões lunares – Luna-23 e Luna-24

A missão da Luna-23 (07491 1974-084A) tinha como objectivo obter a terceira amostra da superfície lunar numa altura em que o programa Apollo já havia terminado. O seu lançamento tem lugar ás 1430:32UTC do dia 28 de Outubro e é levado a cabo pelo foguetão 8K82K Proton-K/D (28501/0901) a partir da Plataforma de Lançamentos PU-24 do Complexo de Lançamentos LC81 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. A Luna-23 é colocada numa órbita preliminar com um apogeu a 246 km de altitude, perigeu a 183 km de altitude e inclinação orbital de 51,5º. Ás 1540UTC a sonda é colocada numa trajectória translunar que é corrigida a 2 de Novembro e no dia 4 de Novembro entra numa órbita lunar com um ponto mais alto a 104 km de altitude, ponto mais baixo a 94 km de altitude e inclinação orbital de 138º.

A órbita lunar da Luna-23 é corrigida a 4 de Novembro e a 5 de Novembro ficando com um ponto mais alto a 105 km de altitude, um ponto mais baixo a 17 km de altitude e uma inclinação de 138º. A descida para a superfície lunar inicia-se ás 0531UTC do dia 6 de Novembro e a sonda aluna ás 0537UTC num ponto localizado no Mar das Crises. Infelizmente a sonda é danificada na alunagem e o sistema de perfuração e obtenção de amostras fica inoperacional. As comunicações com a Luan-23 são finalizadas a 9 de Novembro.

Uma nova tentativa para obter amostras do solo lunar ocorre a 16 de Outubro de 1975. Ás 0404:56UTC é lançada a sonda E-8-5M n.º 412 pelo foguetão 8K82K Proton-K/D (28702/1401) a partir da Plataforma de Lançamento PU-23 do Complexo de Lançamentos LC81 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. Porém, devido a um problema com o estágio Block-D a sonda não atinge a órbita terrestre.

A missão da Luna-23 só seria concretizada em 1976 com o lançamento a 9 de Agosto (1504:12UTC) da sonda Luna-24 (09272 1976-081A). A Luna-24 (E-8-5M n.º 413) seria lançada pelo foguetão 8K82K Proton-K/D-1 (288-02/?????) a partir da Plataforma de Lançamento PU-23 do Complexo de Lançamentos LC81 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur e seria colocada numa órbita preliminar com um apogeu a 246 km de altitude, um perigeu a 183 km de altitude e uma inclinação orbital de 51,5º. Pelas 1614UTC a sonda é colocada numa trajectória translunar após a ignição do estágio Block D-1. Esta trajectória seria corrigida a 11 de Agosto e a sonda entraria numa órbita circular lunar a 115 km de altitude ás 2311UTC do dia 13 de Agosto.

Nos dias 16 de Agosto e 17 de Agosto a sua órbita é ajustada em preparação para a descida para a superfície ficando com um ponto mais elevado a 120 km de altitude, um ponto mais baixo a 12 km de altitude e uma inclinação orbital de 120º.

A descida para a superfície lunar tem início ás 0630UTC do dia 18 de Agosto e termina ás 0636UTC com uma alunagem num ponto a 12,75º N – 62,20º E no Mar das Crises a poucas centenas de metros da Luna-23. Nesse mesmo dia a Luna-24 utiliza o seu sistema de perfuração e obtenção de amostras para recolher 0,17 kg de solo lunar que é depositado no interior da cápsula de regresso.

O sistema de obtenção de amostras estava apoiado num sistema de pequenos carris que levava o mecanismo a penetrar na superfície lunar. À medida que o mecanismo era recolhido as amostras eram comprimidas antes de serem introduzidas no interior da cápsula de regresso. Na imagem em cima é visto um dispositivo junto da cápsula que protegia a cabeça de perfuração e o dispositivo de recolha da luz solar directa enquanto que permanecia na posição de descanso.

As amostras do solo lunar obtidas pela sonda Luna-24 e que regressaram à Terra a 24 de Agosto de 1974. Imagem: arquivo fotográfico do autor.

O estágio de regresso inicia a viagem de volta à Terra ás 0525UTC do dia 19 de Agosto. A viagem dura 3 dias é ás 1755UTC do dia 22 de Agosto a cápsula (Luna-24 VA[1]) aterra a 200 km SE de Surgut.

No dia 24 de Agosto a União Soviética anuncia que ainda mantém comunicações com a Luna-24 na superfície lunar, não havendo mais anúncios posteriormente.

Sumário dos tempos de voo para a série E-8

Voo Tempo de voo translunar Tempo em órbita lunar Tempo até à superfície Tempo na superfície Tempo de regresso Tempo de voo total Duração na aterragem Coordenadas de alunagem
Luna-15 4.29 4.25 8.64 7.06 57E 16N
Luna-16 4.38 3.28 7.66 1.10 2.90 11.67 19.3 56.3 E 0.68S
Luna-18 4.38 4.38 8.76 21.3 56.5E 3.57N
Luna-20 4.38 3.27 7.65 1.15 2.84 11.65 6.7 56.6 E 3.4 N
Luna-23 4.30 4.33 8.63 21.7 58E 18N
Luna-24 4.34 4.31 8.65 0.99 3.52 13.12 22.3 62.2E 12.8 N

Tempo no lançamento

Luna-19 4.58 8.82
Luna-22 4.31 7.47
Tempo na alunagem
Luna-17 4.38 2.17 6.55 17.9 35.0W 28.3N
Luna-21 4.38 3.27 7.65 11.24 30.5E 25.9N

Perfis de voo para as sondas Luna-16, Luna-20 e Luna-24 (alunagem e regresso)

Luna-16 Luna-20 Luna-24
Evento Hora (UTC) Intervalo Hora (UTC) Intervalo Hora (UTC) Intervalo
Lançamento 12 Setembro 1970
1326 UTC
14 Fevereiro 1972
0328 UTC
9 Agosto 1976
1504 UTC
105.1 h 105.0 h 104.1 h
Inserção na órbita lunar 16 Setembro 1970
2234 UTC
18 Fevereiro 1972
1230 UTC
13 Agosto 1976
2311 UTC
78.7 h 78.4 h 103.4 h
Alunagem 20 Setembro 1970
0518 UTC
21 Fevereiro 1972
1919 UTC
18 Agosto 1976
0636 UTC
26.3 h 27.65 h 22.85 h
Lançamento Lunar 21 Setembro 1970
0743 UTC
22 Fevereiro 1972
2258 UTC
19 Agosto 1976
0525 UTC
69.7 h 68.2 h 84.5 h
Aterragem 24 Setembro 1970
0526 UTC
25 Fevereiro 1972
1912 UTC
22 Agosto 1976
1755 UTC

Perfis de voo para as sondas Luna-15, Luna-18 e Luna-23

(alunaram mas não regressaram)

Luna-15 Luna-18 Luna-23
Evento Hora (UTC) Intervalo Hora (UTC) Intervalo Hora (UTC) Intervalo
Lançamento 13 Julho 1969
0255 UTC
2 Setembro 1971
1341 UTC
28 Outubro 1974
1430 UTC
103.1 h 105.1 h 103.3 h
Inserção na órbita lunar 17 Julho 1969
1000 UT
6 Setembro 1971
2248 UTC
1 Novembro 1974
2150 UTC
101.9 h 105.0 h 103.8 h
Alunagem 21 Julho 1969
1551 UTC
11 Setembro 1971
0748 UTC
6 Novembro 1974
0537 UTC

Perfis de voo para as sondas Luna-17 e Luna-21 (veículos lunares)

Luna-17 Luna-21
Evento Hora (UTC) Intervalo Hora (UTC) Intervalo
Lançamento 10 Novembro 1970
1444 UTC
8 Janeiro 1973
0655 UTC
105.0 h 105.1 h
Inserção na órbita lunar 14 Novembro 1970
2345 UTC
12 Janeiro 1973
1605 UTC
52.0 h 78.5 h
Alunagem 17 Novembro 1970
0347 UTC
15 Janeiro 1973
2235 UTC

Perfis de voo para as sondas Luna-19 e Luna-22 (em órbita lunar)

Luna-19 Luna-22
Evento Hora (UTC) Intervalo Hora (UTC) Intervalo
Lançamento 28 Setembro 1971
1000 UTC
29 Maio 1974
0857 UT
110 h 103.4 h
Inserção na órbita lunar 3 Outubro 1971
0000 UTC
1 Junho 1974
1620 UT
12 mo 16 mo
Final da missão 3 Outubro 1972 Novembro 1975

Locais de alunagem e de aterragem

Lua Terra
Lat. (N) Long. (E) Lat. (N) Long. (E)
Luna-16 -0.68 56.30 47.4 68.6
Luna-18 3.57 56.50
Luna-20 3.57 56.50 48 67.56
Luna-23 18 58
Luna-24 12.75 62.20 61.01 75.90

 

%d blogueiros gostam disto: