55.º aniversário da alunagem da Luna-9

Apesar do sucesso alcançado nas anteriores missões Luna ser relativo, o cenário estava prestes a mudar e mais um feito espacial espectacular seria atingido pela União Soviética com a sonda Luna-9.

Lançada a 31 de Janeiro de 1966 ás 1141:37,0UTC a sonda E-6M n.º 13 – Luna-9 (01954 1966-006A) – foi colocada numa órbita preliminar em torno da Terra com um apogeu a 219 km de altitude, um perigeu a 167 km de altitude e uma inclinação orbital de 51,8º. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão 8K78M Molniya-M/L (U716-49/U15000-49) a partir do Complexo de Lançamentos LC31 do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. Ás 1248UTC o último estágio do lançador coloca a Luna-9 numa trajectória translunar e ás 1929UTC do dia 1 de Fevereiro o motor de manobra da sonda inicia uma correcção de trajectória durante 48 segundos.

A alunagem na superfície lunar ocorre sem problemas ás 1844:52UTC do dia 3 de Fevereiro num ponto localizado a 7,08º N – 295,63º E no Oceanus Procellarum.

A primeira de três séries de imagens televisivas são transmitidas ás 0150UTC do dia 4 de Fevereiro ao longo de um período de 107 minutos que depois de combinadas proporcionam uma vista panorâmica do local de alunagem. Uma segunda série de imagens começa a ser transmitida às 1400UTC e ao longo de um período de 174 minutos. Estas imagens fornecem também uma vista panorâmica do local de alunagem e mostram que a cápsula alterou ligeiramente a sua posição permitindo assim uma vista estereoscópica do local.

A terceira série de imagens começa a ser transmitida ás 2037UTC do dia 5 de Fevereiro e tem uma duração de 138 minutos. A última transmissão proveniente da Luna-9 que se inicia ás 2255UTC cessa abruptamente quando as suas baterias químicas se exaustam. O contacto rádio total com a Terra teve uma duração de 8 horas e 5 minutos, enviando um total de 27 imagens da superfície lunar que revelavam pormenores perto da sonda e do horizonte a 1,4 km de distância.

Em toda a sua dimensão a Luna-9 representou um fantástico sucesso para a União Soviética e para o seu programa de exploração lunar não tripulada numa altura em que a corrida para a Lua ganhava momento.

A alunagem suave da Luna-9 e as informações fotográficas por ela transmitidas representaram um grande avanço tecnológico e serviriam posteriormente como um estandarte de propaganda do regime.

Imagens: Arquivo fotográfico do autor



O Boletim Em Órbita não tem fins lucrativos e é mantido pelos anúncios exibidos aos nossos visitantes. Por favor, considere nos apoiar desativando seu bloqueador de anúncios em www.orbita.zenite.nu

Comente este post