Um berçário estelar tempestuoso



Esta imagem, obtida pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, mostra um turbilhão de gás incandescente e poeira escura dentro de uma das galáxias-satélite da Via Láctea, a Grande Nuvem de Magalhães.

A cena tempestuosa mostra um berçário estelar conhecido como N159, medindo mais de 150 anos-luz transversalmente. É conhecida como uma região HII, o que significa que é rica em hidrogénio ionizado. Na verdade, contém muitas estrelas jovens e quentes que estão a emitir luz ultravioleta intensa, o que faz com que o gás hidrogénio próximo aumente. Os ventos estelares torrenciais também estão a esculpir cumes, arcos e filamentos do material circundante.

No coração desta nuvem cósmica está a Nebulosa de Papillon, uma região de nebulosa em forma de borboleta que domina a esquerda da imagem. Esta nebulosa compacta contém, provavelmente, estrelas maciças nos estágios iniciais da formação. A sua forma deu-lhe o nome (papillon sendo francês para borboleta) e foi pela primeira vez observada pelo Hubble em 1999.

A região N159 está localizada a mais de 160 000 anos-luz de distância. Reside justamente a sul da Nebulosa da Tarântula, outro complexo de formação de estrelas massivas dentro da Grande Nuvem de Magalhães.

Esta imagem foi publicada, pela primeira vez, como uma imagem da semana do Hubble no dia 5 de Setembro de 2016.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Deixe um comentário