Um adesivo de saúde



Durante a missão Proxima, de seis meses, de Thomas Pesquet, na Estação Espacial Internacional, a ESA monitorizou cuidadosamente a sua saúde, como acontece com todos os astronautas da ESA.

Desde os testes da sua aptidão física até à análise do seu sangue, os especialistas da ESA protegem e promovem a saúde dos astronautas antes, durante e depois da sua estadia no espaço.

Proteger e promover a saúde dos astronautas da ESA é feito por várias razões:

  • Para limitar a quantidade da adaptação física e fisiológica que ocorre como resultado de passar tempo no espaço.
  • Para garantir que os astronautas possam desempenhar as suas tarefas no espaço e estão preparados para as demandas físicas de aterrar na Terra e regressar à vida normal.
  • Para entender melhor como o corpo humano se adapta à vida no espaço – essa informação desempenhará um papel importante na compreensão dos riscos que serão enfrentados pelos astronautas nas missões de exploração espacial profunda, bem como no apoio a desenvolvimentos para ajudar a proteger a sua saúde e garantir o sucesso da missão.
  • Para nos ajudar a entender como proteger e promover a saúde aqui na Terra, particularmente em áreas onde a gravidade é um factor importante, como a manutenção da força muscular e óssea.

Para apoiar esses objetivos, a ESA está a executar, continuamente, novas experiências e a testar tecnologias inovadoras.

Durante a missão Proxima, a ESA avaliou “Everywear”, uma experiência que reúne dados de saúde de astronautas através de um sistema de sensores portáteis e transfere, sem fios, a informação para um tablet da Estação Espacial.

Uma aplicação desenvolvida pela agência espacial da França, CNES, com especialistas da MEDES e da ESA, armazena os dados e permite que sejam facilmente transferidos para os especialistas em medicina espacial da ESA, que o utilizam para tomar decisões e recomendações sobre a saúde do astronauta.

O equipamento “Everywear” consiste em três sensores, incluindo uma ‘camisola inteligente’ biométrica, um adesivo biométrico e-Tact, desenvolvido pelo BodyCap, e um tonómetro patrocinado pela ESA em colaboração com o INSERM.

O BodyCap é um sensor piezoeléctrico que se utiliza nos dedos e que mede a rigidez arterial (permitindo a avaliação da saúde cardiovascular) de um astronauta, enquanto a ‘camisola inteligente’ regista a actividade cardíaca (electrocardiograma – ECG) e a actividade física do astronauta.

O adesivo é colocado no antebraço, ou no tórax, do astronauta e regista a temperatura corporal, a orientação e a actividade do corpo. Possui um módulo de radiofrequência, desenvolvido pela Insight SiP, que actua como um portal de entrada de rádio, em miniatura, para conexão sem fios com o tablet.

Estes tipos de dispositivos de saúde portáteis podem ser usados numa variedade de aplicações, como fitness e desporto, ergonomia e monitorização de pacientes de forma remota.

Notícia e imagens: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Tags:  

Deixe um comentário