Transferência de propriedade de três estações terrestres da ESA



Como parte da estratégia da ESA para promover a competitividade comercial na Europa, e enquanto se concentra nos seus principais objetivos, a agência transferiu a propriedade de várias estações terrestres de monitorização, para reutilização por organizações externas.

No final de 2017, a ESA transferirá três estações para organizações nacionais em Espanha e em Portugal, que assumirão a prestação de serviços de monitorização por satélite, a uma grande variedade de clientes comerciais.

As três estações envolvidas na transferência estão todas equipadas com antenas parabólicas, de 15 m de diâmetro, adequadas para suportar missões próximas da Terra, e estão localizadas em Espanha, em Maspalomas, no centro de astronomia espacial da ESA, perto de Madrid, e em Perth, Austrália Ocidental.

Os novos operadores poderão usar as estações para oferecer serviços de monitorização, numa base comercial, para clientes em todo o mundo, o que também inclui a ESA, deixando a Agência livre para se concentrar em atingir os exigentes requisitos técnicos das suas estações de espaço profundo, em Espanha, Argentina e Austrália, e na operação de um selecto grupo de quatro outras estações.

A transferência aumenta as capacidades e qualidades comerciais na Europa, não só para o benefício da ESA, mas também para parceiros comerciais”, diz Yves Doat, Chefe da Infraestrutura de Instalações Terrestres no centro de controlo de missão da ESA, Darmstadt, Alemanha.

A ESA continuará a desenvolver as novas tecnologias necessárias para a comunicação futura, incluindo uma comunicação óptica de alta velocidade e uma rede com parceiros de exploração na Lua, Marte e outros destinos do espaço profundo.

Esta abordagem mantém e consolida as futuras comunicações próximas da Terra da Agência através de suporte comercial.”

Do Oceano Índico ao Atlântico ventoso

A transferência da estação de Perth foi notável. A licença de frequência da estação foi retirada pelo regulador nacional de telecomunicações em 2015, e a estação já não podia operar onde estava. Após a desactivação, a ESA teria de enfrentar o custo, não insignificante, de desmantelar e descartar a estrutura e o equipamento técnico.

In 2016/2017, ESA's former Perth station will be relocated to Santa Maria Island, in the Azores, to be returned to service as an Earth mission tracking facility operated by European industry.

Em vez disso, o governo de Portugal fez uma oferta para a estação e, após um acordo de partilha de custos para o desmantelamento e o transporte, foi enviada para a ilha de Santa Maria, nos Açores, onde será recolocada em funcionamento até 2018”, diz Yves. 

Aproveitamento dos conhecimentos nacionais              

Em contrapartida, as antenas existentes em Maspalomas, Ilhas Canárias e perto de Madrid serão assumidas nos seus locais actuais para serem operadas pelo Instituto Nacional de Tecnologia Aeroespacial (INTA) da Espanha.

A antena de Madrid será remodelada e reiniciará as operações em 2018 sob uma nova licença.

Desde Setembro de 2017, a estação de Maspalomas tem operado sob o seu novo proprietário e já foi utilizada para apoiar a missão Cluster da ESA, um dos seus primeiros clientes-base.

Maspalomas station in Spain is part of ESA's global Estrack ground station network

Durante mais de três décadas de serviço, as três estações apoiaram algumas das mais importantes missões terrestres, científicas e humanas da Europa, bem como os lançadores que são lançados desde Kourou”, diz Lionel Hernández, ex-director da estação de Madrid.

É apropriado que continuem a servir uma base de clientes ampla e activa, apoiando operadores de voos espaciais por toda a Europa.”

Notícia e imagens: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Tags:  

Deixe um comentário