Teste ao instrumento NIRSpec do Webb

Esta imagem abstracta é uma visualização prévia do poder instrumental que será desencadeado quando o Telescópio Espacial James Webb da NASA/ESA/CSA estiver no espaço.

A imagem foi adquirida durante o teste ao instrumento NIRSpec (Near-InfraRed Spectrograph), que faz parte da contribuição da ESA para o observatório internacional. O NIRSpec será usado para estudar objetos astronómicos, com foco em galáxias muito distantes. Fará isso através da divisão da sua luz em espectros – a separação da luz em componentes permite aos cientistas investigar de que são feitos esses objetos.


Criada através da utilização de uma das lâmpadas de calibração interna do instrumento como fonte de luz, a imagem mostra muitos espectros como bandas horizontais que foram gravadas por dois detectores. Os comprimentos de onda são espalhados da esquerda para a direita; o padrão de faixas escuras, denominado de linhas de absorção, é característico da fonte de luz, muito parecido com uma impressão digital.

A imagem foi produzida enviando comandos para abrir mais de 100 das micro-janelas do instrumento – minúsculas janelas com a largura de um cabelo humano – que serão usadas para estudar, simultaneamente, centenas de objetos celestes. As faixas finas nas partes superior e inferior da imagem são espectros criados pela luz que passa pelas micro-persianas, enquanto as faixas mais grossas, no centro das imagens, são produzidas pela luz que entra no instrumento através de cinco fendas no centro.

Uma vez no espaço, as micro-persianas serão abertas ou fechadas dependendo da distribuição de estrelas e galáxias no céu.

Esta imagem de calibração foi obtida em 2017, durante os testes na câmara térmica de vácuo gigante, no Johnson Space Center da NASA, em Houston, Texas. Os testes demonstraram que a estrutura combinada, compreendendo o telescópio Webb e os seus quatro instrumentos científicos, operou sem falhas a temperaturas de aproximadamente –233 ° C, semelhantes às que irá suportar no espaço.

O telescópio e os instrumentos estão agora na Northrop Grumman Aerospace Systems, em Redondo Beach, Califórnia, onde serão integrados à aeronave e ao escudo solar, para testes adicionais e preparações para o lançamento. O lançamento está previsto para 2020.

Mais sobre a campanha de testes: testes, mudança para uma nova casa e mais testes.

Notícia e imagem: ESA

Texto corrigido para Língua Portuguesa pré-AO90

Edição de Rui C. Barbosa

 

%d blogueiros gostam disto: