Sucesso parcial no lançamento do Kanopus-ST e do KYuA-1



Kanopus-ST 2

A Rússia levou a cabo o lançamento dos satélites Kanopus-ST e KYuA-1 às 1409UTC do dia 5 de Dezembro de 2015.

O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão 14A15 Soyuz-2.1V/Volga (78031001/15000-002) a partir do Complexo de Lançamento LC43/4 do Cosmódromo GIK-1 Plesetsk, Arkhangelsk.

O lançamento e as fases posteriores decorreram aparentemente sem problemas com os media Russoa a referirem que os dois satélites haviam sido designados Cosmos 2511 e Cosmos 2512. Porém, algumas horas mais tarde surgiram notícias que davam conta de que um dos satélites não se haviam separado do estágio superior Volga. Aparentemente, o satélite em questão é o KYuA-1 ‘КЮА-1’. Este é um satélite semelhante aos satélites SKRL-756 que foram utilizados para calibração de radares na superfície terrestres e pensa-se que o KYuA-1 teria a mesma função.

Kanopus-ST 3

Kanopus-ST 5

Kanopus-ST 6

Kanopus-ST 1

Por seu lado, o Kanopus-ST ‘Канопус-СТ’ é um satélite Russo de detecção remota que será utilizado para investigação dos oceanos e dos sistemas de água do planeta. A sua massa é de 400 kg e foi desenvolvido pela NPO VNIIEM, sendo operado pela Roscosmos. Porém, o analista Anatoly Zak, refere que o Kanopus-ST será utilizado para vigilância dos movimentos de submarinos, tendo assim um papel militar, o que por um lado explica a atribuição de designações ‘Cosmos’ a ambos os veículos.

O Soyuz-2.1V é a mais recente derivação do míssil balístico intercontinental R-7 desenvolvido nos anos 50 do Século XX por Sergei Korolev. De forma geral o novo foguetão pode ser descrito como um foguetão Soyuz mas sem incluir os característicos quatro propulsores laterais. Por outro lado, o primeiro estágio foi também modificado.

O primeiro estágio do lançador é uma versão modificada do primeiro estágio utilizado no foguetão Soyuz-2, utilizando um único moto NK-33 que assim substitui o motor RD-117 de quatro câmaras de combustão utilizados em foguetões anteriores e juntamente com alterações estruturais no estágio e na estrutura dos tanques de propelentes. Como o motor NK-33 está fixo, é utilizado um motor RD-0110R para fornecer controlo vectorial, fornecendo também mais 230,5 kN de força e proporcionando aquecimento aos gases de pressurização. Anteriormente utilizado no foguetão lunar N-1, o NK-33 fornece uma maior performance em relação ao RD-117. Porém, existe um número muito limitado destes motores disponíveis e assim no futuro o NK-33 será substituído pelo motor RD-193. Este motor é uma versão mais leve do motor RD-191 utilizado nos foguetões Angara.

O segundo estágio do Soyuz-2.1V é o mesmo que é utilizado como terceiro estágio do foguetão Soyuz-2-1B, estando equipado com um motor RD-0124.

O terceiro estágio do lançador é constituído por um estágio superior Volga que é utilizado para manobrar as cargas a partir da órbita inicial para a órbita final. Este estágio é derivado do sistema de propulsão dos satélites de reconhecimento Yantar, sendo mais leve e mais barato do que os estágios Fregat.

O foguetão é capaz de colocar uma carga de 2.850 kg numa órbita terrestre baixa a 51,8º,  2.800 kg numa órbita terrestre baixa a 62,8º ou 1.400 kg numa órbita terrestre sincronizada com o Sol.

No total o foguetão tem um comprimento de 44,0 metros e um diâmetro de 3,00 metros. A sua massa é de 158.000 kg. O foguetão é desenvolvido pela TsSKB Progress.

Kanopus-ST 7

Kanopus-ST 8

Kanopus-ST 9

Kanopus-ST 10

Kanopus-ST 11

Dados Estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5501

– Lançamento orbital com sucesso: 5149

– Lançamento orbital Rússia: 3176

– Lançamento orbital Rússia com sucesso: 3021

– Lançamento orbital desde GIK-1 Plesetsk: 1608

– Lançamento orbital desde GIK-1 Plesetsk: 1575

– Lançamento orbital desde GIK-1 Plesetsk em 2015: 7

Ao se referir a ‘lançamentos com sucesso’ significa um lançamento no qual algo atingiu a órbita terrestre, o que por si só pode não implicar o sucesso do lançamento ou da missão em causa (como foi o caso do lançamento do Progress M-27M).

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento.

2015-071 1

2015-071 2

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo: 27,4% foram realizados pela Rússia; 23,3% pelos Estados Unidos (incluindo ULA, 7SpaceX e Orbital SC); 21,9% pela China; 15,1% pela Arianespace; 5,5% pelo Japão; 5,5% pela Índia e 1,4% pelo Irão.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC): 

6 Dez (2144:56) – Atlas-V/401 (AV-061) – Cabo Canaveral AFS, SLC-41 – Cygnus OA-4 (CRS4) ‘Deke Slayton 2’

9 Dez (1645:00) – CZ-3B Chang Zheng-3B/G2 – ZX-1C Zhongxing-1C – Xichang, LC3

10 Dez (0017:00) – 8K82KM Proton-M/Briz-M (53544/88533) – Baikonur, LC81 PU-24 – Garpun n.º 12L

11 Dez (1345:33) – Zenit-3SLBF/Fregat-SB (Zenit-2SB80.4) – Baikonur, LC45 PU-1 – Elektro-L n.º 2

15 Dez (1103:10) – 11A511U-FG Soyuz-FG (G15000-055) – Baikonur, LC1 PU-5 – Soyuz TMA-19M

Deixe um comentário