Sub-orbital: Prospector-18 lança pequenos satélites



Prospector-18 02

Quatro pequenos veículos foram elevados sobre o deserto da Califórnia no dia 15 de Junho de 2013 num voo de demonstração a grande altitude que teve como objectivo testar um sensor e outros equipamentos criados pelos engenheiros da NASA e por equipas de estudantes.

Os satélites, conhecidos como CubeSats, foram lançados desde a zona de lançamentos do FAR (Friends of Amateur Rocketry) no deserto de Mojave a bordo de um foguetão-sonda Prospector-18, construído pela Garvey Spacecraft Corp., Long Beach – Califórnia.

Os dados registados pelos sensores a bordo dos CubeSats irá ajudar a caracterizar o ambiente e as cargas que os pequenos satélites encontraram durante o voo – informação esta que é crítica para os cientistas e engenheiros que estão a desenvolver veículos similares para missões futuras.

Os Cubesats são pequenos veículos de forma cúbica com 0,1 metros de aresta que agrupam muita capacidade no seu pequeno tamanho. Enquanto que usualmente são transportados como cargas secundárias em missões maiores envolvendo satélite maiores e maiores lançadores, o objectivo da missão foi o de avaliar a eventualidade de ter a opção de os lançar como cargas primárias em foguetões mais pequenos.

Prospector-18 01

O lançamento teve lugar às 1952UTC e o foguetão-sonda (com um único motor de combustível líquido) rapidamente se elevou no céu, atingindo uma altitude máxima de 2,74 km. O pára-quedas do veículo abriu-se de forma prematura, mas o Prospector-18 continuou a sua trajectória, até cair no solo com os pequenos Cubesats ainda no seu interior.

Os satélites a bordo eram o: CP-9 (construído pela Universidade Politécnica Estatal da Califórnia, San Luis Obispo); o Stangsat (construído pelo Liceu de Merrit Islanb, Florida), que juntamente com o CP-9 demonstrou a capacidade de comunicarem um com o outro durante o voo e que irão ser colocados em órbita por um foguetão Falcon-9; o RUBICUS-1 (construído por funcionários do Centro Espacial Kennedy), que estava equipado para verificar a performance de uma nova versão ultra-leve do sistema de transporte de Cubesat desenvolvido pela Tuvak; e o PhoneSat (construído pela NASA), que tira vantagens das tecnologias de fornecimento de energia, de memória e de obtenção de imagens dos smartphones.

Imagens: NASA

 

 

Deixe um comentário