SpaceX pretende lançar missão lunar em 2018



Certamente que ninguém esperava que o anúncio por parte de Ellon Musk, principal responsável da Space Exploration Technologies Corp., SpaceX, fosse tão ousado como apontar para uma missão lunar em finais de 2018. Porém, e numa conferência de imprensa anunciada de forma repentina, foi isso mesmo que aconteceu.

A SpaceX anunciou a 27 de Fevereiro de 2017, que dois turistas espaciais deverão tripular uma cápsula espacial Dragon 2 numa missão em torno da Lua, semelhante à que foi levada a cabo em Dezembro de 1968 pela missão lunar Apollo-8.

O anúncio de Ellon Musk surge numa altura em que nem o foguetão lançador que será utilizado para a missão, um foguetão Falcon Heavy, nem a cápsula espacial tripulada, a Dragon 2, foram ainda testadas. A missão cislunar deverá ser composta por um lançamento de um Falcon Heavy a partir do Complexo de Lançamento LC-39A do Centro Espacial Kennedy transportando uma cápsula espacial Dragon 2 tripulada por dois turistas espaciais e sem a presença de um astronauta veterano a bordo.

O foguetão Falcon Heavy deverá realizar o seu voo inaugural em finais de 2017, enquanto que a Dragon 2 será pela primeira vez utilizada numa missão para a estação espacial internacional que nesta altura está prevista para ter lugar entre 11 e 25 de Novembro de 2017, “Em finais deste ano, como parte do programa Commercial Crew Program da NASA, iremos lançar o veículo espacial Crew Dragon (Dragon Version 2) para a estação espacial internacional. Esta primeira missão de demonstração será em modo automático, sem qualquer tripulante a bordo,” referiu a SpaceX numa declaração que indicou o caminho para a missão lunar. “Uma missão subsequente com uma tripulação deverá ser lançada no segundo trimestre de 2018. A SpaceX está actualmente contratada para levar a cabo uma média de quatro missões Dragon 2 para a ISS por ano, três transportando carga e uma tripulada.”

A SpaceX previa o lançamento de uma missão para Marte , em cooperação com a NASA, em 2018. Designada como Red Dragon, a missão também iria utilizar o foguetão Falcon Heavy que lançaria uma cápsula Dragon 2 para uma descida propulsiva na superfície do planeta vermelho. Porém, a missão foi adiada para 2020.

Com o adiamento desta missão, a SpaceX viu o caminho livre para a realização desta nova missão lunar para a qual já terá recebido o pagamento por parte de dois turistas espaciais interessados em participar na mesma. A SpaceX deverá levar a cabo testes físicos e de saúde, bem como o treino inicial em finas de 2017. Outras equipas de voo demonstraram também interesse na missão e a empresa espera que mais possam surgir. 

Como irá esta missão influenciar a relação da SpaceX com a NASA?

Uma questão interessante em relação a esta missão da SpaceX é a de saber como é que ela irá alterar ou de certa forma influenciar a relação entre a empresa privada e a agência espacial Norte-americana?

De forma geral, a SpaceX sempre referiu a importância da NASA no desenvolvimento da empresa espacial ao longo dos anos, numa forma de diluir a noção de competição entre a SpaceX e a NASA. No anuncio por parte de Ellon Musk, este sublinhou os esforços internos a empresa que dirige no desenvolvimento do foguetão Falcon Heavy. De referir que, ao proporcionar a maior parte dos fundos para o desenvolvimento da Dragon 2, a NASA acaba por ser uma das principais responsáveis por esta missão lunar. Porém, o Falcon Heavy foi desenvolvido com o financiamento interno por parte da SpaceX.

No seu anuncio, Musk referiu que a SpaceX não estava a debater-se contra o Space Launch System e a Orion, em desenvolvimento pela NASA, apesar de referir desconhecer o calendário de desenvolvimento do grande lançador da agência espacial Norte-americana. Nunca havendo criticado de forma directa o foguetão SLS, a SpaceX tem mostrado ao longo dos anos um misto de indiferença e de apoio pelo futuro vector da NASA.

O actual plano da NASA é o de lançar o SLS com a cápsula Orion numa missão não tripulada em torno da Lua em 2018 (EM-1 Exploration Mission-1). Porém, espera-se que esta missão seja brevemente adiada para 2019. Uma segunda missão semelhante, porém com uma tripulação a bordo, EM-2 Exploration Mission-2, não deverá ter lugar antes de 2021. A NASA encontra-se actualmente a estudar a possibilidade de colocar uma tripulação na missão inaugural do SLS a ter lugar em 2019/2020.

Com os actuais planos da SpaceX, a NASA estará receosa das questões políticas que certamente serão levantadas e que obviamente irão apontar para a enorme diferença entre os custos de uma missão levada a cabo pela SpaceX em comparação comos milhões de dólares que são investidos no desenvolvimento do programa SLS/Orion. Ellon Musk referiu que está disposto a dar prioridade a uma tripulação da NASA na primeira missão lunar da Dragon 2 caso seja solicitado pela agência espacial, o que faria com que os seus turistas espaciais fossem colocados numa missão subsequente.

Adaptado com autorização de SpaceX to fly two private individuals on a Dragon 2 lunar mission, por Chris Bergin. 

 

Tags:  , ,

Deixe um comentário