Soyuz TMA-13M a caminho da ISS



Expedition 40 Launch

A agência espacial russa Roscosmos, levou a cabo o lançamento da missão espacial tripulada Soyuz TMA-13M (Союз ТМА-13М) que foi lançada às 1957:41UTC do dia 28 de Maio de 2014. A bordo seguem três novos elementos para a tripulação permanente da estação espacial internacional, sendo a tripulação composta por Maxim Viktorovich Surayev ‘Максим Викторович Сураев’ (Rússia), Gregory Reid Wiseman (EUA) e Alexander Gerst (Alemanha).

O lançamento da Soyuz TMA-13M foi levado a cabo pelo foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG (T15000-049) a partir da Plataforma de Lançamento PU-5 do Complexo de Lançamento LC1 ‘Gagarinskiy Start’ (17P32-5) do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão.

Soyuz TMA-13M Tripulação crew

Esta é a segunda missão espacial para Maxim Surayev que se torna no 335º ser humano e no 71º cosmonauta russo a realizar duas missões espaciais. Por seu lado, esta é a primeira missão espacial para Gregory Wiseman que assim se torna no 535º ser humano (juntamente com Alexander Gerstt) e no 333º astronauta norte-americano a realizar uma missão espacial orbital. Finalmente, esta é também a primeira missão espacial para Alexander Gerts que se torna no 535º ser humano (juntamente com Gregory Reid Wiseman) e no 11º astronauta da Alemanha a realizar uma missão espacial orbital.

A tripulação suplente era composta por Anton Nikolayevich Shkaplerov ‘Антон Николаевич Шкаплеров’ (Rússia), Samantha Christoforetti (Itália) e Terry Waine Virts (EUA).

Soyuz TMA-13M Tripulação suplente backup crew

Maxim Surayev, Gregory Wiseman e Alexander Gerst irão fazer parte da Expedição 40 que é comandada pelo norte-americano Steven Ray Swanson e que conta ainda com os russos Alexander Alexandrovich Skvortsov e Oleg Germanovich Artemyev. Posteriormente, Surayev, Wiseman e Gerts farão parte da Expedição 41, com Maxim Surayev a assumir o comando da ISS. Da Expedição 41 ainda farão parte Alexander Mikahilovich Samokutyayev, Elena Olegovna Serova e Barry Eugene Wilmor que serão lançados a bordo da Soyuz TMA-14M a 30 de Setembro de 2014.

Durante a permanência a bordo da estação espacial internacional, os novos membros da Expedição 40 irão levar a cabo experiências em variados campos de investigação nomeadamente sobre os processos físico-químicos e sobre a física dos materiais em condições espaciais, ciências espaciais e da Terra, sobre a presença do Homem no espaço, sobre a biologia espacial e biotecnologia, tecnologias de exploração espacial, realização de programas educativos e promoção da investigação espacial, e realização de experiências contratadas. Wiseman e Gerts deverão realizar duas actividades extraveículares a 19 e 24 de Julho, enquanto que Wiseman fará uma terceira saída para o espaço a 15 de Julho com Swanson.

O lançamento da Soyuz TMA-13M decorreu sem problemas e a cápsula espacial foi colocada na órbita prevista, iniciando assim a sua «perseguição» à ISS. A tabela seguinte mostra os tempos dos diferentes acontecimentos durante o lançamento.

Soyuz TMA-13M_2014-05-27_22-28-39

Soyuz TMA-13M tempo e impactoO impacto no solo do sistema de emergência tive lugar na Área n.º 16 localizada no Distrito de Karaganda, Cazaquistão. O sistema de emergência tem uma massa de 1.935 kg. O impacto no solo terá ocorrido a 47º 18’ N – 67º 14’ E. O impacto no solo dos propulsores que constituíram o primeiro estágio teve lugar na Área n.º 49 localizada no Distrito de Karaganda, Cazaquistão, a uma distância de cerca de 348 km. A carenagem de protecção acabou por cair na Área n.º 69 localizada no Distrito de Karaganda a uma distância de cerca de 527 km, enquanto que o segundo estágio impactou nas Áreas n.º 306 e 307 localizada no Distrito de Altai, República de Altai (Rússia) – Distrito de Cazaquistão Este (Cazaquistão), a uma distância de cerca de 1.570km. A secção de ligação entre o 2º e o 3º estágio acabou por impactar na Área n.º 309 localizada no Distrito de Altai, República de Altai (Rússia) – Distrito de Cazaquistão Este (Cazaquistão).

Soyuz TMA-13M ciclograma
Após se separar do terceiro estágio do foguetão lançador, a Soyuz TMA-13M ficou colocada numa órbita com um perigeu a 200 km, apogeu a 242 km, inclinação orbital de 51,67º e período orbital de 88,64 minutos (a ISS encontrava-se numa órbita com um perigeu a 412,16 km, apogeu a 434,23 km, inclinação orbital de 51,64º e período orbital de 92,80 minutos).

EmblemaTMA-13MPara chegar à estação espacial internacional a Soyuz TMA-13M realiza várias manobras em órbita. As duas primeiras manobras são realizadas logo após a separação do terceiro estágio do foguetão lançador, com os dados balísticos a serem introduzidos pelos cosmonautas no computador de bordo TsVM-101 de forma manual antes do lançamento. Na segunda órbita, novos dados seriam transmitidos a partir do solo sendo automaticamente introduzidos no computador de controlo e utilizados nas manobras orbitais subsequentes e que seriam realizadas antes da aproximação final à ISS.

A Soyuz TMA-13M inicia então uma «perseguição» de cerca de seis horas à estação espacial internacional ao longo das quais eram executadas algumas manobras orbitais que alteram os parâmetros da órbita do veículo tripulado.

Após entrar em órbita terrestre os tripulantes executam várias tarefas para preparar o veículo para o voo orbital. Estas tarefas iniciam-se com a abertura automática dos painéis solares e das antenas de comunicações. De seguida procede-se com a pressurização dos tanques de propolente, com o enchimento dos distribuidores e a sonda de acoplagem é colocada em posição. Os cosmonautas podem agora ter acesso ao módulo Soyuz TMA-13M 09orbital da Soyuz TMA-13M mas primeiro verificam que não existe qualquer fuga de ar entre esse módulo e o módulo de regresso onde se encontram. Entretanto, são também levados a cabo outros testes automáticos tal como acontece com o auto-teste do sistema de encontro e acoplagem KURS. Os sensores angulares BDUS são também testados e a cápsula é colocada na atitude apropriada em órbita ao mesmo tempo que é colocada numa lenta rotação sobre o seu eixo longitudinal para evitar o aquecimento excessivo de um doa seus lados (após ser testado o sistema de controlo rotacional manual).

Após se verificar que não existem fugas entre o módulo orbital e o módulo de descida, a tripulação pode então entrar no módulo orbital e despir os seus fatos pressurizados. Em antecipação das duas primeiras manobras orbitais, a cápsula espacial recebe então os dados relativos às queimas que o seu motor terá de efectuar. Entretanto, a tripulação activa o sistema de purificação de ar SOA no interior do módulo orbital ao mesmo tempo que desactiva esse sistema no módulo de descida.

Soyuz TMA-13M 10A Soyuz TMA-13M executa várias manobras orbitais aproximando a sua órbita da órbita da ISS com a qual iria acoplar no módulo Rassvet. A primeira manobra tem lugar às 2040:54UTC (1ª órbita) com o motor da Soyuz TMA-13M a ser activado durante 92,9 segundos e alterando a velocidade do veículo em 37,54 m/s. Após esta manobra a cápsula fica numa órbita com perigeu a 228,38km, apogeu a 328,29 km, inclinação orbital de 51,64º e período orbital de 89,94 minutos. A segunda manobra tem lugar às 2124:51UTC (2ª órbita) com o motor da cápsula a ser activado durante 87,3 segundos e alterando a velocidade do veículo em 35,67 m/s. No final desta manobra a Soyuz TMA-13M encontra-se numa órbita com um perigeu a 328,00 km, apogeu a 362,76 km, inclinação orbital de 51,65º e período orbital de 91,19 minutos. A terceira manobra é realizada às 2201:44UTC (2ª órbita), com o motor da Soyuz TMA-13M a ser activado durante 18,1 segundos e alterando a velocidade do veículo em 7,00 m/s, ficando numa órbita com perigeu a 338,37 km, apogeu a 374,54 km, inclinação orbital de 51,67º e período orbital de 91,44 minutos. Finalmente, a quarta manobra é realizada às 2232:15UTC (2ª órbita), com o motor da Soyuz TMA-13M a ser activado durante 18,1 segundos e alterando a velocidade do veículo em 7,00 m/s, ficando numa órbita com um perigeu a 360,30 km, apogeu a 375,92 km, inclinação orbital de 51,64º e período orbital de 91,69 minutos.

A acoplagem com o módulo Rassvet terá lugar às 0148UTC do dia 29 de Maio após um voo com uma duração de 5 horas 51 minutos.

Preparativos finais para o lançamento

Os preparativos do foguetão lançador 11A511U-FG Soyuz-FG (Т15000-049) decorreram sem problemas no edifício MIK-112 que serve a Plataforma de Lançamento PU-5 do Complexo de Lançamento LC1 (17P32-5) ‘Gagarinskiy Start’. O MIK-112 foi originalmente construído para o processamento dos foguetões lunares N-1 (instalações de processamento 11P591) e posteriormente do super-foguetão Energia. As salas altas 3, 4 e 5 foram destruídas devido ao colapso do telhado em Maio de 2002, mas as salas 1 e 2 ficaram intactas. A Sala 1 é agora utilizada para a montagem e integração dos foguetões 11A511U Soyuz-U e 11A511U-FG Soyuz-FG, além da integração final dos veículos de carga Progress M-M e dos veículos tripulados Soyuz TMA-M. A Sala 2 é utilizada em três salas estéreis para a Starsem, uma afiliada da Arianespace. Após a remoção dos diferentes componentes do lançador, estes foram inspeccionados e mais tarde procedeu-se à sua montagem em preparação para o lançamento.

Soyuz TMA-13M 11O veículo 11F732A47 n.º 713 que seria utilizado na missão Soyuz TMA-13M chegava ao cosmódromo no dia 22 de Março de 2014. Após os usuais procedimentos alfandegários, o comboio foi transferido para a rede de caminhos-de-ferro do cosmódromo e transportado para o edifício de processamento, montagem e teste MIK da Área 254. Este edifício é utilizado para a integração e montagem dos veículos de carga Progress M-M, Soyuz TMA-M, preparação dos módulos russos para a ISS e preparação dos estágios superiores Blok-DM. Contém também uma sala estéril que foi utilizada para a preparação dos satélites de comunicações móveis Iridium e para a preparação dos satélites de comunicações Yamal, possuindo também uma câmara bárica e térmica. O edifício é utilizado para os preparativos finais por parte dos cosmonautas (onde vestem os fatos pressurizados, etc.) e no seu exterior estes apresentam-se à Comissão Estatal (desde a missão Soyuz TM-28 em Agosto de 1998).

Após ser transportado para o MIK-254, o veículo 11F732A47 n.º 713 seria removido dos contentores de transporte nos dias seguintes, sendo colocado na plataforma de teste e processamento onde seria inspeccionado para atestar que não havia sofrido danos durante o transporte. Após a chegada ao cosmódromo, os testes na Soyuz TMA-13M incidiram sobre os painéis solares do veículo com os especialistas da Corporação RKK Energia e do Centro Espacial Yuzhny, subsidiário da empresa TsENKI, a realizarem inspecções para verificarem o seu correcto funcionamento. De seguida foram realizados testes ao sistema de aproximação e acoplagem Kurs no interior da câmara anecóica e posteriormente a Soyuz TMA-13Den pressyM foi colocada no interior da câmara de vácuo 17T523M onde foram executados os testes para a verificação da existência de fugas.

Nesta fase a tripulação da Soyuz TMA-13M já havia levado a cabo inúmeras sessões de treino de preparação para a missão. Estes treinos abrangem aspectos gerais a todas as missões, mas também aspectos particulares da Expedição 40/41.

Os exames finais das duas tripulações decorreram nos dias 6 e 7 de Maio de 2014 no Centro de Treino de Cosmonautas Yuri Gagarin. Nos dois dias de exames ambas as tripulações receberam a classificação de ‘Excelente’ e em resultando a Comissão Interdepartamental recomendou que ambas as tripulações prosseguissem os seus preparativos para o lançamento.

TMA-13 001

TMA-13 002

No mesmo dia teve lugar no Centro de Treino de Cosmonautas Yuri Gagarin, uma conferência de imprensa com a tripulação principal e com a tripulação suplente da Soyuz TMA-13M. Antes da conferência de imprensa, Sergei Krikalev anunciou os resultados da Comissão Interdepartamental que recomendou a passagem à fase seguinte dos preparativos para o lançamento no Cosmódromo de Baikonur. De seguida, foi realizada uma conferência de imprensa onde participaram as duas tripulações e depois estas visitaram o Museu do Centro de Treino de Cosmonautas Yuri Gagarin bem como a Praça Vermelha em Moscovo, em duas cerimónias tradicionais antes da partida para o Cosmódromo de Baikonur.

Soyuz TMA-13M 01No Museu do Centro de Treino de Cosmonautas Yuri Gagarin os seis elementos visitaram o gabinete do primeiro homem a viajar no espaço onde assinaram o livro de honra. De seguida, a tripulação principal dirigiu-se para a Praça Vermelha onde visitou o muro do Kremlin onde estão depositados os restos mortais de vários cosmonautas bem como de Sergei Korolev.

Finalizado o treino em Moscovo, era hora de as tripulações se dirigirem para o Cosmódromo de Baikonur. As tripulações chegaram a bordo de diferentes aviões (Tupolev Tu-154 e Tupolev Tu-134) no dia 15 de Maio, com a tripulação principal a chegar em primeiro lugar ao cosmódromo onde foram recebidos pelos responsáveis da cidade de Baikonur e dos cosmódromo. À chegada o Comandante Alexander Skvortsov referiu aos representantes estatais presentes, a prontidão da sua tripulação para prosseguir o treino e executar a missão. No aeroporto estavam presentes os representantes da agência espacial russa, representantes da empresa estatal TsENKI, da Corporação Energia ‘Sergei Korolev’ e representantes da administração da cidade de Baikonur.

Soyuz TMA-13M 02No dia após a sua chegada a Baikonur, as duas tripulações da levaram a cabo sessões de treino no interior da cápsula espacial, experimentando os fatos espaciais pressurizados Sokol-KB que iriam utilizar nas fases mais dinâmicas da missão (lançamento, acoplagem e regresso à Terra) bem como os assentos os assentos personalizados. Isto serviu também para se fazer uma adaptação inicial ao interior da cápsula espacial tomando conhecimento da documentação de bordo, e tomaram conhecimento das cargas que serão transportadas. No exterior do edifício experimentaram alguns equipamentos que poderão ser utilizados em situações de emergência (binóculos, telefone via satélite, etc.). Neste mesmo dia teve lugar a reunião da Comissão Técnica que analisou os preparativos para o lançamento da Soyuz TMA-13M. No final da reunião foi tomada a decisão de se proceder com o abastecimento do veículo com os propolentes e gases de pressurização necessários para as manobras orbitais que levarão ao encontro e acoplagem com a estação espacial internacional.

Soyuz TMA-13M 03A tradicional cerimónia do içar das bandeiras no pátio dianteiro do hotel onde os cosmonautas e astronautas estão instalados teve lugar a 17 de Maio. Este evento simboliza o inicial oficial da fase final de treino das tripulações.  Nesta cerimónia estiveram presentes representantes da administração da cidade de Baikonur e representantes do Centro de Treino de Cosmonautas ‘Yuri Gagarin’.

A cápsula Soyuz TMA-13M foi transportada de volta para as instalações de montagem e testes da Área 254 a 18 de Maio, após ter sido abastecida com os propolentes e os gases de pressurização necessários para as suas manobras orbitais. Aqui, o veículo seria submetido às operações finais de processamento antes de ser colocada no interior da carenagem de protecção.
 
O denominado compartimento de transferência seria colocado na parte inferior do módulo de propulsão e serviço (Priborno-agregatniy Otsek) da Soyuz TMA-13M no dia 19 de Maio. Este é um compartimento cilíndrico que permite a ligação física entre a cápsula espacial e o terceiro estágio, Blok-I, do foguetão lançador servindo também como estrutura de fixação inferior da carenagem de protecção. Os desenhadores e engenheiros da Corporação S.P. Korolev Soyuz TMA-13M 04RSC Energia procederam à inspecção do veículo no dia 21 de Março e após assinarem o livro de procedimentos, autorizaram a colocação da cápsula no interior da carenagem de protecção do foguetão lançador.

Ainda a 21 de Maio, as duas tripulações da Soyuz TMA-13M realizaram uma sessão de treino aberto para a imprensa. A sessão começou com a prática de manobras de aproximação e acoplagem por parte da tripulação principal, enquanto que a tripulação suplente realizava um estudo da documentação de bordo. Posteriormente, as tripulações trocaram de lugar. De seguida, as tripulações foram submetidas a testes ergonómicos e realizaram sessões de exercício físico e exercícios para melhorar o processo vestibular de adaptação à ausência de gravidade. No final, as duas tripulações fizeram um passeio pelo Jardim dos Cosmonautas e cumprindo a tradição, Gregory Wiseman e Alexander Gerst plantaram as suas árvores, numa tradição iniciada em 1961 por Yuri Gagarin após o seu regresso à Terra e que continuou depois o seu voo.
 
Soyuz TMA-13M 05No dia 24 de Maio as duas tripulações procederam a uma inspecção da cápsula espacial na sua configuração de voo, tomando também conhecimento com as cargas que seriam transportadas para a ISS. Posteriormente, o Módulo Orbital foi transportado desde as instalações de processamento e teste da Área 254 (MIK-254) para as instalações de integração e montagem do foguetão lançador na Área 112 (MIK-112).
 
O processo de integração final do foguetão lançador é feito em várias fases. Após se colocar em posição, o estágio Blok-I é acoplado ao compartimento de transferência do módulo orbital que contém a cápsula espacial. De seguida, procede-se à colocação do sistema de salvamento de emergência ao mesmo tempo que se prepara a parte inferior do último estágio para a sua ligação com o Blok-A, o estágio central do lançador. Nesta altura já os quatro propulsores laterais de combustível líquido estão acoplados com o estágio central. Após a montagem do sistema de emergência, todo o conjunto é elevado por um guindaste pesado e deslocado alguns metros, sendo colocado em posição e depois acoplado ao Blok-A. Todas estas tarefas foram finalizadas a 25 de Maio.

Soyuz TMA-13M 06

Soyuz TMA-13M 07

A 25 de Maio era também realizada uma reunião da Comissão Governamental e da Comissão Técnica que tomou a decisão de autorizar o transporte do foguetão para a plataforma de lançamento PU-5 do Complexo de Lançamento LC1 (17P32-5). A reunião sumariou os trabalhos de preparação do foguetão lançador, da cápsula espacial e da infra-estrutura de solo. A comissão escutou os relatórios dos gestores e dos gestores técnicos sobre os testes e os preparativos, além da prontidão em se levar a cabo a missão. O foguetão lançador 11A511U-FG Soyuz-FG (T15000-049) foi transportado para a plataforma de lançamento no dia 26 de Maio pelas 0100UTC. Tal como acontece com esta família de lançadores, o seu transporte para a plataforma de lançamento é levado a cabo na horizontal sobre um vagão de caminho de ferro especialmente equipado com um sistema pneumático que segura o foguetão e o coloca na posição vertical sobre o fosso das chamas na plataforma de lançamento. Desse comboio faz também parte uma carruagem com o sistema de ar condicionado e outros sistemas. Após ser colocado na plataforma PU-5 deu-se início ao primeiro dia de actividades de preparação para o lançamento. No mesmo dia é levada a cabo uma reunião da Comissão Governamental que aprova em definitivo a constituição da tripulação principal da Soyuz TMA-13M, tomando também a decisão de se prosseguir com os preparativos para o lançamento do foguetão Soyuz-FG.

Após os técnicos terem terminado os trabalhos de colocação do lançador na plataforma de lançamento e de procederem à ligação de todas as condutas de fornecimento de propolentes, gases de pressurização e de fornecimento eléctrico, tiveram lugar vários testes ao veículo sendo também realizada uma simulação do lançamento. Tendo em conta os resultados dos testes e simulações foi decidido prosseguir com os trabalhos de preparação para o lançamento.

Soyuz TMA-13M 13A seis horas do lançamento a tripulação da Soyuz TMA-13M deixou as instalações do Hotel Cosmonauta onde esteve albergada, juntamente com a tripulação suplente, desde que chegara ao cosmódromo. Aplaudidos pelos familiares e amigos, a tripulação entrava no autocarro que os levaria às instalações do edifício MIK-254 onde envergariam os fatos espacial Sokol-KV. Após envergarem os seus fatos pressurizados, a tripulação dirige-se para o exterior das instalações do MIK-254 onde se normalmente se apresentariam à Comissão Estatal e de seguida entrariam para o autocarro que os levaria até à plataforma de lançamento. Após deixar o edifício, a tripulação entrou de novo no autocarro que os levaria para a plataforma de lançamento. Entretanto, a Comissão Estatal que supervisiona os preparativos para o lançamento da Soyuz TMA-13M, deu luz verde para o abastecimento do foguetão lançador 11A511U-FG Soyuz-FG após ter recebido os relatórios dos responsáveis pelos preparativos para o lançamento.

Soyuz TMA-13M 14Entretanto, a contagem decrescente final para o lançamento teve início a T-8h, iniciando-se as verificações dos sistemas do lançador. As baterias internas para o fornecimento de energia foram instaladas no foguetão lançador e a Comissão Estatal dava a luz verde para o prosseguimento das operações de lançamento. A verificação dos sistemas do lançador e do veículo tripulado tem lugar a T-5h, enquanto que decorria a revisão dos procedimentos de abastecimento do foguetão lançador (T-4h 20m). O abastecimento do foguetão inicia-se a T-4h e a T-3h era finalizado o abastecimento de oxigénio líquido ao primeiro e segundo estágio do foguetão Soyuz-FG.

Deixando as instalações do MIK 254, a tripulação chega à plataforma de lançamento a T-2h 40m, apresentando-se então às delegações presentes e de seguida entrava no elevador que lhes daria acesso à câmara de entrada na cápsula espacial, ingressando depois na Soyuz TMA-13M a T-2h 30m. A escotilha de acesso ao interior da nave espacial é encerrada a T-2h e a verificação final dos sistemas do módulo de descida tem início a T-1h 45m ao mesmo tempo que se procede à activação dos giroscópios, iniciando-se o fluxo de ar para os fatos espaciais pressurizados, procedendo-se à pressurização da Soyuz TMA-13M e dando-se início à verificação final dos sistemas do lançador. A T-1h 30m é verificada a pressão na escotilha que separa o módulo de descida do módulo orbital. Nesta altura a tripulação activa o sistema de comunicações.

O sistema de orientação inercial do foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG foi activado a T-1h e nesta altura inicia-se a evacuação da área da plataforma de lançamento PU-5. O programa de voo é carregado nos computadores de bordo a T-45m ao mesmo tempo que é baixada a estrutura de serviço que contém o compartimento de acesso à cápsula espacial. A T-40m estavam finalizados os testes dos sistemas do módulo de descida da Soyuz TMA-13M ao mesmo tempo que se iniciam os testes de pressurização dos fatos Sokol. O sistema de comando de lançamento é activado a T-30m, bem como o sistema de emergência. As duas metades da torre de serviço são então colocadas na posição de lançamento a T-25m. Os testes de pressurização dos fatos da tripulação são finalizados a T-15m, na mesma altura em que se completa a evacuação da plataforma de lançamento. Nesta fase o sistema de emergência é colocado em modo automático. A T-10m os sistemas de orientação inerciais são colocados em modo de voo e os gravadores de bordo são activados pela tripulação. Estes gravadores irão registar todos os dados telemétricos do veículo bem como as conversações entre os cosmonautas e com o Centro de Controlo de Voo em Moscovo (TsUP). A sequência automática de lançamento é activada a T-6m 15s com o complexo de lançamento e todos os sistemas da Soyuz TMA-13M bem como do foguetão lançador a serem declarados prontos para o lançamento a T-6m. Nesta altura a ‘Chave de Lançamento’ é entregue ao Director de Lançamento. Os sistemas de telemetria de bordo e do solo são activados a T-5m com os sistemas de bordo a serem transferidos para o controlo de bordo. Os sistemas de controlo do Comandante da Soyuz TMA-13M são activados ao mesmo tempo que é introduzida no bunker de controlo a chave de lançamento. Por esta altura a tripulação começa a consumir o ar proveniente dos fatos pressurizados ao encerrar as viseiras dos seus capacetes.

A T-3m 15s deu-se a purga com nitrogénio das câmaras de combustão dos motores do primeiro e do segundo estágio. A energia do mastro umbilical para o 3º estágio é desligada a T-2m 40s e cinco segundos depois dá-se início à pressurização dos tanques de propolente do foguetão lançador. A T-2m 30s, são activados os sistemas de medição de bordo e é iniciada a pressurização de todos os tanques do lançador com nitrogénio. As válvulas de fornecimento, drenagem e de segurança dos tanques do lançador são encerradas a T-2m 15s ao mesmo tempo que se termina com o abastecimento de oxigénio e nitrogénio.

A T-60s o foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG começa a receber energia das suas próprias baterias, dando-se início à sequência automática de lançamento. Nesta altura é separada a primeira torre umbilical conectada ao lançador. O segundo braço umbilical para fornecimento de energia ao terceiro estágio separa-se do lançador a T-40s. A ‘Chave de Lançamento’ é colocada na posição de lançamento a T-20s, iniciando assim o sequenciador automático, entrando em ignição os motores do primeiro (propulsores laterais) e segundo estágio, atingindo um nível de força intermédio. O segundo mastro umbilical separa-se do lançador a T-15s e as turbo-bombas dos motores a funcionam à velocidade de voo a T-10s. Os motores do primeiro estágio atingem a força máxima a T-5s com o veículo a abandonar a plataforma de lançamento e os quatro mastros de suporte do veículo a deslocarem-se para a posição de segurança pelas 1957:41UTC.

Os próximos lançamentos com o foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG são:

25 de Setembro – Baikonur, LC1 PU-5 – Soyuz TMA-14M

24 de Novembro – Baikonur, LC1/PU-5 – Soyuz TMA-15M

28 de Março – Baikonur, ?? – Soyuz TMA-16M

26 de Maio – Baikonur, ?? – Soyuz TMA-17M

Dados estatísticos

– Lançamento orbital: 5366

– Lançamento orbital com sucesso: 5018

– Lançamento orbital Rússia: 3135

– Lançamento orbital Rússia com sucesso: 2982

– Lançamento orbital desde Baikonur: 1424

– Lançamento orbital desde Baikonur com sucesso: 1340

A seguinte tabela mostra os totais de lançamentos executados este ano em relação aos previstos para cada polígono à data deste lançamento: 1ª coluna – lançamentos efectuados (lançamentos fracassados); 2ª coluna – lançamentos previstos à data; 3ª coluna – satélites lançados:

Baikonur – 9 (1) / 29 / 11

Plesetsk – 3 / 12 / 5

Dombarovskiy – 0 / 4 / 0

Cabo Canaveral AFS – 7 / 23 / 12

Wallops Island MARS – 1 / 3 / 34

Vandenberg AFB – 1 / 6 / 1

Kauai TF – 0 / 1 / 0

Jiuquan – 1 / 2* / 1

Xichang – 0 / 6* / 0

Taiyuan – 0 / 3* / 0

Tanegashima – 2 / 5 / 13

Kourou – 4 / 14 / 8

Satish Dawan, SHAR – 2 / 5 / 2

Odyssey – 1 / 1 / 1

Palmachim – 1 / 1 / 1

* Valores não precisos

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo: 35,5% foram realizados pela Rússia; 29,0% pelos Estados Unidos (incluindo ULA, SpaceX e Orbital SC); 3,2% pela China; 12,9% pela Arianespace; 6,5% pelo Japão, 6,5 % pela Índia, 3,2% por Israel e 3,2% pela Sea Launch.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

11 Jun (0151:00) – Falcon-9 v1.1 (F-5) – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Orbcomm-G2 (x6)

14 Jun (1716:48) – 14A14-1B Soyuz-2-1B/Fregat-M (023/112-02) – GIK-1 Plesetsk, LC43/4 – Uragan-M (blok-49s)

17 Jun (????:??) – Antares-120 – MARS Wallops Island, LP-0A – Cygnus Orb-2 (CRS2)

19 Jun (1911:11) – 15A18 Dnepr-1 (108) – Dombarovskiy, LC370/13 – KazEOSat-2 (DZZ-MR); Deimos-2; Hodoyoshi-3; Hodoyoshi-4; SaudiSat-4; AprizeSat-9; AprizeSat-10; Unisat-6; Tigrisat; AeroCube-6; ANTELSAT; Lemur-1; BRITE-CA 1 (CanX 3E); BRITE-CA 2 (CanX 3F); NanosatC-Br1; Duchifat-1; Perseus-M1; Perseus-M2; QB50P1; QB50P2; TabletSat-Aurora; BugSat-1 (Tita); POPSAT-HIP 1; PACE; POLYITAN; Flock-1c 1 a Flock-1c 11

23 Jun (????:??) – PSLV-C23 (PSLV-CA) – Satish Dawan SHAR, FLP – SPOT-7; NLS-7.1 (CanX-4); NLS-7.2 (CanX-5); AISSat; Iinusat-1

Deixe um comentário