Soyuz-FG lança Progress MS-10 para a ISS

A Rússia levou a cabo o seu 3.230º lançamento orbital ao colocar em órbita o veículo de carga Progress MS-10 tendo por destino a estação espacial internacional.

O lançamento do Progress MS-10 teve lugar às 1814:08,754UTC do dia 16 de Novembro de 2018 e foi levado a cabo pelo foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG (N15000-068) a partir da Plataforma de Lançamento PU-5 do Complexo de Lançamento LC1 ‘Gagarinskiy Start’ do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão.

Toas as fases do lançamento decorreram sem problemas e o Progress MS-10 foi colocado na órbita prevista. Este foi o terceiro lançamento de um lançador da família Soyuz após acidente de 11 de Outubro, no qual um foguetão 11A511U-FG teve uma falha num dos seus propulsores laterais, levando à perda da missão. Este lançamento abre assim de forma definitiva caminho ao lançamento da Soyuz MS-11 previsto para 3 e Dezembro. A Soyuz MS-11 será colocada em órbita pelo foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG (N15000-069).


A bordo do Progress MS-10 são transportados propelente, água, oxigénio e ar comprimido, além de outras cargas. O Progress MS-10 transporta também equipamento científico no seu compartimento de carga, além de componentes para o sistema de suporte de vida, contentores com alimentos, roupa e produtos de higiene pessoal para a tripulação da ISS actualmente tendo a bordo a Expedição 56 comandada pelo astronauta Alemão, Alexander Gerst, e da qual ainda fazem parte Sergei Prokopyev (Rússia) e Serena Auñón-Chancellor (EUA).

Lançamento

Com os preparativos finais para o lançamento a decorrerem sem problemas, bem como a contagem decrescente, o lançamento do Progress MS-10 decorreu sem incidentes.

O final da queima e separação do primeiro estágio (constituído pelos quatro propulsores laterais) teve lugar a T+1m 57,85s. A separação das duas metades da carenagem de protecção, agora desnecessária, ocorria a T+3m 3,10s.

O final da queima do estágio central (Blok-A) ocorria a T+4m 37,16s, com a separação entre o segundo e o terceiro estágio a ter lugar a T+4m 47,28s. O terceiro estágio a entra em ignição logo de seguida. A separação da grelha de ligação entre o segundo e o terceiro estágio (esta secção divide-se em três partes após a separação) ocorre a T+4m 56,80s. O terceiro estágio (Blok-I) coloca o veículo em órbita terrestre com a sua queima a terminar a T+8m 45,56s e a separação do Progress MS-10 a ter lugar a T+8m 48,86s.

Para chegar à ISS, o Progress MS-10 realizaria várias manobras orbitais para elevar os seus parâmetros e levar a cabo a aproximação final à estação espacial.

Preparativos para o lançamento

No Cosmódromo de Baikonur teve lugar a 6 de Novembro uma reunião da Comissão de Gestão Técnica e da Comissão Estatal que analisou os preparativos para o lançamento do veículo de carga Progress MS-10. No final reunião a Comissão tomou a decisão de se proceder ao abastecimento do Progress MS-10 com os gases de pressurização e com os prepolentes necessários para as suas manobras orbitais.

Os procedimentos de abastecimento decorreram sem problemas a 6 e 7 de Novembro. No dia seguinte o veículo de carga Progress MS-10 foi transportado de volta para as instalações do edifício de integração e teste da Área 254 (MIK-254) após ter sido abastecido. A 10 de Novembro seria acoplado com o compartimento de transferência. Este é um compartimento cilíndrico que permite a ligação física entre a carga (neste caso o Progress MS-10) e o terceiro estágio foguetão lançador (estágio Blok-I), servindo também como ponto de apoio para as duas metades da carenagem de protecção.

A inspecção por parte dos especialistas da Corporação RKK Energia ‘Sergei Korolev’ teria lugar a 12 de Julho e no final o Progress MS-10 seria colocado no interior da carenagem de protecção, constituindo-se assim o Módulo Orbital que seria transportado via caminho-de-ferro para as instalações de integração e montagem da Área 112 (MIK-112) no dia 12 e nas quais seria integrado com o seu foguetão lançador a 13 de Novembro. Neste mesmo dia teria lugar a reunião da Comissão Estatal que após analisar os preparativos para o lançamento, autorizaria o transporte do lançador para a plataforma de lançamento. Este procedimento teria lugar às primeiras horas do dia 14 de Novembro e dando-se início a dois dias de preparativos finais para o lançamento.

Progress MS

Ao abandonar o seu programa lunar tripulado a União Soviética prosseguiu o seu programa espacial ao colocar sucessivamente em órbita terrestre uma série de estações espaciais tripuladas nas quais os cosmonautas soviéticos e posteriormente russos estabeleceram recordes de permanência no espaço. Começando inicialmente com estadias de curtas semanas e passando posteriormente para longos meses, os cosmonautas soviéticos eram abastecidos no início pelas tripulações que os visitavam em órbita, mas desde cedo, e começando com a Salyut-6, a União Soviética iniciou a utilização dos veículos espaciais de carga Progress. Os Progress representaram um grande avanço nas longas permanências em órbita, pois permitiam transportar para as estações espaciais víveres, instrumentação, água, combustível, etc. Os cargueiros são também utilizados para elevar as órbitas das estações, para descartar o lixo produzido a bordo dos postos orbitais e para a realização de diversas experiências científicas.

Ao longo de 30 anos foram colocados em órbitas dezenas de veículos deste tipo que são baseados no mesmo modelo das cápsulas tripuladas Soyuz e que têm vindo a sofrer alterações e melhorias desde então.

O veículo Progress MS é uma versão modificada do modelo 11F615A60 (11Ф615A60). Para além do novo computador TsVM-101 no lugar do velho computador Árgon-16 e com um novo sistema compacto digital de telemetria MBITS no lugar do velho sistema de telemetria analógico, esta nova versão do venerável veículo de carga Russo, possuí várias melhorias em relação às versões anteriores, nomeadamente: a substituição do sistema de aproximação e acoplagem Kurs-A pelo sistema digital Kurs-NA; a utilização do Sistema de Telemetria e Comando Unificado em vez do sistema de rádio Chezara Kvan-V e sistema de antena / alimentação de fabrico Ucraniano; um novo compartimento externo que permite a colocação em órbita de pequenos satélites (cada compartimento pode transportar até quatro satélites); melhoria da redundância com a adição de um sistema suplente de motores eléctricos para o mecanismo de acoplagem e de selagem; protecção melhorada contra o impacto de meteoritos e detritos orbitais com a inclusão de painéis adicionais no compartimento de carga; capacidade de ligação com o sistema de comunicações / retransmissão Luch que permite o envio de telemetria e de comandos mesmo fora da linha de visão com as estações e controlo no solo; navegação autónoma GNSS que permite a determinação em tempo real do vector de estado e dos parâmetros dispensando assim a necessidade das estações no solo para a determinação orbital; navegação orbital relativa graças às capacidades de trocas de dados via rádio com a estação espacial; e um novo sistema de rádio digital que permite uma visão de TV melhorada para as operações de acoplagem.

Tal como os outros tipos de cargueiros, o Progress MS é constituído por três módulos: Módulo de Carga (Грузовой отсек) – GO “Gruzovoi Otsek” com um comprimento de 3,0 metros, um diâmetro de 2,3 metros e um peso de 2.520 kg, está equipado com um sistema de acoplagem e com duas antenas tipo Kurs; Módulo de Reabastecimento (Отсек компонентов дозаправки) – OKD “Otsek Komponentov Dozapravki” com um comprimento de 2,2 metros, um diâmetro de 2,2 metros e um peso de 1.980 kg, sendo destinado ao transporte de combustível para as estações espaciais; Módulo de Serviço (Приборно-агрегатный отсек) – PAO “Priborno-Agregatniy Otsek“ com um comprimento de 2,3 metros, um diâmetro de 2,1 metros e um peso de 2.950 kg, contém os motores do veículo tanto para propulsão como para manobras orbitais.
m-22m_2014-02-05_18-40-13

O foguetão 11A511U-FG Soyuz-FG

O lançador 11A511U-FG Soyuz-FG é uma versão melhorada do foguetão 11A511U Soyuz-U. Esta versão possui motores melhorados e sistemas aviónicos modernizados, além de possuir um número de componentes fabricados fora da Rússia muito reduzido. O 11A511U-FG Soyuz-FG pertence à família do R-7 tendo também tem as designações Sapwood (NATO), SL-4 (departamento de Defesa dos Estados Unidos) e A-2 (Designação Sheldom).

É um veículo de três estágios no qual o primeiro consiste em quatro propulsores laterais a combustível líquido que auxiliam o veículo nos minutos iniciais do voo.

O 11A511U-FG Soyuz-FG é capaz de colocar uma carga de 7.420 kg numa órbita média a 193 km de altitude e com uma inclinação de 51,8º em relação ao equador terrestre.

Soyuz-FG 01

O primeiro lançamento de um veículo 11A511 Soyuz deu-se a 28 de Novembro de 1966 a partir do Cosmódromo NIIP-5 Baikonur. Neste dia o lançador 11A511 Soyuz (n.º 1) colocou em órbita o satélite Cosmos 133 Soyuz 7K-OK n.º 2 (02601 1966-107A). Por seu lado o primeiro 11A511U Soyuz-U foi lançado a 18 de Maio de 1973, a partir do Cosmódromo NIIP-53 Plesetsk e colocou em órbita o satélite Cosmos 559 Zenit-4MK (06647 1973-030A). O primeiro desaire com o 11A511U Soyuz-U ocorreu a 23 de Maio de 1974, quando falhou o lançamento de um satélite do tipo Yantar-2K a partir do Cosmódromo NIIP-53 Plesetsk. O primeiro lançamento de um 11A511U-FG Soyuz-FG deu-se a 20 de Maio de 2001, tendo colocado em órbita o cargueiro Progress M1-6 (26773 2001-021A) em direcção à ISS.

Soyuz-FG 03

Soyuz-FG 02

Dados estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5782

– Lançamento orbital Rússia: 3230 (55,86%)

– Lançamento orbital desde Baikonur: 1485 (25,68%)

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

17 Nov (0901:00) – Antares-230 – MARS Wallops Island, LP-0A – Cygnus NG-10 (CRS-10) “John Young”, CHEFSat-2, KickSat-2, MYSAT-1

19 Nov (1832:00) – Falcon-9/SHERPA (B1048.3) – Vandenberg AFB, SLC-4E – ORS-7A (Polar Scout 1), ORS-7B (Polar Scout 2), MinXSS-2, Audacy-0, Eu:CROPIS, BlackSky Global 2, STPSat-5, NEXTSat-1, Hawk-A, Hawk-B, Hawk-C, Fox-1C (Fox-1Cliff), KNACKSAT, Elysium-Star 2, JY1-Sat, KazistiSat (KazSTSAT), KazSaySat-1 (KazSciSat-1), ROSE-1 (RFT Orbital Satellite Experiment), ICEYE-X2, CSIM-FD, Hiber-2, Orbital Reflector (ORS-1), PW-Sat 2, Hamilton-1, MOVE-2, Centauri-2, Eaglet-1, SpaceBEE-9, SpaceBEE-10, SpaceBEE-11, Flock-3s (1), Flock-3s (2), Flock-3s (3), SkySat-14, SkySat-15, AISTECHSAT-2, Al-Farabi 2, Astrocast-0.1, BeeSat-5, BeeSat-6, BeeSat-7, BeeSat-8, BlackHawk, BRIO, Capella-1, ESEO, eXCITe, ExseedSat-1, FalconSat-6, ICE-Cap, Irvive-02, ITASAT-1, K2SAT, Landmapper-BC 4 (Corvus-BC 4), RAAF-M1, RANGE-A, RANGE-B, SeaHawk-1, SeeMe, SIRION Pathfinder 2, SNUGLITE, SNUSAT-2, Suomi-100, THEA, VESTA, VisionCube, WeissSat-1, ENOCH

18 Nov (1800:00) – CZ-3B Chang Zheng-3B/YZ-1 – Xichang, LC3 – Beidou-3M17 (Beidou-41), Beidou-3M18 (Beidou-42)

19 Nov (2340:00) – CZ-2D Chang Zheng-2D – Jiuquan, LC43/94 – Jiading-1 (OKW-01), SaudiSAT-5A, SaudiSAT-5B, Tianzhi-1, ?????, ?????

21 Nov (0142:00) – Vega (VV13) – CSG Kourou, ZLV – Mohammed VI-B (MN35-B, Morocco EO Sat 2)

 

%d blogueiros gostam disto: