Sinais de uma fusão galáctica



Hubble_image_of_NGC_7714_large

O telescópio Hubble NASA/ESA captou esta fantástica visão da galáxia espiral NGC 7714. Esta galáxia desviou-se para muito perto de outra galáxia vizinha e a intensa interação torceu os seus braços espiralados, arrastando correntes de material para o espaço, desencadeando explosões brilhantes de formação de estrelas.

A NGC 7714 é uma galáxia espiral a 100 milhões de anos-luz da Terra — um vizinho relativamente próximo em termos cósmicos.

Num passado recente, a galáxia passou por alguns eventos dramáticos e violentos. Sinais desta brutalidade podem ser percebidos na forma estranha dos braços da NGC 7714 e na névoa dourada que sai do centro da galáxia.

E o que causa esta deformação? O culpado é uma pequena companheira, de nome NGC 7715, que está fora desta imagem – mas é visível na imagem de campo mais amplo da DSS. As duas galáxias aproximaram-se demasiado entre 100 e 200 milhões de anos atrás, e começou o processo de rompimento das estruturas e formas.

Como resultado disso, um anel e duas longas caudas de estrelas emergiram da NGC 7714, criando uma ponte entre as duas galáxias. A ponte funciona como uma espécie de oleoduto, afunilando material da NGC 7715 para a sua companheira maior e alimentando a formação de estrelas. Boa parte da actividade de formação de estrelas está concentrada no centro brilhante da galáxia, apesar de que toda a galáxia está cheia de novas estrelas.

Os astrónomos caracterizaram a NGC 7714 como uma típica galáxia starburst de Wolf-Rayet. Isto é por causa das estrelas no seu interior, uma grande quantidade de novas estrelas são do tipo Wolf-Rayet — estrelas muito quentes e brilhantes que começaram a sua vida com dezenas de vezes a massa do Sol, mas perdem a maior parte desta, rapidamente, através de ventos muito fortes.

Esta imagem do Hubble é uma composição de dados captados numa vasta gama de comprimentos de onda, revelando a correlação entre as nuvens de gás e as estrelas na galáxia. Esta nova imagem não só revela a complexa estrutura da NGC 7714, mas mostra também muitos outros objectos que estão muito mais longe. Estas galáxias de fundo lembram fracas manchas de luz, algumas das quais em forma de espiral.

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário