Segundo satélite ambiental já em órbita



VV05 9

O satélite Sentinel-2A, foi lançado, acrescentando capacidade óptica em alta resolução ao sistema de monitorização ambiental da União Europeia Copernicus.

O satélite de 1.1 toneladas partiu num foguete Vega do Porto Espacial Europeu em Kourou, Guiana Francesa, às 0152UTC de 23 de Junho (03:52 CEST; 22:52 hora local, de 22 de Junho).

O primeiro andar separou-se 1 minuto e 52 segundos depois da descolagem, seguido pelo segundo andar e revestimento, 3 minutos e 37 segundos depois e 3 minutos e 54 segundos depois, respectivamente, e o terceiro andar 6 minutos e 32 segundos depois.

Depois de uma primeira ignição, 7 minutos e 42 segundos depois da descolagem, seguindo-se de duas reignições, o andar superior do Vega colocou o Sentinel-2A na órbita alvo, heliossíncrona. O satélite separou-se aos 54 minutos e 43 segundos de voo.

Vídeo

Sinais de telemetria e controle de atitude foram então estabelecidos pelos controladores no centro de operações da ESA, em Darmstadt, Alemanha, permitindo a activação dos sistemas do Sentinel. Os painéis solares do satélite já tinham sido abertos.

Depois desta primeira fase, que tipicamente dura três dias, os controladores irão começar a verificar e calibrar os instrumentos para o comissionamento do satélite.

Vídeo

Espera-se que a missão fique operacional dentro de três ou quatro meses.

Seis famílias de satélites Sentinel irão fazer parte do coração da rede europeia de monitorização ambiental, Copernicus. Uma iniciativa bandeira da União Europeia, o Copermicus irá fornecer informação operacional sobre a superfície terrestre, oceanos e atmosfera para apoiar as políticas ambientais e de segurança, e ir ao encontro das necessidades dos cidadãos e dos fornecedores de serviços.

O Sentinel-2 é o segundo satélite de uma constelação de 20 satélites que irão escrutinar o planeta Terra, melhorando consideravelmente a capacidade do Copernicus fornecer aos cidadãos europeus os mais completos dados para aplicações ambientais e de segurança, disponíveis em qualquer parte do mundo,” notou o diretor-geral da Jean-Jacques Dordain.

O Sentinel-2A irá complementar as imagens de radar, de dia e noite, em todas as condições meteorológicas, fornecidas pela frota Sentinel-1A, lançado a 3 de Abril de 2014.

O Sentinel-2A, com a sua câmara óptica, é um complemento às imagens de radar do Sentinel-1A,” disse Volker Liebig, o Diretor de Programas de Observação da Terra da ESA. “Irá apoiar áreas importantes, em benefício da sociedade, como a segurança alimentar e a monitorização de florestas.

A combinação de grandes áreas de varrimento com um curto período de revisita irá permitir aos utilizadores assistir às alterações no terreno e no crescimento da vegetação com uma precisão sem precedentes. 

Ao revisitar a mesma área com frequência, irá permitir o aparecimento de uma nova geração de produtos operacionais, como mapas de cobertura de terreno, a mapas de desastres e de vegetação, a mapas de conteúdo em clorofila e outras variáveis bio-geofísicas.”

Os dados serão fornecidos de forma gratuita. Os dados em bruto serão analisados, processados e harmonizados pelos fornecedores de serviço públicos e privados.

O Sentinel-2B, o seu satélite gémeo, tem lançamento marcado para meados de 2016.

Estão neste momento planeados 14 satélites Sentinel. E os satélites Sentinel-4 e Sentinel-5 serão transportados como carga em seis satélites meteorológicos.

Notícia e imagem: ESA

Deixe um comentário