Segunda missão do Cheng Zheng-11 lança XPNAV-1



cz-11_xpnav-1-1

A China levou a cabo o segundo lançamento do foguetão de combustível sólido CZ-11 Chang Zheng-11 transportando uma carga de cinco pequenos satélites, entre os quais o XPNAV-1.

O lançamento teve lugar às 23:42UTC do dia 9 de Novembro de 2016 e foi levado a cabo a partir de uma rampa de lançamento móvel localizada no Centro de Lançamentos Espaciais de Jiuquan. O lançamento surgiu dois dias antes do esperado.

A bordo do Chang Zheng-11 (Y2) estavam os satélites XPNAV-1 e Xiaoxiang-1. Anteriormente ao lançamento, surgiram notícias que de seriam colocados em órbita três satélite Lishui-1. No entanto, parece que somente um satélite Lishui-1 foi lançado, sendo este um CubeSat-3U. Os media Chineses referem ainda a presneça de duas outras cargas, o CAS-2T e o KS-1Q, que poderão no entanto ser a mesma. Existe ainda referência ao satélite Pina-2.

O XPNAV-1 tem uma massa de 240 kg e irá utilizar as emissões provenientes de pulsares para conseguir determinar a sua posição em órbita, deixando assim de depender dos sinais emitidos pelos usuais sistemas de navegação. Utilizando as emissões regulares dos pulsares, o XPNAV-1 irá tentar determinar ou triangular a sua posição em relação ao Sol. Desenvolvido pela Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST), o satélite irá detectar os sinais de raios-x emitidos por 26 pulsares localizados «próximos» da Terra.

xpnav1-1Os actuais métodos de navegação são limitados pelo atraso temporal do sinal emitido entre o veículo espacial e a Terra. Porém, para certo tipo de pulsares, denominados ‘pulsares de milissegundos’, as pulsações de radiação ocorrem com a regularidade e precisão de um relógio atómico. Como resultado, e em alguns cenários, os pulsares de raios-x podem demorar menos tempo a estimar uma localização, levando assim a medições mais precisas da localização de um veículo espacial 

Os pulsares são os restos de estrelas que colapsaram em imensamente densas esferas em rotação, emitindo radiação à medida que rodam. Se a radiação electromagnética emitida em dois pontos distintos destes corpos passa pela Terra, então parece que estes corpos estão a pulsar.

xiaoxiang-1-4O satélite Xioaxiang-1 (潇湘一号) foi desenvolvido pelo Instituto de Investigação Changsha Gaoxinqu Tianyi, em Hunan. É um CubeSat-6U com uma massa de 8 kg e equipado com um sistema de establização de camara que constitui a sua carga principal. 

O satélite Lishui-1 (丽水一号) foi desenvolvido pela empresa Zhejiang Lizhui Electronic Technology Co., Ltd. Este é um pequeno satélite comercial de detecção remota.

O satélite Pina-2 é um Cubesat desenvolvido pela empresa Aerospace DFH e tem como objectivo levar a cabo experiência científicas e tecnológicas.

A carga CAS-2T é um CubeSat-2U que permanecer fixo no quarto estágio do foguetão lançador. O CAS-2T transporta um repetidor na frequência 145/435 MHz FM e foi desenvolvido por estudantes do distrito de Fengtai, Pequim. Por seu lado, a carga KS-1Q também permaneceu no quarto estágio do Chang Zheng-11 e foi desenvolvida por uma empresa privada de Guangdong. A empresa está a testar vários componentes tais como uma câmara, um sistema de comunicação óptica e sensores medindo os parâmetros do voo até à órbita terrestre, além de outras características. Estas duas cargas poderão estar associadas.

O novo Chang Zheng-11

cz-11-002667Poucas características são conhecidas do CZ-11 Chang Zheng-11 (长征十一号). Este lançador é um veículo a quatro estágios que consomem prepolente sólido. Possivelmente, o quarto estágio deverá estar equipado com um sistema de controlo que utiliza propelentes líquidos. O CZ-11 foi desenvolvido pela Corporação de Ciência e Tecnologia Industrial da China uma subsidiária da Academia Chinesa de Tecnologia de Lançadores Espaciais.

O foguetão tem um comprimento de 20,8 metros, diâmetro de 2,0 metros e uma massa de 58.000 kg, desenvolvendo 120.000 kg/f no lançamento, sendo capaz de colocar uma carga de 350 kg numa órbita sincronizada com o Sol a uma altitude de 700 km. Pode ser equipado com duas carenagens distintas (1,6 metros de diâmetro e 2,0 metros de diâmetro) dependendo da missão a levar a cabo. 

É um veículo de actuação rápida, podendo ser pronto para o lançamento numa questão de horas. O objectivo é dar resposta rápida em situações de emergência. O CZ-11 está projectado para o lançamento de pequenas cargas. O quadro seguinte mostra a capacidade de carga (kg) em relação à altitude da órbita circular para o Chang Zheng-11.

cz-11-002666

A figura mostra um esquema do foguetão Chang Zheng-11: 1) carenagem de protecção; 2) satélites; 3) adaptador de carga; 4) compartimento de equipamento de controlo; 5) motor de combustível sólido do 4º estágio; 6) sistema de controlo de reacção; 7) motor de combustível sólido do 3º estágio; 8) motor de combustível sólido do 2º estágio; 9) motor de combustível sólido do 1º estágio; 10) 4º estágio; 11) 3º estágio; 12) 2º estágio; 13) 1º estágio.

O primeiro lançamento do Chang Zheng-11 teve lugar às 0145UTC do dia 25 de Setembro de 2015 quando o veículo Y1 colocou em órbita os satélites Pujiang-1 (浦江一号), Shangkeda-2 (TW-1A Tianwang-1A ‘天网一号/ SECM-1), NJUST-2 (TW-1B Tianwang-1B) e NJFA-1 (TW-1C Tianwang-1C).

cz-11_xpnav-1-2

Dados Estatísticos e próximos lançamentos

– Lançamento orbital: 5580

– Lançamento orbital com sucesso: 5227

– Lançamento orbital China: 252

– Lançamento orbital China com sucesso: 239

– Lançamento orbital desde Jiuquan: 89

– Lançamento orbital desde Jiuquan com sucesso: 83

Ao se referir a ‘lançamentos com sucesso’ significa um lançamento no qual algo atingiu a órbita terrestre, o que por si só pode não implicar o sucesso do lançamento ou da missão em causa.

2016-066a-1

2016-066a-2

Dos lançamentos bem sucedidos levados a cabo em 2016: 22,7% foram realizados pela Rússia; 25,8% pelos Estados Unidos (incluindo ULA (47,1%), SpaceX (47,1%) e Orbital SC (5,9%)); 24,2% pela China; 12,1% pela Arianespace; 9,1% pela Índia, 3,0% pelo Japão, 1,5% pela Coreia do Norte e 1,5% por Israel.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC): 

11 Nov (18:30:00) – Atlas-V/401 (AV-062) – Vandenberg AFB, SLC-3E – WorldView-4; RAVAN; U2U; Aerocube-8C (IMPACT-C); Aerocube-8D (IMPACT-D); Prometheus-2.1; Prometheus-2.2; CELTEE

17 Nov (16:06:48) – Ariane-5ES (L594/VA233) – CSG Kourou, ELA3 – Galileo-FOC FM07 (Antonianna); Galileo-FOC FM13 (Kimberley); Galileo-FOC FM14 (Tijmen); Galileo-FOC FM12 (Lisa)

17 Nov (20:20:00) – 11A511U-FG Soyuz-FG (R15000-060) – Baikonur, LC31 PU-6 – Soyuz MS-03

19 Nov (21:42:00) – Atlas-V/541 (AV-069) – Cabo Canaveral AFS, SLC-41 – GOES-R

20 Nov (??:??:?? – CZ-3C Chang Zheng-3C – Xichang, LC3 – TL-1 Tianlian-1 (4)

28 Nov (??:??:??) – PSLV-C36 – Satish Dawan SHAR, FLP – Resourcesat-2A; IITMSAT; Max Valier; Venta-1; Niusat

Deixe um comentário