Schiaparelli separa-se a caminho de Marte



exomars-1-18

O módulo de descida Schiaparelli separou-se com sucesso do Trace Gas Orbiter (ExoMars 2016) a caminho de Marte.

A separação ocorreu às 14:42UTC do dia 16 de Outubro de 2016 a uma distância de 496 milhões de quilómetros de Marte.

Ambos os veículos irão chegar a Marte no dia 19 de Outubro, com o módulo Schiaparelli a penetrar na atmosfera marciana.

exomars_2016-1

A missão ExoMars é uma colaboração entre a Agência Espacial Europeia (ESA) e a agência espacial Russa, Corporação Estatal Roscosmos, e é composta por duas missões: a Trace Gas Orbiter (TGO), lançada a 14 de Março, e uma missão de superfície composta por um veículo de descida e um rover cujo lançamento está previsto para 2018. Um terceiro veículo, o Entry Demonstrator Module (EDM), ou Schiaparelli, acompanha o TGO. Sendo uma missão de demonstração tecnológica, o Schiaparelli tem como função fornecer à ESA e à Roscosmos, a experiência na descida para a superfície de Marte e testar o sistema de descida antes da verdadeira  missão em 2018.

exomars-1-17

O objectivo do programa ExoMars é o de estudar o planeta Marte em busca de evidências de vida presente ou passada. A ESA também vê o programa como uma antecâmara de futuras missões para a recolha e transporte para a Terra de amostras da superfície marciana. O programa foi originalmente projectado como uma missão de bandeira da ESA ao abrigo do Programa Aurora e composta somente por um veículo robotizado de superfície. O veículo orbita, foi adicionado ao programa mais tarde. A NASA envolveu-se no projecto, tornando-se um projecto conjunto entre europeus e norte-americanos, porém acabariam por sair em 2011. O envolvimento da Rússia no projecto surge após a saída dos Estados Unidos e a sua contribuição situa-se ao nível de equipamentos para os veículos de descida e o lançamento das duas missões utilizando foguetões 8K82KM Proton-M/Briz-M.

 

 

ExoMars Trace Gas Orbiter transporta um conjunto de quatro instrumentos para estudar a superfície e a atmosfera de Marte. A carga Nadir and Occultation for Mars Discovery (NOMAD) é composta por um espectroscópio ultravioleta e um par de espectroscópios de infravermelhos que serão utilizados para estudar a composição da atmosfera marciana com um alto grau de sensibilidade.

Atmospheric Chemistry Suite (ACS) é composto por três espectrómetros de infravermelhos adicionais: o ACS-NIR, ACS-MIR e o ACS-TIR, que serão utilizados para estudar a estrutura e a fotoquímica da atmosfera ao observar a luz solar ocultada pela atmosfera ou reflectida da superfície. O ACS-NIR e o ACS-MIR são espectrómetros Echelle que operam no infravermelho próximo e médio. O ACS-TIR é um espectrómetro de Fourier de dois canais.

ExoMars-1 4O sistema de observação Colour and Stereo Surface Imaging System (CaSSIS) deverá fornecer imagens de alta-resolução a cores e estereoscópicas da superfície para serem comparadas com informação obtidas a partir dos espectróscópios e para fornecer contexto para as medições efectuadas. O sistema de observação tem uma resolução de 5 metros por pixel.

Fine Resolution Epithermal Neutron Detector (FREND) é um detector de neutrões que será utilizado para identificar e mapear o hidrogénio na superfície e sub-superfície até uma profundidade de 1 metro.

O estudo da atmosfera de Marte irá permitir aos cientistas tirar conclusões acerca dos gases que podem ser subprodutos de vida potencial na superfície. Os espectrómetros permitem à missão elaborar um perfil detalhado dos gases na atmosfera, e detectar quantidades e registar alterações ao longo do tempo, que possam ser resultado de variações sazonais de processos em curso. Um foco particular da missão é o metano, que sido observado na atmosfera de forma intermitente. Os cientistas sugerem que a natureza intermitente destas observações sugere que o gás ainda está a ser produzido e um dos objectivos chave da ExoMars é o determinar se a sua origem está num processo biológico ou geológico.

ExoMars-1 3O módulo de descida Schiaparelli irá servir primariamente como demonstrador tecnológico, e foi somente projectado para funcionar durante quatro dias antes de esgotar a sua fonte de energia. As suas baterias não são recarregáveis, limitando assim o tempo de vida do veículo.

O conjunto de instrumentos Atmospheric Mars Entry and Landing Investigation and Analysis (AMELIA) irá servir para recolher dados sobre a trajectória do veículo e sobre as condições atmosféricas durante a descida, permitindo a elaboração de um modelo relacionado com as suas condições de descida. Por seu lado, o conjunto de instrumentos Combined Aerothermal and Radiometer Sensors Instrument Package (COMARS+) é composto por três módulos de sensores e um radiómetro montado no escudo aerodinâmico do veículo. Durante a descida irá registar a pressão, temperatura e fluxo de calor sobre o veículo.

Descent Camera (DECA), que foi originalmente construída como modelo suplente para o satélite de astronomia Herschell, irá fornecer imagens do local de descida à medida que o módulo Schiaparelli se dirige para a superfície, permitindo a elaboração de uma topografia tridimensional.

Na superfície, o Dust Characterisation, Risk Assessment, and Environment Analyser on the Martian Surface (DREAMS) irá obter leituras da temperatura, pressão, humidade, velocidade do vento, electrificação atmosférica e irradiância solar, até as baterias se esgotarem. O Instrument for Landing – Roving Laser Retroreflector Investigations (INRRI) é um retrorreflector laser que será utilizado para permitir que o veículo em órbita faça determinações precisas da localização do Schiaparelli.

ExoMars-1 2

Imagens: ESA

Deixe um comentário