Rússia lança satélite de detecção remota para o Egipto

A Rússia levou a cabo o lançamento do satélite de detecção remota EgyptSat-A às 1647UTC do dia 21 de Fevereiro de 2019. O lançamento foi levado a cabo pelo foguetão 14A14-1B Soyuz-2.1b/Fregat (Е15000-024/112-07) a partir da Plataforma de Lançamento PU-6 do Complexo de Lançamento LC31 (17P32-6) do Cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão.

Porém, um desempenho inferior por parte do estágio Blok-I colocou o conjunto Fregat/EgyptSat-A numa órbita inicial com um perigeu a 60 km abaixo do previsto, com as estações de rastreio a detectarem esta situação. Felizmente, o estágio Fregat foi capaz de compensar esta situação nas suas manobras e o satélite foi colocado na órbita prevista, com a missão a ser declarada como um sucesso por parte da agência espacial Russa, Roscosmos.


Esta situação pode colocar em questão o próximo lançamento utilizando um foguetão 372RN21B Soyuz-ST-B/Fregat-MT previsto para 26 de Fevereiro.

Originalmente previsto para ser colocado em órbita em Novembro de 2018, o EgyptSat-A (ou MisrSat-A) é o terceiro satélite de detecção remota do Egipto.

O satélite é construído em conjunto pela Autoridade Nacional do Egipto para a Detecção Remota e Ciências Espaciais, e pela RKK Energiya (Rússia). A carga útil de imagem foi desenvolvida pela OAO Peleng e NIRUP Geoinformatsionnye Sistemy (Bielorrússia).

O satélite é uma versão melhorada do EgyptSat-2 e é baseado a plataforma 559GK da RKK Energiya, que herda tecnologias de sua plataforma USP Victoria. O satélite apresenta motores eléctricos SPD-70 usando Xenon.

Está equipado com um sistema opto-electrónico melhorado e sistema de controle a bordo, ligação de rádio de alta velocidade e células solares com maior eficiência para o fornecimento de energia. O EgypSat-A tem uma massa de cerca de 1.000 kg.

O novo satélite irá substituir o satélite EgypSat-2 com o qual as comunicações foram perdidas em Abril de 2015 (o satélite foi lançado a 16 de Abril de 2014).

O foguetão 14A14 Soyuz-2

O foguetão 14A14 Soyuz-2 (14A14-1A Союз-2.1А) representa a mais recente evolução do épico míssil balístico intercontinental R-7 desenvolvido por Sergei Korolev nos anos 50 do século passado. O novo lançador apresenta motores melhorados, modernosSoyuz-2_2014-03-23_14-08-06 sistemas aviónicos digitais e uma reduzida participação de componentes de fabrico não russo.

O lançador é também conhecido pela designação Soyuz-ST (quando lançado desde o CSG Kourou) e foi especialmente desenhado para uma utilização comercial aumentando a sua performance geral apesar de o desenho básico do veículo permanecer o mesmo. As alterações foram realizadas ao nível de uma melhoria da performance dos motores do primeiro e do segundo estágio com novos injectores e alteração da mistura dos propolentes; aumento na performance do terceiro estágio; introdução de um novo sistema de controlo permitindo uma alteração do plano orbital já durante o voo ; introdução de um novo sistema de telemetria digital para a monitorização do lançador e a introdução de uma nova ogiva de protecção de carga com um diâmetro de 3,6 metros.

O foguetão 14A14 Soyuz-2 pode ser equipado com um quarto estágio, nomeadamente o estágio Fregat, utilizando as carenagens de protecção do tipo ST e SF.

Este lançador é capaz de colocar uma carga de 7.800 kg numa órbita terrestre a 240 km de altitude com uma inclinação de 51,80º. No lançamento desenvolve uma força de 4.144.700 kN. A sua massa total é de 310.000 kg, o seu diâmetro no estágio principal é de 2,95 metros e o seu comprimento total é de 43,40 metros.

O primeiro estágio do 14A14 Soyuz-2 é composto pelos quatro propulsores laterais (Blok B, V, G e D) com uma massa bruta de 44.400 kg, tendo uma massa de 3.810 kg sem combustível. Cada propulsor tem um motor RD-107A (14D22) que desenvolve uma força de 1.021.097 kN (vácuo), com um Ies 310 s e um Tq de 120 s. Têm um comprimento de 19,60 metros, um diâmetro de 2,69 metros e consomem LOX e querosene.

O segundo estágio (Blok-A) tem um comprimento de 27,80 metros, um diâmetro de 2,95 metros, um peso bruto de 105400 kg e um peso sem combustível de 6.975 kg. Está equipado com um motor RD-108A que no lançamento desenvolve 999.601 kgf (vácuo), com um Ies de 311 s e um Tq de 286 s. Consome LOX e querosene.

O terceiro estágio (Blok-I) tem um comprimento de 6,74 metros, um diâmetro de 2,66 metros, um peso bruto de 25.200 kg e um peso sem combustível de 2.355 kg. Está equipado com um motor RD-0110 que no lançamento desenvolve 294.000 kgf (vácuo), com um Ies de 359 s e um Tq de 300 s. Consome LOX e querosene.

As modificações introduzidas no novo lançador foram sendo testadas em duas versões do mesmo veículo o 14A14-1A Soyuz-2-1A e o 14A14-1B Soyuz-2-1B. Este último veículo é um lançador a três estágios no qual o motor RD-0124 é já empregado no último estágio.

Soyuz-2-1a 1

Com dimensões semelhantes ao motor RD-0110 utilizado nas versões anteriores dos lançadores Soyuz, o motor RD-0124 apresenta como principal diferença a introdução de um sistema de ciclo fechado no qual o gás do oxidante que é utilizado para propulsionar as bombas do motor é então direccionado para a câmara de combustão onde é queimado com restante propolente em vez de ser descartado. Esta melhoria no motor aumenta a performance do sistema e, como consequência, aumenta a capacidade de carga do lançador em 950 kg. Um propolente especial de ignição é utilizado para activar a combustão do motor e são utilizados dispositivos pirotécnicos para controlar o funcionamento do motor. Cada uma das quatro câmaras de combustão pode ser movimentada ao longo de eixos para manobrar o veículo.


Em 1996 tiveram início os testes do motor RD-0124 e foram finalizados em Fevereiro de 2004 nas instalações da Khimavtomatika em Voronezh. Nesta altura previa-se que a produção em série do novo motor teria início em 2005. A 27 de Dezembro de 2005 teve lugar outro teste do motor, abrindo caminho para os ensaios em grupo de todo o terceiro estágio do lançador 14A14-B Soyuz-2-1B nas instalações da NIIKhimMash em Sergiev Posad.

No início de 2005 a Arianespace anunciava que a primeira missão de teste do foguetão 14A14-1B Soyuz-2-1B teria lugar desde o Cosmódromo GIK-5 Baikonur para colocar em órbita o satélite astronómico CoRoT. Este lançamento dependeria dos resultados de novos ensaios do motor RD-0124 que tiveram lugar em Março e Abril de 2006. Um último teste teve lugar a 20 de Outubro de 2006 e o satélite CoRoT acabaria por ser lançado a 21 de Dezembro desse ano.

Dados estatísticos e próximos lançamentos

A partir de 2019 os lançamentos da SpaceX estão contabilizados nos lançamentos dos Estados Unidos. O total de lançamentos orbitais tem por base os dados conhecidos até ao momento sobre as actividades secretas tanto de Israel, como da Coreia do Norte e do Irão.

– Lançamento orbital: 5815

– Lançamento orbital Rússia: 3234 (55,61%)

– Lançamento orbital desde Baikonur: 1488 (25,59% – 46,01%)

Os quadro seguinte mostra os lançamentos previstos e realizados em 2019 por polígono de lançamento.

Os próximos lançamentos orbitais previstos são (hora UTC):

5816 – 22 Fev (0146:XX) – Falcon-9 – Cabo Canaveral AFS, SLC-40 – Nusantara Satu (PSN-6 – Pasifik Satelit Nusantara 6), Beresheet (Genesis, SpaceIL Sparrow), Spaceflight GTO-1

5817 – 26 Fev (2137:XX) – 372RN21B Soyuz-ST-B/Fregat-MT (VS21/?????/M133-15) – CSG Kourou (Sinnamary), ELS – OneWeb-0006, OneWeb-0007, OneWeb-0008, OneWeb-0010, OneWeb-0011, OneWeb-0012

5818 – ?? Fev (XXXX:XX) – Electron/Curie (F5) – R3D2

5819 – 02 Mar (0745:00) – Falcon-9 (B1051.1) – CE Kennedy, LC-39A – Crew Dragon (SpX-DM1)

5820 – 09 Mar (0150:35) – Vega (VV14) – CSG Kourou, ZLV – PRISMA

 

%d blogueiros gostam disto: